2 Anos trazendo a lógica!!

Vez do Internauta

Os Seminovos – A Menina e o Vampiro

Olá, Haters!!

O vídeo que temos hoje é indicação da Narcisa Le Fay, usuária do nosso fórum (Não está no nosso fórum?Como assim?Inscreva-se!!)! O vídeo nos foi trazido pela Venenosa, da nossa Equipe.

Pra quem não conhece, Os Seminovos é uma banda criada dentro do site Charges.com.br (tanto que o dono do site, Maurício Ricardo, faz parte), e fazem vários tipos de música, com temas do cotidiano. A banda distribui suas músicas e seu CD gratuitamente pelo site. Visitem lá, assistiam as charges (que são muito engraçadas, inclusive já postamos uma aqui!) e ouçam as músicas!São ótimas!

Esse vídeo é um clipe da banda, a música se chama A Menina e o Vampiro…Já sabem do que se trata, certo?:

E aí?Gostaram??Eu achei muito bom, uhuahauhauhauha!Sensacional!!!

Querem baixar a música? É só conferir no site, possui uma versão com alta qualidade, só clicar aqui.

Mais uma vez, agradecemos à Narcisa pelo vídeo!

-Giovanna

Anúncios

Mês das Bruxas: Crepúsculo – Parte 2

Continuando o post anterior.

Lembrando que o post original veio do Blog do Amer, todos os direitos reservados!

————————

Mês das Bruxas: Crepúsculo – Parte 2

Acabo de assistir a uma retrospectiva de Castlevania no Gametrailers. Ohhhh, quantas lembranças…

Encarnar um membro do clã Belmont e enfrentar o reinado de horror de Drácula, armado apenas de um chicote, armas sagradas e bolas maiores que as do Lionel Ritchie! Ahhh sim, isso que era vida!

E Drácula era um puta monstro durão! As demais criaturas dos filmes da Universal trabalhavam para ele sem contestar… cacete, A MORTE obedecia as ordens de Vlad Tepes sem pensar duas vezes!!! O CONDE DRACULA TINHA CONTROLE SOBRE O CEIFADOR SINISTRO!!!

Ahhh sim, bons tempos. Tanto que eu o elegi um dos maiores vilões dos gamesde todos os tempos.

Dracula é o mais conhecido, mas existem inúmeros vampiros durões na história: Vampire Hunter D, Blade, Jerry Dandrid e os Garotos Perdidos, que podem não parecer muito machos hoje em dia mas diabos… eram os Anos 80.

Sim, vampiros eram criaturas da noite, que escondiam sua verdadeira face maligna por trás de uma máscara de amabilidade e sedução. Indivíduos perigosos, que deviam ser temidos e evitados a qualquer custo.

Então veio A VACA SIFILÍTICA DA STEPHANIE MEYER E ESTRAGOU TUDO!!!! MALDITA SEJA!!!!! ESPERO QUE VOCÊ MORRA DE LEUCEMIA SUA DESGRAÇADA MORFÉTICA!!!

Não! Eu não acho que Anne Rice começou a cagar nos vampiros! Entrevista com o Vampiro é do caralho! Ruins são os fãs dos livros dela, bando de gotiquinhos feios de cabelo ensebado e camiseta do Dream Theater!!!

Tou puto hoje!

Vamos em frente com essa porra de artigo!!!

No episódio anterior, Bella descobriu que Cedrico é um vampiro, tem super força, super velocidade, outros poderes convenientes a trama e a capacidade de brilhar no sol.

Agora, ela está deitada, cheia de alegria e amor em seu coração, pois conquistou o coração do rapaz mais espetacular da cidade, aquele que todas as meninas um dia desejaram, mas fracassaram em atrair. Sim, ela não se aguenta de felicidade.

… infelizmente, toda essa alegria é ofuscada pelo fato de que ela provavelmente tem sete metros de fezes alojados em seu intestino grosso, pois nada justifica essa cara de nada sendo que este deveria ser o dia mais feliz de sua vida.

No dia seguinte, Cedrico dá uma carona para Bella até a escola. Ele está feliz da vida por estarem namorando, mas Bella tem maiores preocupações em mente.

Todos estão olhando para eles, desde o rapaz branco com um penteado Afro totalmente inadequado à sua etnia, até a menina incomodamente parecida com o Harry Potter.

Bella não gosta disso, ela não quer ser o centro das atenções em sua escola.

Tarde demais, sua retardada imbecil. A vida dessa escola… não, dessa cidade inteira já giram ao seu redor. A única maneira de se livrar de tamanho fardo é dando um tiro em sua cabeça… mas você não vai acabar com nosso sofrimento, não é verdade?

VACA!

E eu não sou o único que tá puto com essa união.

A família emo de Cedrico também não gosta de vê-lo com Bella.

Pode parecer que estão exagerando, mas veja você, vampiros se alimentam de sangue humano. Para eles, é como se Cedrico estivesse namorando um pacote de Doritos.

Se bem que… Doritos é sexy…

… oh Deus, eu falei isso em voz alta também?

*GULP*

Cedrico e Bella passam mais tempo juntos então, como se já não ocupassem mais tempo de tela que todos os outros personagens juntos.

O rapaz conta a ela a história de como se transformou em vampiro.

Ele estava morrendo em um hospital no começo do século 20. Lembremos que nesta época, o máximo do avanço medicinal era dar um copo com água salgada para vítimas de desidratação e lavar as mãos antes de operar um paciente era puramente opcional.

Cedrico estava agonizando, pois ainda não tinha descoberto uma cura para a sua unha encravada. Neste momento, o Doutor Albino, patriarca da família de emos, teve pena do rapaz e o transformou em vampiro, para que não morresse tão jovem.

Aparentemente, o doutor também tirou sua virgindade anal, o que eu não sabia ser necessário para se converter alguem em um vampiro.

Mas pela cara do doutor, Cedrico não contou a ele que também tinha Hepatite C.

Boa, Cedrico.

Cedrico conta também que sua família não caça humanos, eles sobrevivem apenas do sangue de animais. É o mesmo que um humano se entupir de tofu, ele pode viver bem assim por algum tempo, mas um dia seu colesterol irá as alturas.

O que me faz pensar, se o patriarca da família é uma porra de um médico, porque eles não fazem uso de bancos de sangue para se alimentar? E daí que é um clichê? pelo menos assim, alguma coisa faria sentido nessa merda!

Os dois conversam por algum tempo, quando…

Mesmo que não haja mais segredo entre eles, Cedrico ainda tem a mania de largar a menina falando sozinha. Ele só o faz com mais efeitos especiais agora.

De qualquer forma, ele dá carona pra ela até em casa depois e avisa que quer levá-la para conhecer sua família de emos.

E na volta…

OH!!!

O indião pai/tio/avô/guardião que abusa sexualmente do Sharkboy olha pra ele com cara de “tou ligado na sua, mano!”

Mas o que os índios da região tem contra os Cullen, fora eles serem um bando de emos? Será que eles sabem o segredo sombrio dessa família?

Claro que eles sabem. Mas só vou tocar no assunto quando escrever sobre Lua Nova.

Sim, eu me odeio.

Shark Boy trouxe seu guardião legal até a casa de Bella. Para quê? Para o velho assistir futebol com o pai da moça, o que mais?

Correção, ele veio é encher a cara! Ninguem precisa de tanta cerveja assim só pra assistir a um jogo de futebol, não senhor! O esporte é só uma desculpa pro goró!

Até imagino que depois do jogo, os dois vão pegar espingardas e procurar um rapaz negro pra linchar. É o interior dos Estados Unidos afinal de contas, o que mais esses dois racistas desgraçados podem fazer em um fim de semana?

No dia seguinte… ou no mesmo dia… sei lá, não me preocupo em marcar a passagem de tempo nessa merda.

Hã? O quê?

Desculpem, desmaiei por um instante.

Então, algum tempo depois, a família Cullen está na cozinha, preparando um senhor jantar pra Bella.

Não sei vocês, mas eu teria muito medo de ingerir qualquer coisa preparado por pessoas que não acendem um fogão há mais de 100 anos. Digo, eu comeria assim mesmo, por gentileza, se uma família de vampiros quer me fazer um dengo, não vou recusar.

Claro, correrei pro banheiro e imitarei uma modelo o melhor que puder após o jantar.

Foi uma piada sobre bulimia… admito que não foi uma das minhas melhores tiradas.

Enfim, como é uma filha da puta mal agradecida do caralho, Bella comeu antes de chegar.

O que prontamente faz a irmã de Cedrico esmagar uma travessa de couve de bruxelas.

… ou talvez ela tenha simplesmente lembrado de todas as vezes que foi obrigada a comer couve de bruxelas antes de se tornar uma vampira e cansou de segurar seu ódio… é um sabor fecal que não se esquece, não importa quantas existências alguem viva.

Ok, pra ser muito justo, Bella não sabia que os vampiros iam cozinhar pra ela, Cedrico não fez questão de avisar.

Ou seja, a família resolveu aprender a cozinhar especialmente por causa da namorada do Cedrico e ele não fez a menor questão de avisá-la receberia um jantar surpresa? Ele tá tomando aulas de como ser filho da puta com a Bella?

De fato, todos ficam muito desconfortáveis com a situação.

De repente, olhando pra esta cena, me lembro de A Vida Moderna de Rocko. Mais especificamente, daquele episódio que o Rocko janta com a família de lobos e o vovô fica repetindo “o canguru acha que nossa comida não é boa o bastante para ele? Pois vamos comê-lo então!”

Por que eu acho que toda a família Cullen está pensando a mesma coisa?

De repente, a vampira Docinho entra na sala e dá um abraço surpresa em Bella, pra dissolver a tensão violenta com um pouco de tensão sexual.

Hmmmmm, vampiras lésbicas…

Eu juro, essa menina é uma gracinha! Adoro moças que usam esse cabelinho igual da Docinho… claro, não funciona em todas, mas quando dá certo… ahhhh, que fofura…

E atrás dela outro vampiro que não saberia interpretar nem que sua vida dependesse disso.

Em teoria, o rapaz está se esforçando ao máximo para não atacar Bella. Ele ainda é novo na família e não detém controle total sob sua fome sanguinária de vampiro e Bella aparecer assim na casa dele é como o China in Box fazer uma entrega na hora do almoço.

Mas se olharmos bem, ele mais parece alguem que acabou de assistir 2 Girls 1 Cup e está se esforçando ao máximo pra não lavar a Docinho em vômito.

Qual o problema dos vampiros desse filme? Bela Lugosi sabia atuar!

Como a situação com a família ficou tensa, Cedrico resolve levar Bella até seu quarto. No meio do caminho, eles param em frente a um quadro com milhares de chapéus de formatura, aparentemente, Cedrico e seus irmãos já completaram o colegial centenas de vezes.

Ok, eu nunca pensei que alguem poderia fazer a imortalidade parecer uma merda… mas completar o colegial centenas de milhares de vezes me parece pior do que o próprio Inferno! O colegial foi a pior época da minha vida! Eu não comi ninguém, tinha gente querendo me bater e ainda mais gente me chamando de bicha! Pra que eu ia repetir essa tortura todo ano???

E não passou pela cabeça de Bella que nesse século repetindo o colegial, o Cedrico xavecou centenas de adolescentes retardadas como ela? De fato, ela tem uns dezesseis anos e o Cedrico 117… ela não pensa que o cara é um pedófilo mais imundo que o Herbert?

Eles chegam lá e a primeira coisa que Bella percebe: “Não tem cama?”

Primeira vez que você vai na casa do sujeito e já quer agarrar o Poodle dele? Porra, pelo menos espera a família dele sair pra caçar ou coisa assim!

Mas enfim, de acordo com Cedrico, não há cama em seu quarto porque ele nunca dorme.

Eu reclamei dos vampiros que brilham no sol no artigo anterior sim, mas não pela mudança em si. Mudança é bom, não existe um livro de regras que pregue como todas as criaturas folclóricas devam ser e como tal, acredito que autores possam dar seus toques pessoais quando tratarem de seres já bastante usados no cinema e literatura.

Um vampiro não dormir é interessante. Ele está morto, seu corpo tecnicamente não precisa de descanso, assim sendo, dormir em uma cama ou caixão é desnecessário… isso faz sentido e acrescenta um bocado à nova versão do mito que a autora tentou criar.

UMA PORRA DE UM VAMPIRO QUE BRILHA NA LUZ DO SOL NÃO ACRESCENTA CARALHO NENHUM A ESSA MERDA DA PUTA QUE PARIU DO MICHAEL BAY!!!

Pois bem.

Bella e Cedrico conversam um pouco…

… quando ele a agarra e sai voando pela janela…

… e depois, toca piano para sua amada.

Por que? Por que ele é perfeito!

Mas mesmo diante da perfeição, Bella não parece nem um pouco impressionada.

CRETINA!!!

Enquanto isso, longe dalí…

… a vampira loira DO MAL sai correndo pela floresta como se tivesse sofrido de poliomielite na infância.

Ok, não saber atuar é inaceitável, mas compreensível. Mas essa piranha não consegue nem correr sem que seus ossos pareçam desgrudados das juntas???

Aliás, ela é loira, não ruiva. Eu sei reconhecer ruivas, não desafiem meus poderes!!!

E por que picas ela tá correndo afinal?

Pra despistar a polícia, oras! Podem ver que mesmo com ajuda do Bionicão, o pai de Bella perde o rastro da criatura.

Na hora do almoço, o pai de Bella se mostra triste e melancólico. Não é todo dia que se perde o rastro de um assassino que está apenas a dez metros de distância.

Mas que importa isso? Assim que Bella aparece, ele se lembra do que é importante e aconselha a filha a sair mais com os amigos, pois eles a amam e ela precisa passar mais tempo com pessoas de sua idade, se divertindo e sendo o foco da atenção de toda a cidade.

Bella responde apenas “você deveria comer mais salada”.

Então a garçonete chega e avisa que as pessoas velhas da cidade querem saber se o assassino comedor de pescadores foi capturado.

O pai de Bella responde que não…

… e os velhos locais olham feio pra ele e pra Bella.

FINALMENTE!!! Pessoas que pensam em coisas mais importantes que essa vaca morena emburrada que se mudou pra cidade! Ahhh sim! Nada como velhos carrancudos para colocar as coisas em perspectiva!

Merda de Hollywood! No passado seus astros eram Walther Mattau e Jack Lemmon! Que aconteceu com esses bons dias? Hoje só temos adolescentezinhos de merda nos papéis principais, DARTH VADER VIROU UM MENUDO, PELO AMOR DE BENJI!!!!!

*ARRAM*

Prosseguindo.

A noite, Bella está no telefone…

… conversando com sua mãe.

Qualquer menina de sua idade passaria horas conversando com as colegas de escola, mas aparentemente, nenhuma das meninas que estuda com ela é boa o suficiente para receber atenção telefônica.

Bella conta que está namorando um rapaz e sua mãe quer saber tudo sobre ele: se ele é bonito, rico, inteligente, se eles estão usando camisinha, se o rapaz curte um fio terra, se Bella cospe ou engole, enfim… essas coisas de mãe.

Cedrico subitamente aparece no quarto e Bella então desliga o telefone na cara da mãe DE NOVO!!!

Uau, se aos 16 anos eu tratasse meus pais assim, eu seria preso em uma jaula e minha bile seria usada pra fazer shampoo.

Enfim, Bella está só de camiseta e calcinha, o uniforme padrão de uma moça que fica sozinha em casa.

Nem tentem me desmentir, uma amiga me revelou recentemente que se uma menina está sozinha em casa, calças se tornam desnecessárias. Todos aqueles anos fantasiando com garotas de calcinha se degladiando em guerras de travesseiros não foram em vão!

Ok, os dois estão sozinhos no quarto, ela tá só de camiseta e calcinha… uma coisa leva a outra e Cedrico de repente começa a beijar a moça com a fúria de alguem que não dá uma há pelo menos 100 anos.

Oh sim! Veremos uma cena de sexo quente digna de uma comédia barata dos anos 80! Sim senhor, sim se…

No meio da coisa… Cedrico saiu voando de cima de Bella, enquanto uma voz cavernosa vinda do além gritou “PARE”!

Ok… seria o deus vampiro tentando impedir que os dois copulem e gerem o Anticristo… ou talvez o Quico?

NÃO! Era apenas a voz interior de Cedrico, dizendo que eles não podem consumar o ato.

E por quê?

Nenhuma explicação é dada. Temos de aceitar que os dois não podem encaixar o Lego porque… *Raddah Raddah*… cuecas… lucros…

Então, os dois passam a noite conversando.

Ok… Bella tava louca pra montar na Espada de Grayskull do Cedrico e o cara deu a interrompida de coito mais violenta desde aquela freira que surrou os adolescentes em Natal Sangrento. O filme quer que eu acredite que esses dois, no ápice de sua capacidade sexual, não mais tentaram dar umazinha o resto da noite?

Sabem o que faz mais sentido que esse filme?

ESTA IMAGEM!!!

No dia seguinte, Bella traz uma cerveja para seu pai enquanto ele limpa a espingarda.

ISSO MESMO! Encha de álcool um caipira com uma arma de grosso calibre em mãos! Não há como isso acabar mal!

De qualquer forma, Bella quer apresentar o namorado para o pai.

O velho engatilha a arma e diz “pode trazê-lo!”

Ok, dessa cena eu gostei. De fato, vou fazer parecido quando minha futura filha chegar a idade de começar a namorar e trouxer Cedricos para nossa casa.

Cedrico se apresenta e pede a permissão do pai de Bella para levá-la para jogar Baseball com sua família.

Ele concorda, mas avisa que vai pendurá-lo em uma árvore, espetar um garfo em sua bunda e usá-lo para praticar tiro ao alvo caso deflore sua garotinha.

Muito justo, eu faria o mesmo.

Ok, aqui estamos com a família Cullen e como Bella não tem super poderes, coube a ela o papel de juiz. Não sei vocês, mas eu adoraria vê-la sofrer fraturas e concussões enquanto tenta praticar um esporte extremamente físico com seres que podem estapear caminhões.

E por acaso ela conhece as regras do esporte? Do jeito que despreza o convívio social, acredito que Bella não sabe nem as regras de jogar Amarelinha.

Então começa uma tempestade…

… e a Docinho anuncia que “é hora de começar!”

Vejam vocês, os vampiros tem super força e rebatem a bola com uma potência de fazer inveja ao Pelé. Desta forma, eles só podem jogar baseball durante tempestades, pois o barulho das porradas que dão nas bolas é abafado pelo som dos trovões.

Yep.

Eu narraria o jogo, mas ele é mais chato que uma partida de Quadribol. Desta forma, vamos deixar pra lá.

Quadribol é um saco!!!

Então, a partida é interrompida porque O MAL SURGE EM CAMPO!!!

O Rasta, a Loira e o Descamisado aparecem e apresentam-se a família Cullen. Eles se desculpam por terem caçado em seu território, avisam que já despistaram a polícia e o Bionicão, e declaram que se retirarão da área para não causar nenhum problema.

Hmmm, até que eles não são tão maus assim.

Então, o Descamisado…

Esse cara me lembra o Andy Bogard. Chamarei-o assim até o fim do artigo, porque eu também preciso me divertir.

Hey, eu nunca gostei do Andy! Ele que se foda no pescoço!

Pois bem, Andy Bogard começa a encarar o Cedrico…

… que responde com “OH”!

É quando o vento bate em Bella…

… Andy sente seu cheiro e deduz que ela estaria melhor em uma churrasqueira, sendo preparada com sete tipos diferentes de temperos.

A família Cullen se coloca no caminho DO MAL e declara que Bella é parte da família, e não comida.

E essa é a encarada mais imbecil que eu já ví em um filme. Ninguem tem expressão de raiva, ou tenta intimidar o outro lado, eles simplesmente estão parados com cara de porra nenhuma, provavelmente tentando se lembrar de onde precisam se posicionar na cena.

Quanto a Bella…

… está apavorada com a situação.

Ou acabou de lembrar que tinha de comprar Yakult no mercado… já desisti de tentar entender a má atuação dessa menina.

Então, o mal vai embora…

… e os Cullen entram em desespero, pois sabem que Bella será caçada feito um animal pelos vilões que agora surgiram.

Espera… os Cullen estavam em maior número e claramente são bastante poderosos… por que eles simplesmente não mataram o trio do mal alí mesmo onde se encontravam? Digo, acabariam com os assassinatos e de quebra protegeriam Bella.

Não, não… desta forma o filme faria sentido.

Pois bem, Bella precisa sumir da cidade e então bola um plano para despistar seu pai.

Primeiro ela finge que terminou com Cedrico…

… depois, ela diz ao velho que não suporta a cidade, nem a companhia dele e que agora entende porque a mãe o deixou.

O velho fica claramente magoado, mas deixa o caminho livre para a filha.

Ok, ok, ok! Para mais um segundo.

Vampiros assassinos estão atrás de você, Bella! Se este não é um motivo pra abrir o jogo com seu pai e contar a ele tudo que te aconteceu nas ultimas 48 horas, eu não faço idéia do que possa ser.

A autora tentou usar o velho clichê de “serei rude para mantê-lo afastado e protegê-lo”… mas ele não ajuda em nada a história, só faz Bella parecer uma vaca ainda mais mimada e grosseira do que já é.

Eu tenho certeza, que esta foi a maneira que Stephanie Meyer encontrou de atacar indiretamente seu próprio pai. Uma cretina feministóide como ela com certeza tem “problemas” com seu velho, nunca teve coragem de confrontá-lo e o atacou via livro anos depois de não mais conviver com ele.

E eu disse “feministóide”, não “feminista”. Há uma grande diferença.

Bella se convence que fez a coisa certa e foge com Cedrico.

Sim, magoar seu pai que te adora e vive por você sem dúvida foi a coisa certa.

Durante a fuga, bella vê seus amigos de escola saindo de um restaurante e se lamenta por toda a vida normal que perdeu, quando…

QUE VIDA NORMAL SUA MAL COMIDA DO CACETE??? VOCÊ ODIAVA PASSAR TEMPO COM SEUS COLEGAS! POR QUE VOCÊ TÁ SE LAMENTANDO AGORA, PORRA??? QUER GERAR PENA DAS PESSOAS AGORA, PORRA!?!?!?!

E eu achei que não podia odiar mais essa garota…

De volta ao lar, Cedrico dá de cara com o Rasta e prepara-se para atacá-lo com seu Kung Fu.

Mas o Rasta é um cara legal e está aqui para avisá-los. Aparentemente, Andy Bogard tem o sentido do faro mais aguçado que ele já viu em um vampiro e agora que ele pegou o rastro de Bella, não descansará enquanto não tiver a moça entre duas fatias de pão.

LOBISOMENS tem olfato aguçado, caralho! A autora dessa merda nunca viu um filme de monstros na vida?

Os Cullen decidem então tirar Bella do estado. Docinho a levará para longe enquanto Cedrico e os demais vestirão roupas de Bella e tentarão despistar o faro de Andy Bogard.

Docinho promete levar Bella em segurança até Townsville e protegê-la, pois tem irmãs na cidade que podem ajudar.

E UAU, que moça mais lindinha! Eu juro…

Acabo de criar um paradoxo na frase acima… ah bem…

Cedrico e Bella se despedem emotivamente… ou … de forma tão emotiva quanto duas pessoas com Prisão de Ventre crônica conseguem.

E então… Cedrico e seus irmãos correm pela floresta, se esfregando em árvores, para deixar o cheiro de Bella pelo lugar e assim confundirem Andy Bogard.

Não… sério… eles estão tentando despistar um vampiro da mesma maneira que se despista cães da caça. Com mil xavascas, viu!!!

Até imagino como Crepúsculo nasceu, Stephanie Meyer estava em casa, comendo bolacha Piraquê e se lamentando por não ser famosa como Britney Spears, então começou a passar Rambo: Programado para Matar na televisão e ela pensou: “Hmmmm, acho que posso fazer uma história de vampiros em cima desse filme!”

Pense nisso por um minuto e verá que esta teoria responde muitas perguntas.

Andy Bogard é enganado por algum tempo…

… mas logo ele desvenda o plano e corre atrás da Bella verdadeira.

Aos Cullen só resta parar no meio da floresta e fazer “OH” com enorme estupefação.

Em Townsville, Bella recebe uma chamada em seu celular, sua mãe grita seu nome em desespero…

… pois Andy Bogard a mantém em cativeiro.

Ele diz que soltará a velha se Bella for até ele e se tornar sua refeição.

E assim ela o faz.

Neste momento, o monólogo do começo do filme se repete, onde Bella declara que “sacrificar a vida por alguém parece uma boa maneira de partir.”

Exceto que o Andy provavelmente vai te matar na frente da sua mãe e não satisfeito, provavelmente fará a velha em pedaços também. Você não planejou tudo isso muito bem, né Bella?

Mas hey, quem sou eu pra reclamar! Se você quer ir de encontro a morte, vai fundo minha jovem!

O encontro fatídico se dá na antiga escola de dança de Bella.

Claro que ela praticou balé… toda protagonista feminina em um roteiro escrito por uma idiota já praticou balé.

E então…

… OH! A INFÂMIA!!!

Andy Bogard não capturou a mãe de Bella, ele só tocou o audio de um antigo video da menina pelo telefone.

Bella… você não sabe distinguir a voz verdadeira da sua mãe de uma gravação em video dela? Jesus, Maria e José… você atingiu um patamar de retardo mental que eu não imaginava ver em uma heroína do século 21.

E pela cara do Andy, nem ele achou que esse plano esdrúxulo daria certo.

Como bom estuprador, Andy prensa Bella na parede e começa a descrever todas as coisas horríveis que fará com ela…

… então ela borrifa spray de pimenta na cara do vilão…

… que em retaliação a atinge com um Burn Knuckle.

Sim, eu sei que o Burn Knuckle é um golpe do Terry Bogard e não do Andy. Vá se foder e não me encha o saco!

Andy então tira uma câmera do cu e começa a filmar Bella. Agora ele ficou muito puto e vai colocar o video de tudo que fez com ela no site Debutantes.com.

Então, para grande ovação da platéia…

… Andy quebra a perna de Bella

YEAH!!!!!!!! BILL FROM TAMPA, MOTHERFUCKEEEEEEEEEEEEEEER!!!!

Oh céus! Que alegria! Que felicidade!!! Foram necessárias quase duas horas, mas finalmente alguem causou algum dano real a essa filha da puta!!!

Não para agora! Continua! Vai que tá quase…

MALDITO CEDRICO EMPATA FODAS DO CARALHO!!!!! AGORA QUE A COISA COMEÇA A FICAR BOA VOCÊ APARECE!!!!!

Espero que você pelo menos teja puto e desmembre o Andy Bogard! Pelo menos nos compense com uma cena de violência absurda e insensata!

“Oh!”

O quê? Macomo??? É ESSA A SUA CARA DE RAIVA SEU MALDITO CANALHA PÚTRIDO E BILTRE!!! EU TE ODEIO!!! MALDITO SEJA VOCÊ E TODA A SUA FAMÍLIA DE EMOS E TODOS AQUELES QUE DÃO DINHEIRO PARA A LAZARENTA DA STEPHANIE MEYER!!! VOCÊS DESTRUIRAM MINHA VIDA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

*Huff-Puff*

*Arram*

Eu precisava disso, sim senhor e como precisava.

Como era de se esperar, Cedrico não dá nem pro cheiro e Andy vira a luta em questão de segundos.

Porra Cedrico, não lembra nada do que aprendeu em Hogwarts? Pelo amor de Alan Rickman, é só usar um Expelliarmus nesse filho da puta.

Vai, eu te ajudo. Repete comigo: EXPELLIARMUS!!!

Viu só? Deu certo!

Claro, não por muito tempo, pois Andy logo toma a dianteira da batalha de novo, se livra do Cedrico…

… e tasca uma mordida na Bella.

Cedrico finalmente fica puto, pois alguém comeu sua namorada antes dele.

E o Andy não tá nem aí, ele fica só repetindo “La-la-li-la-lá-comi-sua-mulher-la-la-li-la-lá!”

Quanto a Bella…

… a moça está caida ao chão, com cara de quem está disparando jatos orgásmicos, quando devia é sentir uma dor agonizante.

Onde essa menina aprendeu a atuar? Com a Professora Helena?

E sabem o que é pior? Ela ainda é uma atriz MUITO superior a Megan Fox.

De repente, o resto da família Cullen chega.

Tarde demais, claro… mas enfim.

Eles agarram Andy Bogard…

… Docinho quebra seu pescoço de forma muito sexy…

… então ele é rasgado em pedaços e o jogam em uma fogueira.

Se tivessem feito isso meia hora atrás, nenhuma das tragédias do filme teriam acontecido e todos teriamos chegado mais cedo em casa… parabéns, vampirada…

o Doutor Albino então explica que Bella está sofrendo por que “o veneno vampírico” está em sua corrente sanguínea, a transformando em uma criatura da noite. A única forma de salvá-la e Cedrico a morder e remover o sangue contaminado.

Ok… vampiros tem faro de cachorro e peçonhas de cobra… ohhhhh Jesus… nem tenho mais forças pra me irritar a esta altura…

Mas enfim, Cedrico a morde como se fosse um frango empanado e suga seu sangue.

É quando o Doutor Albino diz:

“Muito bem Cedrico! Você sugou todo o veneno dela, pode parar de morder agora!”

“Cedrico? Pode soltar a moça agora, ela já está bem! Cedrico, pare de sugar o sangue… Bella, pode fazer o favor de dizer ao Cedrico que você já está bem?”

“Bella? Está me ouvindo, filha? Bella? Oh puxa! Ei, resto da família, podem pegar um balde de água fria pra gente soltar esses dois?”

“Pessoal? Pessooooo-aaaaaaa-aaaal! Querem parar de pular em volta dessa fogueira e me darem atenção? Ninguem me escuta nessa família? Eu não devia ter transformado nenhum de vocês, viu! Espera só até a mãe de vocês ficar sabendo disso!”

Então, Bella desmaia em meio a torpor do prazer sexual canibalesco…

… e acorda com sua mãe sobre ela, fazendo uma tremenda cara de dona da padaria.

Sim, quando estamos em meio a uma quase orgia sexual com vampiros, a primeira imagem que desejamos ver é nossa mãe.

A mãe de Bella conta que a menina caiu da escada e quebrou a perna, e que Cedrico a trouxe para o hospital o mais rápido que pode.

Isso mesmo… ela “caiu da escada”, de fato. Algo me diz que Bella vai se tornar o alvo perfeito de violência doméstica no futuro.

A mãe de Bella se manda e Cedrico, que até então fingia estar dormindo no sofá pra não ter de aturar o papo chato da velha, se levanta e dá um beijo na testa da moça.

Ele diz alguma baboseira romântica a ela, mas eu estava ocupado demais escutando os gritos de desespero em minha alma para prestar atenção a qualquer outro diálogo deste filme.

Alguns dias depois, Cedrico está na casa de Bella, esperando que ela se arrume.

Ele claramente está desconfortável com a bebedeira do pai da moça e sua cara de quem quer estuprá-lo com um remo até o rapaz cantar Ilariê em Sueco. Isso prova que nem os poderes de um vampiro são páreo para a fúria de um pai mau humorado, que todos aprendam esta lição.

Bella desce, após passar 36 horas se arrumando e os dois vão para o baile da escola.

Diga-se de passagem, ela não se desculpou pelas coisas horríveis que disse ao pai, não senhor.

VADIA!!!

Os dois chegam a escola e Cedrico decide estacionar o carro…

… o que dá a Shark Boy a chance de agir.

Ele avisa Bella para que tome cuidado com Cedrico, pois a família dele não é o que parece.

Sim, ela já sabe… TODO MUNDO JÁ SABE, Shark Boy! Meu Deus, você é mais lento que o Homer!

Então, Cedrico aparece e olha feio pro Shark Boy!

OH!

OH!

Então, Cedrico faz um puta Spoiler do próximo filme e diz “É só deixar uma moça sozinha e os lobos caem sobre ela.

Ohhh Cedrico… você heim! Você!

E Shark Boy, nada disso teria acontecido se você tivesse cantado sua canção… mas nãããããããããão.

No baile, Bella reencontra todas as pessoas que detestava no dia-a-dia escolar.

Primeiro, sua amiga sorridente e o idiota por quem ela era apaixonada.

Bella faz um gesto pra amiga que significa: “Aí, vai cair de boca no malandro mais tarde, heim?”

Ao que ela responde:

“Opa!”

Eu não teria dito melhor.

Ela também encontra Jung Jonah Jameson, que aparentemente é o DJ da festa. Bom saber que a escola não fez questão nem de contratar um DJ profissional pra essa merda, pelo menos em Hogwarts tinha uma banda de verdade.

E o Vitor Krum comeu a Hermione na escadaria.

Não, ninguem nunca me convencerá do contrário.

Cansada de todos os colegas patéticos de quem sentiu saudades por um minuto e meio ao longo do filme, Bella decide afastar-se de todos com Cedrico.

E neste momento, ela começa a encher o saco dele pra que ele a torne uma vampira. Ela quer viver a seu lado por toda a eternidade e não vai aceitar um não como resposta.

Cedrico, reluta, reluta, reluta e a beija no pescoço… sem morder. Claramente ele não quer aguentar o papo chato de Bella por alguns bilhões de anos, então ele só a enrola com bobagens românticas que devem bastar para mantê-la calada até o próximo filme.

Então eles dançam e tudo fica bem com o mundo.

No entanto…

… OH!!! O mal espreita!!!

Mas quem os observa de forma tão maligna e sombria! Quem os observa e trama uma vingança sangrenta? Quem? Quem? Quem???

Ninguém menos que a loira namorada de Andy Bogard, que acabamos de descobrir, se chama Catherine Hardwicke e dirigiu o filme.

De repente, tudo faz sentido!

Nota do Amer: Preciso de uma imagem para descrever o que sinto por este filme.

Sim, essa serve.

Depois eu volto e falo de um dos filmes mais legais e ignorados dos anos 80!

E antes de irem embora, dêem um pulo no Mahou Gakkou Amaterasu, da minha amiga Katchiannya. É um grande blog e todos vocês deveriam ler!

Por hoje chega!

Cheers!!!

——————————-

Pois é, prometi ao autor que deixaria tudo, e aí está tudo XD!Links e mais.

Gostaram? Espero que sim, eu, pelo menos ri muito!!

Mais uma vez, agradeço ao Blog do Amer por criar este post tão engraçado e nos deixar postar!

Visitem lá e divirtam-se!As listas são as melhores!!

Btw, hoje passou Crepúsculo no Telecine Premium (É, a porcaria só abriu porque amanhã parece que estréia Lua Nova…aiaiaiaiai, pra coisa boa não abre, né?Afs…), vi uns pedaços…Ai, que filme ruim XDD!!!Cansa de ruindade!Uhauhauhaua!

Até a próxima o/!Beijos.

Giovanna.


Mês das Bruxas: Crepúsculo – Parte 1 (By: Blog do Amer)

Oi,oi gente!!

O post de hoje não é nosso, na verdade ele vem desse blog aqui: Blog do Amer.

Descobri recentemente este blog, e é muito legal, engraçado e, o melhor de tudo, com muitas coisas nerds e games. Recomendo demais pra quem gosta!!

O autor também tem mais dois blogs, visitem todos!

E, pra melhorar mais ainda, recentemente ele fez uma ripagem em duas partes do primeiro filme da saga Crepúsculo! Ahh manolo, corri saber se a gente podia postar!E permissão concedida! (Eu comentei na parte 2, pra falar a verdade, mãs, toda parte 2 tem parte 1, certo?So…).

Então, trago a vocês, na íntegra (Não mudei nada, hoje eu fui no melhor estilo trabalho escolar e copiei e colei mesmo!XD!) o post do Blog do Amer com a ripagem (Parte 1) do filme Crepúsculo

———————————-

Mês das Bruxas: Crepúsculo – Parte 1

Ohhhhhhh boy…

Tou cutucando vespeiro com meu pinto, eu sei.

Ma bene, no começo do ano decidi que faria mais artigos de filmes. Ora pois, muitos de vocês os adoram e me pedem para escrever sobre películas específicas, o que não faço por pura preguiça… mas estou decidido a mudar isso.

De facto, eu pretendia falar de Crepúsculo logo como primeiro artigo do ano. Até divulguei para algumas amigas. Infelizmente o artigo não saiu e elas me processaram por propaganda enganosa.

Acontece…

Mas agora juntei toda a minha força de vontade e decidi assistir a esta bodega de uma vez, para então analisá-lo e ver a razão de seu sucesso tão estrambólico.

Diga-se de passagem, estou avaliando o filme e o que há contido nele. Não lí o livro e não o estou julgando, tampouco pretendo ler, então não me interessa saber “o que foi mal adaptado” quando a história foi transcrita para as telonas.

E agora, vamos ao artigo… pois quanto mais cedo acabarmos com isso, melhor.

Urgh.

O filme começa com um monólogo de Bella, a heroína da história. Nele, a moça declara que “nunca pensou muito em como seria sua morte… mas morrer por outra pessoa… parecia ser uma boa maneira de partir.”

SEIYA!!! NÃO DESISTAAAAAAA! LUTE POR ATENAAAAAA!!!

É, foi o que esse monólogo me lembrou.

Aliás, Bella é uma das protagonistas mais odiosas que eu já ví em um filme. Ela tá sempre com cara de saco cheio, como se carregasse uma dor infinita e incompreensível para as demais pessoas, mas em momento algum o filme demonstra de onde vêm tanta angústia.

Pelo contrário a vida dela é perfeita.

Logo no começo, descobrimos que a mãe dela se casou novamente, com um cara que parece ser um super sangue bom e que vai viajar com ele por sei lá quanto tempo. Bella, que é uma vaca egoísta e aparentemente não suporta a idéia de conviver com a felicidade de sua mãe, decide morar com seu pai por uns tempos…

… que aliás, é um policial.

OH!!! ELE É TIRA!!! ELE É CARETA, NÃO ENTENDE OS JOVENS E NÃO COMPREENDE O TORMENTO ALOJADO NO CORAÇÃOZINHO DE BELLA!!! CANALHA!!! OOOOHHHHHH!!!

Mas uau, que bigode de respeito!

O velho é mostrado como um cara gentil, que quer se dar bem com a filha. Mesmo assim, Bella não dá uma chance pro cara… porque ela é adolescente e tais seres são cuzões de marca maior que deveriam ser exterminados.

Aliás, é impressão minha ou esse filme é verde demais? Que diabos…

Para se sentir em casa, o pai de Bella lhe dá uma caminhonete. Sim, porque toda aluna do colegial que mora em uma cidade onde tudo está a uma caminhada de distância PRECISA de um carro.

Logo, o sobrinho (neto, Coroinha, sei lá) do indio paralítico que vendeu esse calhambeque fica todo cheio de saliência pra cima de Bella. Ele se apresenta e diz que quando eram crianças, ele brincavam de fazer bolinhos de lama juntos.

Claro, ela não lembra, por que o faria? Todos são menos que nada comparados a seu SOFRIMENTO!!! Ohhhh…

Que infância pouco digna heim, seu… espera… esse cara é o Shark Boy!!! PUTA MERDA, É O PORRA DO SHARK BOY COM CABELÃO!!! SANTA SANTA SANTÍSSIMA!!!!! Tomou fora da Lava Girl e veio rastejar pra Bella? Santa derrota, trocou uma super heroína por uma patricinha revoltante com eterna constipação!!!

Essa juventude tá perdida mesmo.

Aliás, o Shark Boy é o primeiro de muitos que vai desenvolver uma paixonite por Bella e se comportará como um cachorro querendo agradar o dono perto dela, espere pra ver.

Então, cheia de angústia e com cara de quem não caga há uma semana, Bella chega na escola… onde prontamente as pessoas RIEM E CAÇOAM DELA E DE SUA CARANGA VELHA!!!!!

Exceto que isso não acontece. Todos que a vêem automaticamente criam um xodó por ela e em segundos ela se torna a menina mais popular do colégio.

Prova disso é que segundos após pisar na instituição, o editor do jornal da escola a aborda e diz que ela será a matéria de capa da próxima edição. Sim, porque a chegada de uma aluna nova na escola é algo tão relevante quanto o assassinato de Kennedy e o 11 de Setembro.

Bella diz que isso não é necessário e mais do que depressa, Jung Jonah Jameson derruba a matéria. Que grande editor você vai ser um dia…

Vamos então para a aula de Educação Física.

Onde mesmo jogando com a habilidade de uma mongolóide tetraplégica, Bella não recebe esporro de ninguém do time de vôlei.

E ainda digo mais…

… ela acerta uma bolada em um tonto que estava por perto e ele também se apaixona por ela de instantâneo. Nem um “vá tomar no cú sua orangotanga retardada” ele solta.

Eu a xingaria e você também! Não me venha bancar o compreensivo!

De fato, Bella se tornou a menina mais popular do colégio, todos a adoram, querem tirar fotos com ela e a tratam como se fosse a indiscutível rainha do pedaço. Isso tudo porque esse é só o primeiro dia de aula, até o fim da semana, a moça terá sua própria religião.

Mas falando sério, que merda é essa? Supostamente, Bella deveria simbolizar a menina comum, que tem espinhas, que acorda com o cabelo ensebado de vez em quando, que não tem físico de modelo e como esta garota pouco marcante conquista o homem idealizado por quem todas as mulheres suspiram.

Ok, isso eu entendo. É um clichê, mas se bem executado pode gerar uma boa história.

O problema é que Bella em nada se parece com as meninas “excluidas” ou com o estereotipo delas. Ela é bonita, os pais a adoram, todos os garotos querem encaixar o Lego com ela, as meninas eventualmente a tratam como uma líder e conselheira… ELA NÃO É UM PATINHO FEIO, CARALHO!!! ELA NÃO REPRESENTA AS MENINAS NERDS QUE SÃO OPRIMIDAS PELA SOCIEDADE, ELA REPRESENTA AS OPRESSORAS!!! PUTA QUE PARIU DO PICARD!!!

Vocês sabem que eu sou apaixonado por morenas e lhes digo agora que tenho uma queda enorme por dentucinhas. Prova de quanto Bella é odiosa é que ela tem estas duas características e não sinto nem uma gota de atração por ela… fico enfurecido com sua existência, quero arrancar sua cabeça e usá-la pra jogar Criquete!

Sacripanta bestial!!!

Enfim, na hora da merenda, Bella está com seus amigos a sua volta, todos dizendo o quanto ela é perfeita, maravilhosa e deveria governar o mundo. Neste momento, um bando de emos pálidos chegam à cantina: são os Cullen, a misteriosa família que mora na cidade e bla bla bla, cuecas, lucros.

Bella não liga muito pra eles até que…

… ela vê um rapaz com cara de quem não caga há um mês.

Bella fica impressionada com o fato de encontrar alguém ainda mais constipado que ela nessa escola, o que a leva a fazer…

… Ahhh!

Que é prontamente respondido com…

… Ohhh!!!

Com personagens de tamanha eloquência, não deve ser difícil escrever uma saga dessas.

E com mil xavascas, por que esse filme é tão verde??? Quem filmou essa porra, Hal Jordan???

Mas o almoço não dura pra sempre e Bella vai para sua PRIMEIRA AULA desde que chegou nessa escola. O padrão escolar nos Estados Unidos deve ser tão bom que os alunos podem passar a maior parte de seu tempo no recreio e ainda assim aprenderem o bastante pro vestibular.

Por alguma razão, há um ventilador ligado. Claro, em um laboratório de química, a coisa mais racional a se fazer é espalhar possíveis gases tóxicos da maneira mais uniforme possível.

Como é uma cretina, Bella para em frente ao ventilador, para que seus cabelos esvoacem de forma dramática, neste momento…

… o rapaz constipado da cantina engasga com tamanha força que das duas uma: ou ele viu o Wesley Snipes, ou Bella soltou o peido mais potente do mundo quando estava diante do ventilador.

Sabe quando você tá com prisão de ventre e seus peidos saem ainda mais putrefatos que o normal? Então!

Sem escolha, Bella senta ao lado do único rapaz do mundo que aparentemente não quer comê-la. E ele a encara como se pretendesse…

Isso é cara de quê?

Não sério, não consigo interpretar que raio de expressão é essa. O que esse filho da puta quer dizer? Ele tá ansioso, nervoso, enfurecido, quer soltar um peido ainda mais metanoso que o da Bella pra mostrar que é o rei da manutenção intestinal nessa cidade? O quê?

E esse pato empalhado atrás dele, colocado estratégicamente pra simbolizar que ele é um anjo? Jesus, a única forma desse filme ser mais óbvio seria se ele fosse Europeu.

Cinema Europeu é óbvio. Não me encham o saco.

Bella segue o gótico que não caga e o encontra na secretaria. Ele quer trocar de matéria, mas aparentemente, todas as demais classes estão lotadas. Ele então fala em voz alta “terei de aguentar então” e passa pela garota, que faz uma expressão confusa e abobada.

Eu acho, Bella fica com a mesma expressão o filme inteiro, ela parece feita de cera.

Depois da aula, a menina vai ao restaurante da cidade com seu pai, onde é saudada pela garçonete que se lembra exatamente de qual era a sobremesa favorita dela quando criança e por um velho com cara de pedófilo, que pergunta se ela se lembra de quando ele se vestiu de Papai Noel e ela sentou em seu colo.

Ok, todos os moradores da cidade conhecem Bella e parecem ter vivido apenas para este momento, em que ela voltaria a morar na mesma região que eles. Este deve ser o lugar mais chato de toda a América.

De volta ao lar, a mãe de Bella entra em contato com sua filhota, pra saber se ela está bem.

 

Mas não… ela não está bem! Bella tem enormes problemas, tão gigantescos e devastadores que ela sequer pode discuti-los com sua mãe… de fato, ela bate o telefone na cara de sua progenitora, para não esmagá-la com o peso de sua amargura.

Sim… ela é a garota mais popular da escola, todos a amam, a economia da cidade gira ao redor dela…. AI DE TU, BELLA, COM TAMANHO FARDO PARA CARREGAR EM SUA EXISTÊNCIA!!!!!

No dia seguinte, Bella percebe que o emo lindo com asas de pato superimpostas não está junto dos demais emos.

E ela se indaga: “Oh?”

Aliás, a esta altura do filme sabemos mais detalhes sobre a família Cullen; são todos filhos adotados que aparentemente mantém uma relação incestuosa aceita numa boa por todos na cidade. O alvo dos “Oh’s” e “Ah’s” de Bella é Edward e todas as meninas do colégio já tentaram agarrar seu Poodle… sem sucesso.

Edward… bah. O chamarei de Cedrico daqui pra frente.

Enfim, Cedrico fica um tempão sem aparecer na escola, o que frustra Bella enormemente, pois ela quer confrontá-lo sobre por que raios ele a está evitando. Certas meninas não sabem tomar um fora mesmo.

Enquanto isso, na fábrica de Hello Kitty da cidade, um operário é atacado e comido por vultos.

Hmmmm, ok.

Mas isso não importa, pois a seguir vem minha cena favorita de todo o filme, que me fez recuperar a crença na existência de um Deus Todo Poderoso e misericordioso! Graças a ela, não tenho mais conflitos de fé!!!

Bella sai de casa, quando…


… ALLEYOOP!!!

ZIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIMMMMMMMMMMM!!!!

DEUS EXISTE!!! E ELE TEVE MISERICORDIA PARA COM TODOS NÓS!!!!!! HALLELUJAH!!!

CANTEMOS!!!

AMAAAAAAAZING GRAAAAAAAACE… nah naaaah… nah …nah…

Eu não sei o resto da música. Cantem aqueles que souberem.

Na escola, Bella recebe um convite de Jung Jonah Jameson para ir ao baile da escola, que é atrapalhado por um dos outros mongóis que está apaixonado por ela.

Eventualmente, Bella será convidada por todos os caras do seu círculo de amigos para ir ao baile, mas dispensará todos e os distribuirá para suas amigas. Ela inclusive aconselhará uma delas a tomar as rédeas e convidar o rapaz que gosta, pois ela é uma mulher e tem o poder.

Ok, seria uma mensagem feminista bem legal… EXCETO QUE VOCÊ TÁ TODA CHEIA DE SALIÊNCIA EMO POR UM SUJEITO QUE NÃO GOSTOU DO SEU CHEIRO, SUA VACA!!!!

Falando nisso…

… ele voltou pra aula!

Aí Bella, você não queria confrontar o lazarento? Vai lá, chama ele de bicha, o pai de coxinha a mãe de empadinha e diz que comeu os dois! Diz que a mãe dele é tão gorda que pra caber em foto, tem de ser fotografia aérea! Fala que a mãe dele é tão feia, que se colocar a cara na janela, vai presa por atentado ao pudor! Isso aí, esculacha esse emo!!!

NÃO! NÃO!!! NÃO SENTA DO LADO DELE E COMEÇA A FAZER TRABALHO!!! NÃO SEJA AMIGA DELE!!! VOCÊ NÃO DISSE QUE IA ENFRENTAR O CEDRICO? MAS POR QUE VOCÊ TÁ AJUDANDO ELE, SUA CRETINA FILHA DA PUTA!?!?!?

NÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃOOOOOOO!!!

Então…

OH!!!

AH!!!

Pelas barbas de Odin, depois os críticos reclamam que os filmes do Stallone são mal escritos.

Sabe o que é pior? Eu tenho uma amiga que é um amor de menina, mas que é a cara da Bella. Uma moça tão legal, eternamente carregando o estigma de uma escrota em seu semblante… o destino é muito cruel as vezes.

Agora que viraram amigos, Bella e Cedrico conversam sobre coisas de grande importância, como o fato de viverem em uma cidade eternamente nebulosa e fria.

A garota então percebe que os olhos de Cedrico são diferentes e pergunta se ele está usando lente de contato. Ele responde que não, na verdade…

32.jpg

É, ele simplesmente dá as costas e a larga sozinha no corredor. De alguma forma, isso faz com que Bella fique ainda mais obcecada por ele.

E quem criou esta série foi uma mulher. Te faz pensar, não?

Depois da aula, Bella está tão afundada em seu próprio mundinho egoísta que ignora tudo que ocorre a seu redor.

QUANDO DE REPENTE…

… UM CARRO DESGOVERNADO ACELERA EM DIREÇÃO A BELLA!!!

Meu Jesus amado!!! Ela tá parada com cara de má atriz!!! ELA NÃO CONSEGUE SE MEXER!!! ELA VAI MORRER ESMAGADA E O FILME VAI ACABAR!!!

Senhor, Senhor! Me garanta apenas isso! Eu prometo ir à igreja todos os Domingos e nunca mais terei pensamentos sujos e pouco Cristãos com robozinhas, oh Senhor, por favor…

Diacho!!!

Eu devia ter prometido não pensar mais em Furries também.

Bella vira pra Cedrico e quer saber como, quando, onde e por quê. Ele desconversa e se manda, pois tem trabalhos do Snape pra terminar.

Os demais emos não gostam do fato de que ele salvou Bella, o que demonstra que existem pessoas no filme que compartilham de minha opinião.

No hospital, o pai de Bella vê se ela tá legal e diz ao rapaz que quase a atropelou que “eles terão uma conversa muito séria depois”.

Oh-Oh!

O rapaz é negro… e o pai de Bella é policial de uma cidade do interior… acho que todos sabemos o que “uma conversa muito séria” significa neste caso…

De repente um médico pálido entra na sala, examina Bella e diz que tá tudo ok com ela. Claro que ele também é um Cullen, acho que todos sacaram isso de primeira.

Interessante que ninguem na cidade acha estranho uma família de Albinos que mora em uma mansão nos arredores do lugar. Mas se eles não ligam pros incestos cometidos entre eles, por que se importariam com a falta de melanina neles?

Depois da consulta, Bella se esgueira até o corredor…

… e escuta os emos pálidos conversando. Aparentemente, os demais tão meio chateados com Cedrico tê-la salvo e eu garanto, não são os únicos.

Bella diz a Cedrico que quer a verdade. Como o Chaves antes dele, o rapaz responde que “foram os energéticos” e tenta deixar por isso mesmo.

Mas Bella não aceita um não como resposta e resolve investigar a história a fundo.

No dia seguinte, ela relembra o acidente e tenta entender o que aconteceu.

Ou ela está se esforçando ao máximo para lembrar de suas aulas de interpretação e saber qual expressão deve usar para representar confusão.

Depois, a escola viaja até uma estufa, o que me traz boas lembranças sobre os passeios imbecis que meu colégio fazia quando eu era mais novo.

Fomos ao teatro uma vez, assistir a uma peça que começou com o aviso que uma das atrizes havia sofrido um acidente de carro naquela manhã e não poderia comparecer ao evento. Nada melhor para começar a manhã de um bando de moleques de dez anos do que com uma notícia traumática dessas.

E também foi a primeira vez que comi um alfajor! Sim, sim! Bons tempos!

Bem, na estufa, Cedrico continua bipolar, é gentil com Bella e a destrata logo em seguida, o que faz a saliência dela aumentar ainda mais.

No dia seguinte, na escola, a galera resolve organizar um passeio depois da aula. Um que não envolva caminhar por entre plantas e esterco em um local extremamente abafado e úmido.

Durante o almoço, Bella e Cedrico conversam mais um pouco e ela diz que pensou em algumas teorias para ele ter segurado o carro, talvez ele tenha sido picado por uma aranha radioativa… ou seja afetado por Kryptonita.

Você QUASE me fez sorrir, Bella. Se tivesse feito mais referências nerds ao longo do filme, eu a aceitaria como nerd e estaria do seu lado.

Mas NÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃO.

VACA!

Enfim, Ed… digo, Cedrico diz que “não é um herói, mas talvez seja um vilão” e some dramaticamente mais uma vez.

Ah bem… sem opção, Bella vai passear com os amigos depois da aula.

E eles vão à praia!!!

Sim claro! Em uma cidade sombria, fria, onde chove constantemente, surfe é a primeira opção de diversão que deve vir a mente de uma pessoa.

Bella não surfa… na verdade, ela não faz nada. Não lê, não assiste tevê, não pratica esportes, não caga, nada. Então ela fica dentro do carro agasalhada, enquanto os demais caem na água.

Considerando o frio que deve estar, apoio a decisão dela pela primeira vez no filme.

É quando Shark Boy chega com seus dois amigos, Thunder Hawk e Tonto. Bella tá de saco cheio de suas amigas emo (HA! Olha só quem fala) e decide dar uma caminhada na praia com Shark Boy.

É quando ela pergunta o que ele sabe sobre os Cullen. Shark Boy não conta muito, exceto que eles fizeram um trato com seu tataravô para poderem caçar em suas terras… há muuuuuuuuuuuuuuuito tempo atrás.

Shark Boy tá caidinho pela moça e tudo que ela faz é perguntar pra ele sobre outro rapaz. Em nome de Billy Batson, já passei por essa situação humilhante tantas vezes… mas se eu fosse um lobisomem as coisas seriam diferentes, aaaahhhh sim eu…

Oooops, spoilers…

*ARRAM*

Em outro lugar, um pescador está sendo espreitado…

… por uma loira…

… um descamisado…

… e um Rasta.

YA MON! RESPECT!

O Rasta diz a seus amigos que é deselegante brincar com a comida e o pescador é então violado analmente.

Depois que um Rasta fala uma coisa dessas, o que mais pode ter acontecido?

No dia seguinte, faz sol pela primeira vez em anos. A amiga de Bella tem orgasmos multiplos enquanto a luz a atinge e explica que sempre que faz sol, os Cullen não aparecem na escola.

Bella fica surpresa e estupefata, pois não terá como perseguir Cedrico implacavelmente hoje. Uma vez que ela não pode grudar feito um tumor no alvo de sua afeição… digo, curiosidade, a menina e suas amigas resolvem sair para fazer um programa só de garotas.

COMPRAS!!!! YUUUUUUPIIIIIIIIIII!!!!!!!

Novamente, quem escreveu essa história foi uma mulher. Que pérola do feminismo.

Bella fica de saco cheio com as compras, o que não impressiona ninguém. A essa altura do filme, já sabemos que não existe absolutamente nada no mundo capaz de entretê-la. Ao invés de ajudar suas miguxas a escolherem um vestido para o baile, ela decide comprar um livro que explique melhor que tipo de criatura Cedrico pode ser.

Ok, ela comprou o livro. Lembre-se disso, pois será importante mais pra frente.

Ao sair da loja, Bella é cercada por uma gangue de estupradores, porque todos sabem que grupos de homens ficam à espreita em parques, bem a vista de todo mundo, esperando para currar tontas que por lá passem.

Mas então…

K.I.T.T, a Super Máquina, aparece para salvar Bella!!!

Retiro tudo que disse!!! Crepúsculo acabou de se tornar o melhor filme de todos os tempos!!! Eu juro, mal posso esperar pra ver o David Hasselhoff descer a porrada nesses maníacos traçadores de loli…

Ah, era só o Cedrico.

Sinto-me tão enganado.

Enfim, Cedrico faz “WUUF” pros estupradores e os espanta. Então ele dá uma carona pra Bella e bufa a viagem inteira, dizendo que “deveria arrancar a cabeça de todos eles, malditos.”

Tá bom… com essa carinha de moleque você quer pagar de durão agora? Se fosse o Tom Selleck, vá lá, mas você é o Cedrico! Bastou você sair de cena que o Harry deu um pimba na sua namorada, faça-me o favor!

Os dois vão até um restaurante, onde ficam com ainda mais “OH” e “AH” e nada acontece. Bella quer saber a verdade e Cedrico então conta que é capaz de ler a mente de todos ao seu redor, exceto a da garota.

Eis que ela pergunta: “Tem algo de errado comigo?”

E Cedrico responde: “Eu acabo de dizer que sou capaz de ler mentes… e você quer saber se tem algo errado com você?”

Esta cena define com perfeição o quanto Bella é centrada em seu próprio umbigo… vaca egoísta do bucéfalo!!!

Então temos mais “OH” e “AH”.

Depois, ele dá uma carona até a Chefatura de Polícia, quando…

… seus dedos se tocam!

OH!!!

AH!!!

Na chefatura, o médico albino que apareceu no hospital avisa que o pescador que tava lááááááá atrás na história, foi encontrado morto. Ele era amigo do pai de Bella, então a menina faria muito bem em consolá-lo.

Ela coloca a mão no ombro do velho e diz “Sinto muito, pai!”

E esse é o máximo da empatia que essa lazarenta, miserável e pestilenta consegue gerar.

De volta em casa, Bella folheia o livro que encontrou e descobre a palavra “Cold One”, que sei lá como traduziram no livro e no filme por aqui, tampouco me darei ao trabalho de pesquisar.

Ok, a moça descobre a palavra no livro… prontamente o fecha e vai procurar no Google o que são esses seres.

SUA DÉBIL MENTAL DOS INFERNOS!!! VOCÊ COMPROU UMA MERDA DE LIVRO SOBRE O ASSUNTO E VAI FAZER A PORRA DE PESQUISA NO GOOGLE??? VOCÊ NÃO CONSEGUE VIRAR UMA PÁGINA DE PAPEL, SUA MALDITA??? SE NÃO TEM MOUSE E TECLADO VOCÊ É INCAPAZ DE TRABALHAR???

*COFF COFF*

Ack!

A cada minuto que passa, Bella faz de mim uma pessoa pior…

Seja lá como for, ela finalmente soma dois e dois e descobre que Edward é um vampiro.

PARABÉNS!!!! NINGUEM TINHA NOTADO!!!!! DÊEM UM PRÊMIO PRA ELA!!!

No dia seguinte, mais “OH”.

Mas Bella não está a fim de “AH”. Não senhor, ela quer confrontar o sujeito para que ele lhe diga TODA a verdade.

Para isso, eles matam aula e vão para a floresta.

Conheço muitos filmes pornôs que começam assim, mas estamos falando de Crepúsculo, então não vou me animar.

Lá, Bella diz que sabe que ele é um vampiro e que não contará nada para ninguém. mesmo assim, Cedrico tem um ataque histérico e tenta provar para Bella que é um monstro.

Como?

Ele a puxa pelo braço, o arranca e a espanca com seu membro decepado. Quando está semi morta, Cedrico grita “SECTUMSEMPRA”, a parte ao meio, então arranca seu agora exposto coração e o chuta para a estratosfera, é quando…

… ah… não… ele só carrega ela de cavalinho morro acima.

Eu preciso parar de achar que esse filme vai ter alguma boa cena de violência, viu. Mas o que quer que possa acontecer a seguir não pode fazer este filme descer ainda mais baixo na minha concepção.

Não é? NÃO É?

Ok, Cedrico vai até um feixe de sol na clareira, para mostrar a Bella o que acontece quando é exposto à sua luz… O QUÊ??? Vampiros explodem se entram em contato com o sol!!! O cara vai cometer suicídio na frente do alvo de seu afeto!!! Que cuzão, ele acabou de ganhar muitos pontos de respeito comigo!!!

Oh, sim! Esta cena tem tudo para recuperar minha fé no filme! Sim senhor! Sim se…

Os vampiros de Crepúsculo… brilham na luz do sol… como se… fossem cobertos… de diamantes…

*GASP*

Preciso de uma imagem que descreva esta cena de modo que eu jamais conseguiria fazer com palavras…

Sim… essa deve… servir…

*Respira fundo*

Muito bem, Cedrico começa um diálogo sobre como é um predador perfeito, criado para atrair presas como Bella e que ele sempre foi capaz de resistir a seus impulsos bestiais, mas perto dela, isso é muito difícil.

Mais ainda, ele diz que o sangue dela é uma tentação, como se a menina fosse sua heroína particular.

Taí, nunca tentei comparar uma moça a uma droga como forma de ganhar seu afeto. Vou tentar depois e ver se dá certo.

Então, temos um dos diálogos mais recitados do filme:

Cedrico: Bella, eu já matei pessoas.

Bella: Eu não me importo.

Ok, para, para! Para tudo!

Bella não é uma personagem nobre, capaz de perdoar os graves lapsos morais de seu amado, não senhor! Já ficou mais do que claro que ela é uma vaca egoísta e que enquanto a pimenta não estiver no rabo dela, ela tá pouco se fodendo.

Dessa forma, acredito que ela não se importa porque o Cedrico é bonito. Se ele fosse um cara feio, com certeza a resposta seria outra.

Aqui, façamos um teste:

Jason: Bella… eu já matei pessoas.

Bella: Ok… hã… certo. Olha, você um cara super legal, mas eu não quero arriscar nossa amizade… acho que a gente não devia mais se ver…

Infelizmente, jamais saberemos qual seria a resposta de Jason a isso. Não sei vocês, mas eu adoraria ver como ele reage a um fora.

Mas enfim…

Cedrico e Bella declaram seu amor um ao outro e como todo casal de adolescentes cheio de saliência que já entrou em uma floresta sem nenhum adulto em um raio de quilômetros, deitam no chão e olham de forma abobada um para o outro, sem fazerem absolutamente mais nada.

É.

Então vem o sol…

AAAAAAAAHHHHHHH MEU DEUS, ELE TÁ BRILHANDO DE NOVO!!!

NÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃO!!!

EU NÃO AGUENTO MAAAAAAAAIIIIIIISSSSSS!!!!

GAAAAAAAAAAAAAAHHHHHHHHHHHHHHHHHH!!!

IDEBUH!!!!!!!!!!

Cheers…

——————————

Parte 2 em breve, haha, provavelmente amanhã ou terça.

Agradecemos mais uma vez ao Blog do Amer por nos deixar postar este artigo!

Até a próxima, galere!

Giovanna.


Romantismo: o que nós já sabíamos – parte 2

(ou “Texto foda de uma hater digna”, vocês escolhem)

Bem, estou eu de volta com mais um texto. Quer dizer, MAIS OU MENOS. Ainda não tive tempo de fazer a análise que eu queria (já está iniciada, porém preciso terminar), mas achei que poderia trazer alguma coisa no estilo. Por sorte, achei esse artigo MARAVILHOSO da nossa amiga Jã, do fórum 6V (Seis Vassouras). E como ela autorizou que a gente postasse, não poderia perder tempo, porque realmente está MUITO bom. E texto bom, que pinique Twilight, deve vir parar aqui, com certeza.
A Jã é estudande de Letras e o artigo foi escrito como trabalho da disciplina de Literatura Brasileira. Em síntese, fala de um assunto que a Tammie já discutiu por aqui, no post “Romantismo: o que nós já sabíamos”. O texto da Tammie, maravilhoso por sinal, falava sobre as semelhanças entre Twilight e o estilo Ultra-Romântico da Segunda Fase do Romantismo no Brasil. O texto da Jã vai pelo mesmo caminho, mas o legal é que ela aborda outros aspectos “interessantes” em Twilight, como a fusão do grotesco/sublime e do medievalismo; e também aborda o movimento romântico no geral. Uma boa pedida para quem queria se aprofundar mais no assunto: agora, o post da Tammie ganhou um complemento XD
O texto, até por ser um artigo feito para a faculdade, pode parecer meio longo, mas eu garanto: LEIAM ATÉ O FINAL. Vocês vão gostar.
Jã, vou passar a bola pra você. Mas saiba que eu, particularmente, adorei o seu texto. MUITO OBRIGADA por nos deixar postar, viu?
Ah sim, deixa eu agradecer ao Bruno (Ran) também, que foi quem me passou o texto e intermediou o contato com a Jã. VALEU, PAPIS!

Beijos a todos

Lily

————————————————————————————————————————————————-

VAMPIROS MODERNOS E ROMANTISMO CLÁSSICO:

A RECEITA DA SAGA CREPÚSCULO[1]

 

Janaina Mari Cerutti[2]

RESUMO

            Este trabalho tem por objetivo mostrar os aspectos do Romantismo que foram retomados na saga Crepúsculo, da autora Stephenie Meyer. Para tal, foram analisados três personagens e suas características mais marcantes. Foi realizada a leitura das quatro obras publicadas, e de uma quinta, retirada da internet, em busca de tais características, que estão, de fato, presentes em todos os livros e determinam o comportamento e o futuro dos personagens.

1 INTRODUÇÃO

Os dados e conclusões apresentados neste trabalho têm por objetivo demonstrar em quais aspectos a saga Crepúsculo, de Stephenie Meyer, retoma o período literário Romântico. A saga, composta por quatro livros (Crepúsculo, Lua Nova, Eclipse e Amanhecer) além de um quinto, incompleto e não publicado por ter “vazado” para a internet, chamado Midnight Sun, apresenta características típicas do período Romântico, tanto em seus personagens, quanto no que eles representam. Para demonstrar tais características, foram analisados três personagens: Edward Cullen, Isabella Swan e Leah Clearwater, dois deles tipicamente Românticos, e um terceiro contraponto que foge a tal norma.

Ao longo do trabalho serão citadas e explicitadas quais característica têm presença mais forte, e de que formas tais características podem ser consideradas como parte do Romantismo clássico, em se tratando de uma obra contemporânea infanto-juvenil.

Por Romantismo, entende-se o período literário apreciado pela burguesia, surgido na Europa na época pós-Revolução Francesa, e que no Brasil coincide com a Proclamação da República, em 1889. Para este trabalho, fixaremos a análise nas características mais proeminentes do Romantismo que podem ser encontradas na saga de Meyer, tais como individualismo, idealização, sentimentalismo exacerbado, egocentrismo, fusão do grotesco e do sublime, medievalismo e byronismo.

2 CARACTERÍSTICAS ROMÂNTICAS

Realizando a leitura de qualquer dos quatro livros pertencentes à saga Crepúsculo, nota-se a presença de características do Romantismo. Estas características surgem ao longo do texto, mas podem ser melhor observadas se centradas em determinados personagens, que melhor explicitam estas características.

Começaremos pela exposição das características mais marcantes e apresentação delas em relação aos personagens.

2.1 Individualismo e Egocentrismo

Características marcantes do Romantismo, que tinha seu foco no ser humano e suas emoções particulares, o individualismo e o egocentrismo aparecem em Crepúsculo desde o primeiro capítulo, demonstrado na personagem Isabella Swan, protagonista da saga. Ao iniciarmos a leitura, o primeiro aspecto individualista já aparece: o livro é narrado em primeira pessoa, com quase nenhuma consideração ou menção ao que os demais personagens possam pensar sobre as cenas. O ponto de vista é exclusivamente da protagonista.

“Nunca pensei muito em como morreria – embora nos últimos meses tivesse motivos suficientes para isso –, mas, mesmo que tivesse pensado, não teria imaginado que seria assim. […] Sem dúvida era uma boa forma de morrer, no lugar de outra pessoa, de alguém que eu amava. Nobre, até. Isso devia contar para alguma coisa.” (MEYER, 2008, p.3)

No trecho acima, retirado da aba do livro, já se percebe como toda a trama é centrada apenas nos desejos, pensamentos e anseios da protagonista. Mesmo em frente ao que ela imagina ser a morte certa, ainda se destaca sua visão particular dos fatos. O desenvolvimento da personagem de Bella Swan é inteiramente individualista e egocentrista, mesmo quando ela interage com seu par romântico, Edward Cullen. Seus desejos sempre se sobressaem ao desejo dos demais, e suas posições sobre questões mostradas nos livros sempre ficam em primeiro lugar.

O protagonista masculino, Edward Cullen, também é um exemplo claro do individualismo. Antes de assumir sua atração por Swan, Cullen toma atitudes voltadas apenas para o que seria melhor para ele e sua família, em um segundo plano. No livro da saga não publicado por ter “vazado” para a internet, Midnight Sun, percebe-se ainda mais acentuadamente o traço individualista e egocêntrico de Edward. Seguindo o mesmo padrão dos quatro livros anteriores: centrado no personagem de Edward Cullen e contado em primeira pessoa, Midnight Sun mostra a personalidade não revelada de Edward quando vista de fora por Isabella.

“Eu me afastei dela com asco – revoltado com o monstro desesperado para tomá-la.

Por que ela tinha de vir até aqui? Por que ela tinha de existir? […] Por que esta humana irritante tinha de ter até mesmo nascido? Ela iria me arruinar. […]

Por que ela tinha de vir até aqui!” (MEYER, 2008, p.13)[3]

No trecho acima fica clara a maneira como Edward vê as pessoas – em especial os humanos – ao seu redor: detalhes em seu caminho, onde a única pessoa que realmente importa é ele. Mesmo o cuidado que ele tem para com a sua família nasce do desejo de se provar para seu pai adotivo, o vampiro que o transformou, Carlisle Cullen. Conforme o livro progride – tanto Crepúsculo, quanto Midnight Sun, que tratam do mesmo espaço temporal – a maneira como Edward vê Bella se transforma, mas tal transformação não ocorre por apreço a outros indivíduos em geral, mas apenas por apreço aos indivíduos que interessam ao protagonista da vez.

Nos demais livros da saga, as atitudes dos dois protagonistas podem ser vistas como notadamente individualistas e egocêntricas. O fim do primeiro livro, onde Bella e Edward fogem, não leva em consideração o estado emocional do pai da personagem principal, ou mesmo de sua mãe, ou amigos. “Repeti as últimas palavras de minha mãe quando ela saiu pela mesma porta tantos anos atrás. […] Minhas palavras cruéis fizeram seu trabalho – Charlie ficou paralisado na soleira da porta, atordoado, enquanto eu corria para a noite.” (MEYER, 2008, p.293-294).  Edward, ao decidir morrer no final do segundo livro, Lua Nova, pensa muito pouco sobre o impacto que sua morte teria sobre o restante de sua família. “Pensei que já tivesse explicado com clareza. Bella, não posso viver num mundo onde você não exista.” (MEYER, 2008, p. 411)

A um primeiro olhar, ambos os trechos usados como exemplos acima soam simplesmente românticos, mas as implicações de ambos são claras: o que importa para os protagonistas são os seus desejos e suas vontades, não a dos demais, mesmo que estas pessoas se importem com eles.

Com um sem número de exemplos nos cinco livros que contam sua história, os dois personagens demonstram de diversas maneiras que, apesar da maneira como são retratados, idealizados, característica que será tratada no próximo item de discussão, ambos estão centrados apenas em si, e naqueles que importam para eles, marca acentuadamente romântica.

2.2 Idealização

Traço que é o mais marcante durante toda a obra, a idealização dos protagonistas da saga Crepúsculo deixa algumas idealizações classicamente Românticas parecendo quase realistas em seus exageros.

“Foi ali, sentada no refeitório, tentando conversar com sete estranhos curiosos, que eu os vi pela primeira vez. […] A alta era escultural. Linda, do tipo que se via na capa da edição de trajes de banho da Sports lllustrated, do tipo que fazia toda garota perto dela sentir um golpe na auto-estima só por estar no mesmo ambiente. O cabelo era dourado, caindo delicadamente em ondas até o meio das costas. A menina baixa parecia uma fada, extremamente magra, com feições miúdas. O cabelo era de um preto intenso, curto, picotado e desfiado para todas as direções. […] Fiquei olhando porque seus rostos, tão diferentes, tão parecidos, eram completa, arrasadora e inumanamente lindos. Eram rostos que não se esperava ver a não ser talvez nas páginas reluzentes de uma revista de moda. Ou pintados por um antigo mestre como a face de um anjo. Era difícil decidir quem era o mais bonito – talvez a loura perfeita, ou o garoto de cabelo cor de bronze.” (MEYER, 2008, p.19)

O trecho acima é a primeira visualização da família Cullen com que o leitor das obras entra em contato. As descrições da autora são idealizadamente perfeitas, levando em consideração não apenas a beleza clássica mítica de vampiros em geral, mas principalmente referências a estilos de beleza da época atual, em que o livro foi escrito. A partir deste momento, a cada vez que os Cullen são de alguma forma citados – em especial Edward – é raro que não haja menções à beleza, riqueza, educação, porte ou bom gosto deste núcleo de personagens.  

Edward Cullen recebe mais adjetivos positivos em três páginas do primeiro livro da saga, Crepúsculo, do que alguns personagens em outras obras recebem no livro todo. “É o Edward. Ele é lindo, é claro, mas não perca seu tempo.” (MEYER, 2008, p.21). Ao longo da história, percebe-se que não apenas a sua beleza se destaca, mas também seu senso de humor, seu gosto musical, educação, força e coragem. Edward é perfeito e idealizado até mesmo em sua condição de vampiro: onde o mito clássico morre dolorosamente ao entrar em contato com a luz do sol, a espécie de Edward apenas brilha, com um efeito que Swan descreve como “uma miragem, lindo demais para ser real…” (MEYER, 2008, p.196). Além da beleza física, Edward também tenta se afastar de Bella a princípio, demonstrando indícios de um cavalheirismo que parece não estar presente em Midnight Sun, mas que aos olhos de Bella é encantador. Sua família também se afasta do mito de vilão vampiresco pelo fato de que não se alimentam de pessoas, mas sim do sangue de animais, sendo chamados de “vegetarianos”. Edward é um ser perfeito em todas as dimensões da palavra.

Já Isabella Swan, por outro lado, tem uma idealização que se julga não intencional. A obra, como já foi dito antes, é narrada do ponto de vista da protagonista, e da maneira como ela mesma se vê, Bella é sem graça e comum, pálida, magra, de olhos e cabelos castanhos, uma garota tipicamente normal. No entanto, todos os garotos da escola a notam quando ela muda de cidade. Seu amigo de infância, e rival de Edward pelo amor de Bella, Jacob Black, também a percebe como atraente e interessante o suficiente para que ele se apaixone profundamente. A maneira como ela é representada – retratada como comum através de seu próprio ponto de vista – atribui ainda mais uma qualidade à personagem: Bella não apenas é bonita como também é modesta. “‘Ela vai ficar deslumbrante.’ (Alice disse), Edward rosnou baixinho. ‘Ela sempre foi.’”[4] (MEYER, 2008, p. 285), este trecho, retirado do quarto e último livro publicado da saga, Amanhecer, demonstra um dos poucos momentos em que o ponto de vista principal está focado na opinião de outras personagens que não de Bella. Nele, fica claro que Edward já a via como bela antes mesmo de sua transformação em vampira, o que implica em beleza física, além de traços de personalidade favoráveis.

Um dos traços mais interessantes da idealização nas obras é não apenas a idealização que poderia ser vista como moderna – o gosto musical, as roupas, a riqueza, os carros, o padrão de beleza – mas também momentos em que a idealização transcende a época de Bella Swan, nosso presente atual, e alcança ideais de idealização verdadeiramente Românticos, como a amada intocada. Isabella tem de ser chantageada para que aceite se casar com Edward, mas casa-se virgem, com vestido de época em uma homenagem ao seu futuro marido. Não apenas aí reside este “envelhecimento” da idealização, mas Bella também demonstra grande aptidão para trabalhos domésticos. Em mais de uma ocasião, ela menciona que cozinha e cuida da casa para o pai, que antes parecia sobreviver de fastfood, como no trecho a seguir: “’Pode ficar para o jantar?’, Billy também estava ansioso. ‘Não, preciso alimentar o Charlie, você sabe.’ (MEYER, 2008, p.108)  Também em vários momentos, Bella chega a se dizer “culpada” por não cozinhar, ou realizar alguma outra tarefa doméstica, mesmo que seu pai insista que não há necessidade para que ela o faça.

Isabella Swan, como personagem, reúne características que soam como a conjunção das idealizações de todos os tempos: moderna, independente até certo ponto, mas por outro lado inocente e dada a tarefas domésticas. Bonita, mas modesta, inteligente, mas humilde, amigável, divertida e profundamente dedicada às pessoas que ama, não se importando em morrer por elas. Após a sua transformação, no último livro publicado da série, Bella alcança a idealização completa, onde além de todas as qualidades físicas de um vampiro, ela também parece ter uma afinidade natural com sua nova espécie, não tendo nem mesmo que se esforçar para não atacar humanos, ou sua filha recém-nascida, como é comum para vampiros recém-nascidos.

O casal central de Crepúsculo é a mais perfeita exemplificação da característica de idealização romântica, sendo eles considerados como casal, ou observando cada personagem separadamente.

2.3 Medievalismo

A retomada de feitos dos grandes cavaleiros da época medieval era uma constante em obras Românticas. Na saga Crepúsculo, ela aparece com frequência nas ações de Edward e Bella, geralmente sendo ação e reação de uma mesma sequência de eventos. Bella é uma personagem construída para ser a donzela em perigo e Edward, seu cavaleiro, sempre pronto para resgatá-la. A primeira vez que tal posição ocorre é ainda no primeiro livro da saga, em uma cena onde Edward resgata Bella de uma situação de perigo com desconhecidos. Depois do resgate, Edward, em uma demonstração da mais pura nobreza, deixa que os agressores vão embora sem machucá-los.

“Eu não ia cair sem levar alguém comigo. Tentei engolir para poder formar um grito decente. De repente faróis apareceram na esquina, o carro quase batendo no atarrancado, obrigando-o a pular para a calçada. Mergulhei na rua – este carro ia parar ou me atropelaria. Mas o carro inesperadamente deu uma guinada, cantando pneu, e parou com a porta do carona aberta a pouca distância de mim. ‘Entra’, ordenou uma voz furiosa.” (MEYER, 2008, p. 121)

Esta cena de resgate é apenas a primeira de uma cadeia de situações em que Edward resgata Bella de perigos diversos, inclusive de sua própria família. A partir do ponto de vista de Isabella, nos livros, ela soa como uma moça corajosa que tenta, ao menos, se livrar sozinha dos perigos. No entanto, quando o protagonista vampiro some de cena, um outro personagem encarna o herói perfeito – e de certa forma, também o mito do “bom selvagem”. Com o desaparecimento de Edward depois de resgatar Bella de ser atacada pelo seu “irmão” – ato que reforça a característica do Medievalismo em Edward – Bella retoma uma amizade com Jacob Black, um nativo americano que mais tarde se revela também um ser sobrenatural. Jacob resgata Bella não apenas física, mas emocionalmente em diversas ocasiões, colocando-o em lugar de destaque na obra como um todo. Perde-se, com a saída de Edward de cena, o herói classicamente europeu, mas o heroísmo característico do Medievalismo permanece em um traço tão forte quanto: o “bom selvagem”, Jacob Black, continua a resgatar a donzela em perigo, Isabella Swan. 

2.4 Sentimentalismo Exacerbado e Byronismo

Lendo a saga de Meyer, torna-se difícil encontrar algum momento dos livros em que o sentimentalismo exacerbado não apareça. Edward é um personagem conflitante, com emoções fortes sobre as questões mais simples possíveis. Suas reações a pequenos problemas do dia-a-dia tendem a ser absolutamente exageradas e fora de proporção. Isabella sofre do mesmo mal, e os dois personagens centrais parecem não conseguir ter um momento de paz e serenidade durante todas as cinco obras. Além do exagero sentimental, os dois personagens são dados a momentos de contemplação sobre a vida e o amor, sem o qual nada parece valer à pena.

Uma das maiores demonstrações de tais características são as reações dos personagens centrais aos acontecimentos do segundo livro da série, Lua Nova. Ao ver Isabella quase ser atacada por Jasper, um de seus irmãos adotivos e também vampiro, Edward decide ir embora e deixar Forks, para que Bella possa ser mais feliz sem os riscos que estar ao lado de um vampiro traz. A ação em si não parece ser algo trágico tanto quanto seria lógica. No entanto, a maneira como Edward a faz é carregada de sentimentalismo, dor e agonia. A maneira como Bella reage à partida de Edward também mostra o quanto a personagem claramente pensa não poder viver sem aquele que julga ser o amor de sua vida.

“Ele se fora. Com as pernas trêmulas, ignorando o fato de que minha atitude era inútil, eu o segui para a floresta. O sinal de sua passagem desapareceu de imediato. Não havia pegadas, as folhas estavam imóveis de novo, mas avancei sem pensar. Não podia agir de outro modo. Precisava continuar em movimento. Se parasse de procurar por ele, estaria tudo acabado. O amor, a vida, o significado… acabados.” (MEYER, 2008, p.64)

Em um dos momentos mais inspirados da saga, Meyer coloca a sequência de meses após a partida de Edward (outubro, novembro, dezembro, janeiro) em páginas separadas e, com exceção do nome do mês, também em branco, demonstrando claramente o vazio na vida de Bella agora que Edward já não está mais ali. A vida da personagem está total e completamente centrada em Cullen. Seu amor é tão verdadeiro e tão intenso que, sem ele, já não há mais razão para continuar, não há mais motivos para seguir em frente – sua vida se torna apenas uma página em branco, em que histórias não são feitas. O tempo apenas passa, mas Bella já não vive, porque nada mais parece valer à pena, quando Edward se vai.

Mesmo a melhora que Isabella tem de seu quadro depressivo não é feita em razão da superação de seu amor. Isabella, depois de retomar a amizade com Jacob Black passa então a arriscar sua vida constantemente, em uma lembrança dos tempos em que quando ela se arriscava, Edward a resgatava.

“Eu estava ansiosa para tentar de novo; agir com imprudência mostrou ser melhor do que eu pensava. Podia deixar a trapaça de lado. Talvez eu tivesse encontrado uma forma de gerar as alucinações – isso era muito mais importante. […] ‘Vá para a casa de Charlie’, ordenou a voz. Sua mera beleza me maravilhou. Eu não podia deixar que minha lembrança se perdesse, qualquer que fosse o preço. […] Tinha de ser essa a receita para a alucinação: adrenalina mais perigo mais estupidez. Alguma combinação parecida com essa, de qualquer modo.” (MEYER, 2008, p.151, 152, 153)

No trecho acima, retirado de Lua Nova, Isabella começa a se recuperar de seu quadro de depressão, mas reforça ainda mais a noção de que a vida só valia a pena ao lado de Edward. As “alucinações” a que ela se refere são o eco da voz de Edward em sua mente, que ela julga ouvir ao se colocar em perigo. Repetidamente, ela arrisca a sua vida apenas para ouvir a voz de seu amado.

Se Bella tem momentos byronescos, Edward é a própria personificação de tal característica. Abandona a amada pelo seu bem, mas sofre a tal ponto por ela que, ao ouvir que ela morrera, busca ele também morrer, certo de que a vida sem sua amada não valia de nada. Este traço fortemente marcado em Edward será mais explorado no próximo item de discussão.

2.5 Fusão do Grotesco e do Sublime

Edward Cullen é, para colocarmos de maneira simples, a representação perfeita desta característica romântica. Enquanto Isabella parece fugir deste traço em particular, já que até mesmo como vampira ela tem uma resistência maior à tentação de matar, Edward se sente culpado por tudo de errado que aconteça com aqueles com quem se importa por se julgar um monstro. Em uma das frases mais famosas da saga, “E então o leão se apaixonou pelo cordeiro.” (MEYER, 2008, p. 206), Edward já se coloca na posição em que permanece até o fim da saga: o monstro, o predador, na imagem de um anjo.

São inúmeras as referências de Edward à sua qualidade de “monstro”. Em um dos momentos mais pretensamente profundos da obra, Edward e Carlisle assumem ter uma discussão sem fim sobre a questão da alma imortal. Edward julga que, por ser um monstro – palavra a que ele recorre em diversas ocasiões – ele já não tem alma, e merece ser condenado. Este é, na verdade, um dos maiores argumentos de que Edward se vale para não transformar Bella em uma vampira: de que ela, ao ser transformada, perderia sua alma imortal, condenando-a ao sofrimento eterno que Edward imagina que o espera. Carlisle discorda desta concepção, mas nem mesmo com os argumentos de seu pai adotivo Edward se convence. Ele se imagina o monstro e predador perfeito, e sofre por isso infinitamente.

A contraposição de imagem idealizada e comportamento cavalheiresco com a auto-imagem de monstro que Edward cria perdura por todas as cinco obras lidas, e fica claramente evidente em Midnight Sun, em que sua imagem negativa é refletida através de suas próprias palavras.

“Eu sorri. ‘Bem, nós podemos tentar, eu suponho. Mas eu já estou avisando que eu não sou um bom amigo para você.’

Eu esperei pela sua resposta, dividido em dois – desejando que ela finalmente ouvisse e entendesse [que ele não era bom para ela], pensando que eu poderia morrer se ela o fizesse. Que melodramático. Eu estava me tornando tão humano.” (MEYER, 2008, p. 120)

Ao lermos a obra do ponto de vista de Edward não há, na verdade, um único trecho em que a maneira como ele se julga errado, monstruoso e perigoso não apareça. Seu principal referencial para esta auto-imagem é a época em que ele diz ter se rebelado contra a maneira como Carlisle e o resto de seu coven viviam, alimentando-se apenas de animais. Neste período, Edward decidiu alimentar-se de sangue humano – claramente mais “saboroso” do que o animal. No entanto, mesmo em sua rebeldia e comprovada monstruosidade, Edward não assassinava qualquer humano: ele se alimentava apenas daqueles que ele sabia serem mal-feitores, o que ele conseguia saber por ter o poder de ler mentes.

“’Sou o melhor predador do mundo, não sou? Tudo em mim convida você… Minha voz, meu rosto, até meu cheiro. Como seu eu precisasse disso! […] Como se pudesse ser mais rápida do que eu’, ele riu amargamente. Ele estendeu a mão e, com um estalo ensurdecedor, quebrou sem esforço um galho de sessenta centímetros de espessura do tronco de um abeto. Balançou-o na mão por um momento, depois o atirou numa velocidade ofuscante, espatifando-o em uma árvore enorme, que sacudiu e tremeu com o golpe. E ele estava na minha frente de novo, parado a meio metro, ainda como uma pedra. ‘Como se pudesse lutar comigo’, disse ele delicadamente. Fiquei sentada sem me mexer, com mais medo dele do que jamais senti. Nunca o vi tão completamente livre de sua fachada refinada. Ele nunca foi menos humano… Nem mais lindo. Pálida e de olhos arregalados, fiquei sentada como uma ave presa pelos olhos de uma serpente. Seus olhos adoráveis pareciam brilhar com uma excitação imprudente. Depois, com o passar dos segundos escureceram. Sua expressão aos poucos assumiu a máscara de uma tristeza antiga. ‘Não tenha medo’, murmurou ele, a voz de veludo involuntariamente sedutora. ‘Eu prometo…’, ele hesitou. ‘Nunca machucar você. Parecia mais preocupado em convencer a si mesmo do que a mim. ‘Não tenha medo’, sussurrou ele novamente enquanto se aproximava, com uma lentidão exagerada. Sentou-se sinuosamente, com movimentos deliberadamente lentos, até que nossos rostos estivessem no mesmo nível, a trinta centímetros de distância. ‘Perdoe-me, por favor’, disse formalmente. ‘Eu posso me controlar. Você me pegou de guarda baixa. Mas agora estou me comportando melhor.’” (MEYER, 2008, p.198-199) 

Fica claro em qualquer trecho que Edward mostre suas características de monstro que ele, na verdade, não o é. Ele é um vampiro, mas se alimenta apenas de sangue de animais selvagens. É um predador, mas mesmo quando matava humanos, matava apenas os maus. Deseja o sangue de Bella mais do que qualquer outro, mas nega-se a tomá-lo para preservar sua vida. Finalmente, é um ser sobrenatural com inclinações assassinas, mas tem beleza divina. Ele é, desde a sua composição até suas ações, a personificação deste traço romântico, unindo à perfeição o sublime e o grotesco.

2.6 Leah Clearwater e a negação do Romantismo

Apesar de a saga Crepúsculo ser profundamente Romântica quando se referindo aos seus protagonistas, há nela personagens que quebram de maneira brusca esses paradigmas. O maior exemplo deles é Leah Clearwater, uma personagem secundária de história interessante e quase trágica, mas que exatamente por não possuir traços caracteristicamente Românticos tem um fim não Romântico.

Leah aparece pela primeira vez na saga em Lua Nova, na página 197, quando seu nome é mencionado em referência à família de Henry Clearwater, que acabara de sofrer um ataque cardíaco. Parte do núcleo de habitantes de La Push, Leah tem uma história nada convencional: descendente indígena, ela perde o noivo – por quem permanece claramente apaixonada até o fim da saga – para a própria prima, quando tal noivo, depois de transformar-se em um dos defensores de La Push – um lobisomem -, acaba por ter o que no livro se define por imprinting, o encontro de sua alma gêmea, algo que os lobisomens não controlam, mas também não podem negar. Depois de perder o homem que amava para a prima que, segundo a autora, era quase uma irmã para ela, Leah ainda sofre um segundo trauma: Leah Clearwater, diferentemente das outras índias, torna-se uma lobisomem junto com os homens jovens de sua tribo. Com isso, ela perde a capacidade de envelhecer e amadurecer – e também a capacidade de gerar filhos.

Leah é uma personagem que é a antítese da idealização. Amargurada, sarcástica, geralmente revoltada e sempre com raiva, ela perde tudo que já quis ter e, até o fim da saga, não recebe nada em troca. Sua mãe, que acaba por perder o marido, termina a trama com o pai de Bella. Seu irmão mais novo, Seth, é um dos personagens que fica feliz ao se saber um lobisomem. Todos os demais personagens têm, de uma maneira ou outra, um final feliz – com a exceção de Leah. Leah é, na verdade, a única personagem de toda a trama que foge em absoluto de todos os traços Românticos. Não é estonteantemente bela, nem perdoa com facilidade. Não se encaixa no padrão de donzela em perigo, nem tampouco salva as pessoas pelo prazer de ajudar. Ela é, de certa forma, a personagem mais humana e real de toda a trama, não aceitando o sobrenatural como comum, não dando mais do que recebe em troca e, por isso, sua personagem paga o preço: em uma trama em que todos recebem o que merecem, Leah ganha apenas solidão, amargura e infelicidade, como fica claro neste trecho, de Amanhecer, “[…] Diga-me quem me quer por perto, e eu vou embora.”[5] (MEYER, 2008, p.169).

Um final não-Romântico, para a única personagem não-idealizada de toda a trama.

3 CONCLUSÃO

A saga Crepúsculo, da autora norte-americana Stephenie Meyer, é recheada de traços e características Românticas a ponto de quase poder ser classificada como uma obra deste período. Tais características são extremamente acentuadas em Edward Cullen e Isabella Swan, os personagens centrais da obra, mas manifesta-se também nos personagens secundários, como Charlie Swan, Jacob Black e o restante da família Cullen. Percebe-se que os traços de comportamento destes personagens são Românticos em sua essência, reunindo características das três gerações do Romantismo, mas seus finais tendem à terceira Geração mais urbana, com fins felizes. Percebe-se também que em um dos poucos personagens da saga que não seguem os padrões Românticos, Leah Clearwater, usada neste trabalho como contraponto a Isabella e Edward, o fim da personagem foge à norma Romântica exatamente como suas características o fazem.

Crepúsculo, Lua Nova, Eclipse, Amanhecer e Midnight Sun são um conjunto de obras modernas que retomam, abundantemente, traços do período literário Romântico.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

AGUIAR E SILVA, Vitor Manuel. Teoria da Literatura. Coimbra: Almedina, 1968.

Curso de Literatura. Disponível em: http://www.mundocultural.com.br/literatura1/index.html, acessado em 10 de junho de 2010.

MEYER, Stephenie. Breaking Dawn. New York: Little, Brown and Company, 2008.

MEYER, Stephenie. Crepúsculo. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2008.

MEYER, Stephenie. Eclipse. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2008.

MEYER, Stephenie. Lua Nova. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2008.

MEYER, Stephenie. Midnight Sun. Download em: http://dc152.4shared.com/download/61668259/aa60269b/Midnight_Sun_Ch_1-12.pdf?tsid=20100610-210625-67b64033, acessado em 10 de junho de 2010.

WIKIPEDIA. Disponível em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Romantismo#Caracter.C3.ADsticas, acessado em 10 de junho de 2010.


[1] Trabalho elaborado para a disciplina de Literatura Brasileira I.

[2] Aluno do 2.º nível do curso de Letras Português/Inglês da UPF.

[3] Tradução livre feita por Janaina M. Cerutti

[4] Tradução livre feita por Janaina M. Cerutti

[5] Tradução livre feita por Janaina M. Cerutti


PARABÉNS CORDEIROS!

GO GO EQUIPE!

GO GO EQUIPE!

Hoje, faz exatamente seis meses que o blog Twilight Haters Brasil iniciou suas atividades. E, para um grupo de amigos que não esperavam muita coisa, o blog, nesse meio tempo, conseguiu atingir nossas maiores expectativas. E muito mais do que isso. Por isso que, hoje, no nosso sexto mês de vida, decidimos não postar as estatísticas de quantos comentários temos. Muito menos nos gabar.

Vamos AGRADECER. A cada um que fez desse site, o TwiHaters, o sucesso que é.

“Muito obrigado :B
Bom, primeiramente nem sei se dava pra criar topicos mas eu precisava vir aqui agradecer eu nem sei pelo que agradecer mas é tão mais facil nao ser o unico a achar que o homem perfeito nao é um vampiro gay vegetariano que brilha *—-* E tambem queria dizer que o blog é o melhor que eu li esse ano com materias muito bem escritas e que dizem a verdade verdadeira que esse livro realmente nao serve pra, er, NADA .__.
eu nao sei como eu achei o blog, mas sei que parei tudo que eu tava fazendo e li textos enormes que exclareceram ainda mais a minha mente, tirando minha duvida por completo :)

voces todos sao fodas, pessoal :DD”
(Johnny, 18/02/2009, comunidade Twilight Haters BR)

“Ditto.
Rapaz, tô pra achar alguma coisa mais legal (leia-se FODONA) do que “O que é melhor que Crepúsculo” (mamãe deixava eu assistir Digimon mesmo sendo coisa do demo, oi). Isso sem falar na ”lindemberg e edward cullen”.

Enfim, vocês são fantásticos.

And I love you more than blood (L)”
(Maria, 18/02/2009, comunidade Twilight Haters BR)

“Nossa, a do lindemberg foi ótima….o texto falava um bando de coisas que eu já tinha pensado tbm..muito bom..e os outros também..todos são muito bem escritos, tem conteúdo e sentido..não é apenas uu..como ele é lindo..
uu..eu morreria pelo Edward..uu..e esse blá, blá, blá cansativo…

Apesar de gostar de Crepúsculo (não fanática é claro), estou sempre indo no blog e conferindo os posts…são muito bons…Nem todos eu concordo completamente, mas tenho que dar parabéns aos escritores deles…”
(Manu, 04/03/2009, comunidade Twilight Haters BR)

“ja aproveito pra agradecer aqui
Por criarem um blog tão bom que escracha o livro que difamou o vampirismo… ^^! vlw! ainda tive a oportunicade de acabar com as lovers no meu ultimo post do blog, eeu sempre quis fazer isso! *-*~”
(Schrodinger~Road, 09/03/2009, comunidade Twilight Haters BR)

“ja aproveito pra agradecer aqui [2]
Meu deus, obrigado por me mostrarem que eu não sou a unica criatura do mundo que não gosta de Twilight. Já tava me sentindo uma alienigena perto das minhas amigas amantes do Cúllen. O blog é uma parada obrigatória no meu dia-a-dia xD”
(Leila, 30/03/2009, comunidade Twilight Haters BR)

“ja aproveito pra agradecer aqui [3]
até que enfim, achei que eu estava sozinho nessa tambem, poxa ainda bem que encontrei o blog ein, eu ja tava ficando doido com aquele monte de lovers pre adolescentes sem cerebro do meu msn, achei que eu era um dos poucos que desprezavam aquele vampirinho gay que brilha e sua turma :D”
(Jean, 05/04/2009, comunidade Twilight Haters BR)

“caramba, entrei na comunidade porque adoro twilight haters, apesar de ser uma fã. é bom saber que existem pessoas que saibam expressar seu desagrado de forma não agressiva nem ofensiva, afinal todos têm direito a não gostar de algo e dizer na cara mesmo! eu até posso ser fã da saga (bem, não de toda a saga), mas pelo menos eu tenho olhos e bom senso, e sei que twilight não é o que chamamos de ‘bom livro’, eu sempre soube disso, a única coisa que me prende nessa série é um único personagem, e certamente não é o sparkle boy, edward cullen O-O
além do mais, eu morro de rir com os posts. :D”
(Bruna Arbid, 23/04/2009, comunidade Twilight Haters BR)

“ja aproveito pra agradecer aqui [4]
uma amiga me mostrou o blog, céus, vocês são foda!”
(Dane, 06/05/2009, comunidade Twilight Haters BR)

“Também vou agradecer aqui =p
Não só por fazerem o blog e se expressarem e mimimi, isso dá pra fazer pelo orkut xP
Mas porque vocês são GENIAIS xD
sahusahushaushaushaushausha
Conseguem zoar os livros, os fãs, os sites e me fazem rir MUITO, MUITO MESMO xD
Ainda não li todos os artigos do blog, mas me divirto muito por lá xD”
(Arthur, 21/05/2009, comunidade Twilight Haters BR)

“HAAATERS <3

Também sou fã – e até uns tempos atrás era mega fã – e só tenho que agradecer por todos os tópicos e posts do blog. Obrigada por terem me feito enxergar os defeitos do livro, obrigada por terem argumentos, obrigada por terem melhorado minha escrita (afinal, costumava cometer muitos erros que vocês apontaram) e obrigada por terem me tornado uma pessoa mais crítica com relação a livros/etc.

E, principalmente, obrigada por terem me feito conhecer o Pollito mega divo, super refinado em filosofia e engenharia! =D”
(Yolanda, 29/05/2009, comunidade Twilight Haters BR)

“Quero agradecer também…
Eu me sentia muito só antes de conhecer essa comu… cheguei até a fingir que gostava de twilight por um pequeno período de tempo, mas não consegui mais mentir pra mim mesma, então fiquei à parte da sociedade…até que encontrei vocês.Obrigada”.
(Lara, 01/06/2009, comunidade Twilight Hater BR)

“Se é momento agradecimento, então aqui vai o meu: obrigado por me mostrar os defeitos da série, e por me ajudarem a mudar de ambiente, já tava ficando cansada de algumas das acéfalas na comunidade twilight”.
(Bia, 22/06/2009, comunidade Twilight Haters BR)

“Ahm, vou dizer também u.u
No começo eu fui visitar o blog de besteira, mas foi só ler as postagens que já favoritei *-*
Me mostraram o quando o Edward é bisha, o quanto a história não tem conteúdo, o quanto Digimon é melhor, que não há vampiro nenhum por lá… enfim. E tudo isso sendo engraçados :B Então, obrigada por me transformarem em uma fã
mais sensata a cada dia ^^”
(Libby, 01/07/2009, comunidade Twilight Haters BR)

“digno mesmo ^^
aliás, o blog inteiro é digno de palmas .. me divirto lendo os posts :)”
(Bibiana, 15/07/2009, comunidade Eu Odeio Twilight)

“Olá,
 
Meu nome é Sara, tenho 14 anos e acompanho o Twilight Haters Brasil há pouco tempo, mas já estou completamente apaixonada pelo blog! Os artigos são bem escritos, cheios de argumentos bem construídos (sem ‘mimimi’) e alguns são até engraçados. Os posts sobre o lado obscuro da série e a comparação entre Lindemberg e Edward me deixaram sem palavras!
Obrigada por fazer meus dias melhores com o Twilight Haters Brasil, que é como uma luz no fim do túnel para nós, haters, que escutamos ‘Edward é o homem perfeito’ diariamente.
 
Grata pela atenção ^_^”
(Sara, 15/03/2009, por e-mail)

“eeu acho que o blog é sensacional, e consegue argumentar sem as palavras de baixo calão e a modinha do não-quero-gostar-de-modinha.
Eu acho os argumentos de vocês super válidos, e GO GIRLS! Continuarei acompanhando assiduamente”
(Gabriela, 27/03/2009, por e-mail)

“Sem querer conheci o Twilight Haters Brasil e depois que li o blog inteiro, eu achei o trabalho de vcs muito bom xD

A equipe apresenta argumentos muito válidos a respeito da obra, explicando com motivos convincentes o porque de não gostarem dos livros. Como diria minha amiga que adora o livro: “Na verdade a mais motivos para não gostar do que gostar”. No que eu concordo inteiramente. Sempre dou uma passada no blog de vocês para ler alguns textos ótimos! (adorei quando compararam Digimon a Twilight =P)

Bem, é isso. Só queria mesmo contar sobre o que acho dos livros de SM e dar parabéns pelo belo trabalho!”
(Júlia, 02/05/2009, por e-mail)

“Bem, Twilight teria acabado para mim se não houvessem os filmes. Mesmo com todas as falhas dos livros, eu continuei sendo uma lover. O Twilight Haters Brasil me mostrou o que eu não queria ver: Meyer escreveu uma séria que inacreditavelmente fez sucesso, mas no fim, tem um conteúdo pobre. Virou modinha e a maioria das pessoas a aderiu. Os lovers fanáticos são a vergonha da minha existência, eu não aguentou mais ouvir: “EDWARD, LINDOOOOOOOO, PERFEITOOOOOOO, ME MORDE!”.
Eu falava muito de Twilight no início do ano, mas ao entrar no Foforks (site de Twilight), minha visão começou a mudar. Quer dizer, que site mais INÚTIL! Eles resolveram discutir sobre o novo corte de cabelo da Kristen Stewart! O que isso tem a ver com New Moon? NADA! Enquanto, por exemplo, Harry Potter tem sites como Potterish, Oclumência e ScarPotter, Twilight tem Foforks e Twilighters.com, dois sites inúteis que me lavam a clonclusão de que não há notícia relevantes sobre Twilight, porque simplismente a série não tem nada, nada que nos atraia, nenhuma novidade, nada por ansiar além dos filmes. As maiorias das fanfics de Twilight são UA por falta de conteúdo.

Eu não sei como continuo a ser uma lover. Só se que o blog Twilight Haters Brasil abriu meus olhos. Ainda por cima, vocês criticam a série de Meyer com humor, um humor que me faz rir e até cair da cadeira (sim, eu costumo cair da cadeira frequentemente, porque ela é de rodinha, aí ela desliza pelo chão do escritório e eu desabo no chão)”.
(Marina, 03/07/2009, por e-mail)

“Magnífico, vocês não tem ideía de como estou aliviado em achar o blog de vocês.

É ótimo ver que no meio de adolecentes estúpidos e superficiais, culto a beleza e um mídia que não me trata como ser pensante; ainda dá para achar pessoas que tem um  mínimo de filtro crítico e conseguem tratar tudo isso com muito bom humor”.
(Renan, 13/07/2009, por e-mail)

“Primeira vez no site, amei os posts e coments”
(Cee, 24/07/2009, comentário em “Depois de Época, Abril owna Meyer sutilmente”)

“Sinceramente, eu tenho que confessar. Eu gosto de Crepúsculo. Mas o Twilight Haters está catalogado nos Favoritos do meu computador, e lá permanecerá por mais um bom tempo. Acho extremamente sadio as críticas construtivas do site e as risadas que vocês nos proporcionam!”
(Gabis, 24/07/2009, comentário em “Fãs de toda forma. Ou será que não?”)

“E adorei seu blog pq mostra os defeitos dessa obra q para pessoas literariamente falando ignorantes como eu nao conssiguiam enchergar !!!”
(*, 22/07/2009, comentário em “Queimando os sutiãs – parte II”)

“Eu era lover antes de conhecer esse blog. Muito obrigada Twilight haters, vocês me tiraram da vida maldita da Meyer ?”
(Mariana, 21/07/2009, post “Fãs de toda forma. Ou será que não?”)

“No mais, parabéns pelo blog, vocês [de um modo geral] estão escrevendo muito bem, exceto por alguns lovers que sequer se valem de argumentos para expor o que pensam”
(Sara, 19/07/2009, post “O que é melhor que Twilight”)

“Mas, enfim, adorei o post. Esse site é MARA! Continuem postando…”
(Malu, 08/07/2009, comentário em “Queimando os sutiãs – parte II”)

“texto ótimo, comentários ótimos.. meu deus, eu amo esse blog! hahaha”
(Monique, 07/07/2009, comentário em “Depois de Época, Abril owna Meyer sutilmente”)

“não posso nem reclamar de achar com facilidade um site como esse.
E quanto ao site, não li tudo, mas sei que vou rir e concordar com muita coisa, mas com críticas coerentes e fundamentadas. Outros haters que não saiam só colocando todas as fãs no mesmo saco, porque eu respeito quem não gosta e TEM motivos, conhece e sabe o que diz, e saiba que nem todas topam estourar os tímpanos do cast do filme ou chorar e postar no youtube a reação de um trailer”.
(Jaqueline, 24/06/2009, comentário em “Pérolas Externas”)

“Eu quero dar parabéns ao blog.

É muito melhor que muitos outros sites contra Crepúsculo que o único argumento é vempiro brilhante (Ok, é um argumento bem “concreto” xD)

Mas enfim, não é só

“Fã: “AaMuX EdYUuyAyRdu, Vu CAsA cUm EiE!”
Hater: “Você é um idiota, vai te catar e beijar uma foto do Edward onde não irrite ninguém”” como tantos outros sites assim”
(Be, 23/06/2009, comentário em “O que é melhor que Twilight”)

“eu adoro criar histórias de todo o tipo…e ha um tempo que ando com ideias vampìricas lol so que abureço-me com facilidade em procurar sites e ler para obter mais informaçao… e… sinceramente…. parabens! consegiu cativar a minha atençao e leitura até o fim! obrigado por ter criado um blog tao simples e bem esplicado!
ajudou-me muito

ESTÁ ALTAMENTE!!!!!!!!!!”
(Lice, 20/06/2009, comentário em “Vampiros: Onde a Meyer Errou”)

“Eu, Beatriz Helena, lover assumida, às vezes sinto vergonha alheia por certas “fãs”. Porque pra mim ser fã de alguma coisa é ADMIRÁ-LA, não ter uma obsessão por ela. Tem um vídeo no YouTube com a reação de duas garotas ao ver o trailer de New Moon. Rídículo. Crises de choro? Aposto que os fãs mais obcecados de Dom Casmurro não tiveram essa reação ao ver uma propaganda da minissérie Capitu. Parabéns pelo site, vocês têm argumentos inteligentes pra debater conosco. Pena que a maioria das fãs não sabe responder à altura”.
(Bia, 18/06/2009, comentário em “Pérolas Externas”)

“Até gosto da série Crepúsculo, mas é indiscutível o fato de que Smeyer definitivamente promoveu um atentado contra a concepção clássica de vampiros. Brilham como milhares de diamantes incrustados?! Carlisle ser filho de um pastor, e possuir uma CRUZ GIGAENORME em casa?! MEPOUPE! Parabéns aos organizadores do site, pela inciativa anti-alienação! :)”
(Patrícia, 13/06/2009, comentário em “Vampiros: Onde a Meyer Errou”)

“O meu primeiro comentario nesse site.
Eu ja conheço esse site faz um tempo mas nunca tinha comentado.
Parabens pelo site, eu ja usei muitos argumentos daqui pra poder discutir com as lovers.
Eu confesso que ja fui masoquista por ter conseguido ler os 4 livros e esse site me ajudou e muito!”
(Marcus M., 07/06/2009, comentário em “MAD apresenta: Prepúcio [Toalete])

“Adorei esse site! ótima comparação com digimon, que eu tbm adoro.. Eu sou fãn de Twilight… li os 4 livros, em 4 madrugadas.. baixei na internet e li todos, eu leio rápido não consigo evitar, mas depois eu re-li o mais devagar possivel.. xD

Apesar de já ter reparado em bastantes erros em Twilight, esse site abriu meus olhos para muita coisa.. não digo que virei uma hater, mas adorei ter um novo ponto de vista para pensar.. eu nunca fui muito critica, pois quando começo a ler uma história, ver um filme, coisas assim, eu acabo me envolvendo neles, sendo bons ou não.. e Não consigo me colocar pra fora e analisar melhor.. mas ultimamente eu tenho melhorado isso.. asuhaush acho que após ver esse site eu vou conseguir analisar bem melhor Twilight.. esse site já está nos meus favoritos. eu ri tanto com vocêis, adorei aqui.. vou dar uma passadinha sempre que tiver um tempoo..”
(Danda Jabur, 04/06/2009, comentário em “O que é melhor que Twilight”)

“Pro incrível que pareça, há uma fã de Twilight aqui. E eu sou muito viciada, to surtando pra estréia de New Moon e o caramba. Mas pensando bem, vocês falaram tudo com razão.
E Meldels, o que eu ri aqui foi incrível. Eu não terminei de ler ainda, por isso eu vou imprimir e ler amanhã na escola. Se der, vou passar pra minha amiga que é mais viciada em Twilght do que eu.
Meow, meus parabéns. Agora eu vejo os defeitos da Meyer, mesmo ainda amando Twilight *-* Acho que em site de haters não se deve falar isso :X
Bjss ;*”
(Marina, 04/06/2009, comentário em “Ripando Twilight: a coisa é PIOR do que parece!”).

“Me fez odiar ainda mais Twillight. ADORO AQUI”
(Isa, 28/05/2009, comentário em “Verossimilhança e Twilight”)

“Adoro esse blog! ^^”
(Andrey, 26/05/2009, comentário em “Como escrever um livro”)

“Vocês estão de parabéns pelo blog. Adorei”
(Andrey, 25/05/2009, comentário em “Meyer não é a dona da Verdade”)

“Gosto de Crepúsculo. Sim. Mas… TOTAL concordei com esse post. Vcs escrevem super bem e utilizam argumentos perfeitos. Estão de parabéns, sério msm! Crepúsculo é mto sem lógica… Para as fãs: Vão ler HP ou Meg Cabot ou qualquer outro livro e vcs verão o que é bom de verdade”.
(Lilly, 23/05/2009, comentário em “Verossimilhança e Twilight”, às 15:47)

“Olha bem, gosto de TWILIGHT, mas como um tipo de livro que você lê se nao tiver mais nada pra fazer. E, sinceramente, essa foi a coisa mais nojenta e sem lógica que já li em toda a minha existência. Prefiro nem imaginar a procaria que essa cena é, senão eu não vou conseguir dormir.

Mas, parabéns, rolei de rir dos comentários. Very good, continuem assim! Esse site é muito bom…”
(Lilly, 23/05/2009, comentário em “Ripando Twilight: a coisa é PIOR do que parece!”, às 13:53 – sim, somente duas horas antes do outro)

“amaaava isso ;O

agooooora tenho nooojo dissso!

Abriiiram meus olhos, TEENKIU :D:D:D”
(Anna, 21/05/2009, comentário em “Ripando Twilight: a coisa é PIOR do que parece”)

“Geniais, vocês são geniais”
(Maria, 21/05/2009, comentário em “Ripando Twilight: a coisa é PIOR do que parece”)

“CARACA, eu simplesmente AMEI o blog de vocês *–*’ eu coloquei o link no perfil do orkut, espero que não se importem :# até falei mal de crepúsculo umas 465465465465 vezes no meu blog, mas a idéia de criar um só pra isso é genial. E vocês conseguem, como pouca gente, apresentar argumentos,plausíveis e inteligentes ;D tão de parabéns :D”
(Ana, 18/05/2009, comentário em “O Lado mais Obscuro de Crepúsculo”)

“os haters são de fato infinitamente mais divertidos!”
(Carol, 16/05/2009, comentário em “Viúvos de Twilight -q”)

“Sou fã de twilight e resolvi ler esse blog só por curiosidade,e para criticar duramente seu conteudo,mas após ler essa lista de argumentos bem elaborados – que incrivelmente não usa linguagem agressiva- que me fizeram pensar e desistir do plano original.Parabéns Yolanda!Seu blog é muito legal,alem de respeitar pensamentos diversos…aaaaa,por favor continue escrevendo!!!”
(Bya, 03/05/2009, comentário em “Extra! Extra! Mais uma fã sensata, EXTRA!”)

“Sabe que adorei isso aqui. haha
E olha que eu gosto dos livros, gosto mesmo.
Mas sério, vocês são mto bons no que fazem. Tô passada!! Críticas construtivas e todas super fundamentadas”
(Marta, 26/04/2009, comentário em “Respondendo como se deve”)

“Gostei do seu blog, por enquanto li só essa reportagem, mas gostei muito. Parabéns pros donos também. o/”
(Mione, 22/04/2009, comentário em “O que é melhor que Twilight”)

“Enfim, gostei muito do blog. E sinto dizer que estarei passandop por aqui sempre. 8D

Até!”
(Nanda, 21/04/2009, comentário em “As inspirações da nossa querida”)

“Ah, vocês tão de parabéns! Depois de séculos (nem tanto tempo assim ¬¬’), lendo esse blog assiduamente finalmente eu criei vergonha na cara e vim comentar! HAUAHUAHAUHUHUAUAHUAHAUAHUA”
(Nane-chan, 20/04/2009, comentário em “Cullenismo: E nós é que não temos o que fazer…”)

“esse blog eh um refúgio pra sanidade juvenil
MUITO OBRIGADA”
(Reh, 19/04/2009, comentário em “Verossimilhança e Twilight”)

“Esse foi o melhor post do blog, sem dúvida hahahahaha!
Indiquei o blog de novo, só pelo prazer disso.”
(Legião, 16/04/2009, comentário em “Verossimilhança e Twilight”)

“Parabéns meninas \o
Tá eu gosto dessa porcaria aí… é uma boa distração e me fez conhecer pessoas INCRÍVEIS e que não são fan-girls idiotas :)
Claro que eu não posso negar, Meyer vai escrevendo o que vai vindo na cabeça dela, ela não escreve um livro, ela escreve uma fanfic. Sem uma continuidade lógica. Eu ainda não li BD, mas pelo que vocês falaram é o pior, é onde Meyer termina de cavar sua cova.
Ainda tenho medo de lovers. Muito medo ;x
E começo a admirar vocês.
Mais uma vez, parabéns!”
(Danne, 14/04/2009, comentário em “Verossimilhança e Twilight”)

“Bah, parabens conheço o blog desde o início e devo agradecer muito a vocês!

Confesso que eu li os 4 livros e meio, assisti o filme 3x no cinema e quando eu li esse blog de mente aberta, tudo fazia sentido e hoje sou um hater de carteirinha!

Obrigado!!”
(Vinícius, 06/04/2009, comentário em “Estaticando”)

“Sensacional o BLOG, achei perfeito o tom descontraído, mas centrado, de escrever. Nota 10, vou ficar de olho”
(Vinícius – diferente do acima, 03/04/2009, comentário em “O que é melhor que Twilight”)

“quando eu descobri esse blog (recomendaram lá na comunidade HPB) eu realmente adorei, ri muuuuuuuuuuuuuuuuito do catálogo do Crepúsculo, mostra como o livro realmente é tolinho e sem conteúdo, li o blog todo praticamente, constatei que os Cullen definitivamente não são vampiros e realmente levo a sério a teoria de que Bella e Ed sofrem de amor patológico.
Depois desse blog, quase virei hater hahahah. adorei esse blog (apesar de não ser hater, mas apresentar MUITOS sintomas de hater).
Boa sorte aí e continuem assim (de repente eu viro hater, já leio até charges hater [e as salvo no computador]) \o/”
(Carol – na época, ainda “I´m not a Hater”, 02/04/2009, comentário em “BLOG NOVO!”)

“Sou fanática por Twilight, confesso. Mas acho esse blog genial e adoro. Mesmo”
(Priscila, 30/03/2009, comentário em “Respondendo como se deve”)

“Particularmente,gostei do blog de vocês ,a maioria das coisas que vocês falam,faz sentido”
(Lili, 24/03/2009, comentário em “Fale conosco”)

“Eu fui uma fãzona no começo, mas olha, vou ser sincera, o blog abriu meus olhos (?) e agora… não vou dizer que odeio a serie, a s-meyer e sua burrice para com o sistema digestorio da pessoa e tal, mas comecei a encarar o lance de outra forma, isso é que é legal. parabéns pelo blog, vocês aí :)”
(Juliana, 18/03/2009, comentário em “O que é melhor que Twilight”)

“Esse blog é a luz, fato”
(Juliana – a mesma acima, 18/03/2009, comentário em “Ser uma Fangirl segundo Hayley Williams”)

“O site é maravilhoso e adoro o modo como exploram as coisas!

E da para perceber pelas vossas informações pessoais que quem vos chama de burras/os n sab do q fala!
Adoro o site! Continuem assim ;)”
(Rita, 14/03/2009, comentário em “Os Leões”)

“Indiquei o Blog para o Prêmio Selo Dardos de Reconhecimento.
+ informações :
http://www.anos60.wordpress.com
um abraço”
(Edi, 08/03/2009, comentário em “Queimando os sutiãs…”)

“Primeira vez no blog! Vim pra dar uma olhada em alguns posts q me recomendaram, e gostaria de parabenizar toda a equipe! Eu também sou muito crítica, e gosto de ler críticas bem fundadas e elaboradas como as de vocês. Eu fiquei chocada, pasma, em como as pessoas estão ignorantes hoje em dia. Mas depois de ler o blog de vocês eu me sinto redimida e plena. O mundo não está perdido, afinal!

Muita coerência, boa percepção, com doses perfeitas de ironia e humor negro! Simplesmente A-MEI!”
(Lizzie, 07/03/2009, comentário em “Até Maurício Ricardo…”)

“Mesmo gostando de algun personagens da séire e comprando os livros tenho que admitir que o site de vcs é 10!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Não sou um hater nem tampouco um lover, mas gosto de críticas construtivas como as que vocês fazem e me divirto!!”
(Viny, 05/03/2009, comentário em “Pérolas Internas”)

“Eu morro de rir COM vocês e NÃO de vocês. O site de vocês é realmente um ‘achado’ . Adoro o humor do Blog!!”
(Roze, 02/03/2009, comentário em “FAQ”)

“Leio de tudo um pouco, mas com um gosto particular, com a mente aberta e sempre muito crítica ao que estou lendo. E é isso!!

>>>>>De novo, o blog de vocês é 10!!”
(Roze, 02/03/2009, comentário em “Respondendo como se deve”)

“Sou fã de Twilight e confesso que adoro visitar o blog e ler a opinião dos Haters. Eles mostram os defeitos da série (sim, eles existem, caramba) e eu, como escritora (muito) amadora, gosto de ver os erros apontados por eles (e justificados) para não cometê-los em minhas histórias. Então, primeiro de tudo: parabéns pelo blog!”
(Yolanda, 20/02/2009, comentário em “Respondendo como se deve”)

“Twilight Haters,

Entendo perfeitamente vocês. Procuram fazer boas críticas e no final aparece um anencéfalo falando “migunês” (assim que escreve? rsrs) sem argumentos.

Enfim, gostaria de dizer que já li toda a série de Meyer, li todas as matérias desse blog e gostaria de parabenizá-los pelo excelente trabalho. Posso não concordar com algumas críticas, porem reconhece que Crepúsculo tem várias falhas graves, principalmente por afetar meninas adolescentes.

Mais uma vez parabéns e continuem a escrever, adoro as matérias”
(Vinícius, 20/02/2009, comentário em “Respondendo como se deve”)

“Okay, sempre quis comentar aqui mas nunca sabia o que dizer, então vou aproveitar esse post e falar que, primeiro, esse blog é genial. Acompanho sempre que posso, e fico feliz de saber que eu não sou a única que penso dessa forma sobre Twilight. Parabéns, mesmo! E vou agradecer também às fans que comentam aqui UHAUAAU Ou em alguma comunidade de Twilight, defenendo e tal”
(Ananda, 20/02/2009, comentário em “Respondendo como se deve”)

“owned

acho esse blog tão digno, sério mesmo”
(Fernanda, 20/02/2009, comentário em “Respondendo como se deve”)

“AHAHAHAAHHAHAAHAHA Ri de mais, sou fã deste blog. XD”
(Jay, 16/02/2009, comentário em “Meyer diz: ‘Nunca li Bram Stoker…'”)

“Bem, eu não vou dizer que eu sou uma ‘twilight hater’ -q JIODSAOIJIOJ mas eu adoro o seu blog, sério DSADSOIJ é muito bom encontrar pessoas que vão contra a modinha e contra o alvoroço causado pelos livros -q IJODSAIJ. Adoro ler seu blog, só queria falar isso mesmo IODSSDIJ bjs ;*”
(Mayara, 16/02/2009, comentário em “”Meyer diz: ‘Nunca li Bram Stoker…'”)

“Adorei a iniciativa de vocês, tenho algumas críticas ao Crepúsculo e ficaria lisonjeado se fosse publicada no site :)

abraços”
(Vinicius, 03/02/2009, comentário em “Fanatismo, fanatismo, loucuras à parte”)

“Adorei esse blog! As matérias são muito bem escritas… Se desse, eu gostaria de ser um Twilight Hater… Mas…”
(Renato, 30/01/2009, comentário em “Os Leões”)

“Bem, eu comecei a ler o blog recentemente. Eu gostei mto do post, principalmente na parte do Alucad xD

pow show de bola, parabens e continuem assim! ;)”
(Death, 29/01/2009, comentário em “Vampiros: Onde a Meyer Errou”)

“o site de vocês é mto bom mesmo,aqui tem tudo o que eu já havia percebido sobre essa historinha e mais um pouco de outras coisas pra me dar mais raiva.”
(Vivyan, 28/01/2009, comentário em “Os Leões”)

“Adorei o blog. Parabéns. :­P”
(Marina, 28/01/2009, comentário em “Ser Uma Fangirl Segundo Hayley Williams”)

“adorei o blog, vou ler os outros posts agora!”
(Ana, 28/01/2009, comentário em “Apresentação”)

“parabéns pro blog \o”
(Amanda, 27/01/2009, comentário em “Apresentação”)

“Parabéns pro blog [2]”
(Thais, 27/01/2009, comentário em “Apresentação”)

“Finalmente, temos um espaço só nosso. Finalmente, nós Haters nos encontramos e iniciamos em nossa vida de sucesso em blogs/sites. Eu espero que o Twilight Haters Brasil tenha muito sucesso pela frente, que possa estar recrutando novos cordeiros e ovelhas para a cova dos leões! :))”
(Marina, 26/01/2009, comentário em “Apresentação” e primeiro comentário do blog)

“Acredito que o blog de Twilight Haters serviu, não só pra mostrar as falhas épicas da Meyer em relação à história que ela tentou, miseravelmente, montar, como também funcionou como uma espécie de válvula de escape onde nós pudemos conhecer pessoas que, assim como nós, possuíam senso crítico e conheciam outros tipos de literatura e conhecimentos. Porra, temos desde leitores de Harry Potter à Stephen King, passando por Markus Zusak e Carlos Ruiz Zafon. Sem contar a gama de escritores que essa causa uniu pela revolta nutrida pelo fail que foi Twilight nas nossas vidas.

Sou muito feliz por fazer parte disso, mesmo que eu seja nova na família. Enfim, estamos aí pra batalhar pro que der e vier u_u/

P.S: E QUEM DISSE QUE O ÓDIO NÃO UNE AS PESSOAS? UM VIVA PARA O BLOG! \O/”
(Anne, 06/07/2009, fórum Twilight Haters BR)

“OPA! #Sobe no palanque#

Soube do blog e do fórum há pouco tempo, é verdade, mas sinto-me em casa por aqui. Não semente compartilho opiniões com pessoas cultas e extremamente adoráveis, como também passo a saber de vários fatos e acontecimentos pertinentes. Tudo começou pelo ódio a uma série; xingamentos à parte, acredito que já tenhamos uma opinião bem sólida e confiável o suficiente para convencer muita gente. Não nos limitamos ao cunho pessoal, extendendo nossas perspectivas também ao segmento artístico; e acredito que seja exatamente isso o que nos faz tão melhores do que outros haters quaisquer.
Fico honrada de pertencer a um grupo tão privilegiado e torço para que continuemos sempre buscando o melhor.

Me emo.cionei depois dessa, but whatever..

P.S: E QUEM DISSE QUE O ÓDIO NÃO UNE AS PESSOAS? UM VIVA PARA O BLOG! \O/ [2]

VIVAAAAAAA! \O/”
(Crovax, 06/07/2009, fórum Twilight Haters BR)

Acho que cada comentário desses faz desse blog ser o que é. E é a cada comentário desses que crescemos, aprendemos e, principalmente, nos tornamos melhores. Por isso: Johnny, Maria, Manu, Schrodinger, Leila, Jean, Bruna, Dane, Arthur, Yolanda, Lara, Bia, Libby, Sara, Gabriela, Júlia, Marininha, Renan, Cee, Gabis, *, Mariana, Sara, Malu, Monique, Jaqueline, Be, Lice, Beatriz Helena, Patrícia, Marcus M, Danda, Isa, Andrey, Lilly, Anna, Maria, Ana, Carol, Bya, Marta, Mione, Nanda, Nane-chan, Reh, Legião, Danne, Vinícius, Vinícius, Carol, Priscila, Lili, Juliana, Rita, Edi, Lizzie, Viny, Roze, Ananda, Fernanda, Jay, Mayara, Renato, Death, Vivyan, Marina, Ana, Amanda, Thais, Anne e Crovax… MUITO OBRIGADA! Obrigada por nos fazer feliz, obrigada pelo carinho e atenção, e o principal… OBRIGADA POR FAZEREM PARTE DESSA GRANDE EQUIPE! Porque vocês são tão parte dessa equipe como nós. E espero que, hoje, com os recados acima, vocês tenham se sentido um pouco do blog também.

Agora… Ana, Venenosa, Mari, Anísio, JP, Tamara, Giovanna, Lily, Kisa, Jam, Anne, Fê (que diz que não é, mas é), Júlia, Jhullie, Laís, Cecília, Nuriko e Thay… PARABÉNS PARA NÓS TAMBÉM! E rumo a mais seis meses, para um novo post… dessa vez, DE UM ANO!

Beijos a todos

Equipe Twilight Haters Brasil – 25/07/2009


Respondendo como se deve

Este recado vai para a fã luuh, que veio em nosso blog e comentou em diversos posts, incluindo no meu post. Por tantos comentários, a equipe se sentiu na obrigação de responder. Mas saibam TODOS OS FÃS DE TWILIGHT que o recado também se aplica a vocês.

Antes de tudo, vou me apresentar. Sou a Lily, dona de um dos posts do Twilight Haters Brasil. Mais especificamente, o “O que é melhor que Twilight”. Aquele que eu digo que Digimon é melhor que Twilight. E que eu duvido muito que você tenha lido, mas isso nem vem ao caso, no momento.

O fato é que, por uma questão de ter atividades em casa para fazer (já que tenho uma casa própria e uma faculdade para me preocupar), não pude comparecer no momento em que você praticamente saiu aos tapas com os meus companheiros de equipe. Bem, tenho que dizer que, embora eu esteja muito grata por eles terem defendido meu post e a nossa equipe (porque leio todos os comentários que aparecem no blog, e por isso acompanhei), acho que eles tomaram meu papel na hora de debater com você. Afinal, o post é meu, certo?

Por isso faço esse post-resposta. Eu iria responder por comentário, mas como tenho certeza de que lá não irá caber, resolvi apelar pra opção de post mesmo.

Enfim, vamos a tudo que tenho a dizer.

Sabe, luuh, uma coisa que aprendi durante toda a minha vida foi a manter a compostura enquando tento defender aquilo que gosto (ou acho digno de defesa).  Segunda, foi NUNCA ofender as pessoas com as quais estou discutindo. A terceira e última: defender requer, no mínimo, um linguajar mais sofisticado para que as pessoas nos levem a sério. Mesmo quando seja internet. Do contrário, poderíamos escrever em miguxes no site. Mas aí ninguém sequer aguentaria ler o que dissemos. Assim como quase não aguentei ler os seus comentários, em grande maioria. Por isso, se você pretende discutir COM RACIONALIDADE sobre os posts de nosso blog, sugiro que você pense nisso que eu disse acima. Sem se irritar, sem me achar a pessoa mais EGOÍSTA do mundo (embora eu realmente não entenda o que você quis dizer com isso). Julgo estar falando com uma pessoa madura, ou pelo menos espero. Ou será que não estou?

Você pode achar o que quiser de nossos posts. Pode rir o quanto quiser, pode achar a maior besteira do mundo. Mas não pode dizer que dizemos isso sem causa ou, então, não sabemos o que dizemos. Vou te explicar como funciona o método de postagem. Primeiro, escrevemos tudo que queremos. Depois, mandamos para PELO MENOS dois membros da equipe, para constatar se há algo contraditório, faltando ou se pelo menos dá pra entender o que dizemos. Depois disso, nós reescrevemos o texto, que passa por uma revisão final e AÍ vai pro blog. Alguns membros também passam seus textos para alguém fora da equipe, para que esse possa avaliar sem parcialidade. No meu caso, uso o meu namorado. FÃ DE TWILIGHT, CONVICTO. Mas que sabe manter o senso crítico. Se você quer saber, ele elogiou meu post. Mesmo não gostando NADA do que leu. E ele me disse exatamente isso:

“Não gostei do que li, mas muito do que você disse é verdade, e tenho que saber admitir isso”

Algo que acho que falta em você, garota. Então, antes de nos xingar de sermos egoístas, imaturos ou de te ofendermos, saiba que fazemos de TUDO para que nossos posts sejam coerentes e verdadeiros. Para isso, usamos MUITO opiniões de especialistas. No meu post, eu não cheguei a usar porque não teve necessidade, mas pode comparar em outros. Sugiro o nosso “Lindembergue e Edward”, que a Tamara usou de comparações com as falas, bem como opiniões de diversos especialistas. Um post, aliás, em que você não comentou. Será que concordou com ele e tem medo de admitir, ou viu que o nível dela é bem alto (talvez muito mais do que o meu, eu confesso) e sabe que não terá como argumentar contra?

E falando em ofender… ok, recomendo que você leia os seus comentários de novo. As ofensas, sinto te dizer, começaram por você. Portanto, estaríamos no nosso direito de te ofender. Mas bem, demoramos a fazer isso. Apenas quando você apelou. E aí, minha cara, sinto dizer… mas só não te respondi a altura porque cheguei tarde. Mas saiba que, se você voltar a ofender qualquer membro do blog, saiba que saberemos responder a altura. Não que isso ponha medo, mas só para você não ficar fazendo drama porque te ofendemos.

Sobre os seus argumentos… bem, sinto dizer, mas estamos no nosso direito. Vou escrever até aqui pra você ver com clareza…

1. A liberdade de expressão, em todas as suas formas e manifestações, é um direito fundamental e inalienável, inerente a todas as pessoas. É, além disso, é um requisito indispensável para a própria existência das sociedades democráticas.

2. Toda pessoa tem o direito a buscar, receber e divulgar livremente informações e opiniões em conformidade com o que estipula o artigo 13 da Convenção Americana sobre Direitos Humanos. Todas as pessoas devem ter igualdade de oportunidades para receber, buscar e divulgar informação por qualquer meio de comunicação sem discriminação, por nenhum motivo, inclusive os de raça, cor, religião, sexo, idioma, opiniões políticas ou de qualquer outra natureza, origem nacional ou social, posição econômica, nascimento ou qualquer outra condição social. (caso queira ver a lei na íntegra, http://www.dhnet.org.br/direitos/sip/oea/dec_express.html)

Logo, podemos manifestar nossa opinião em nosso blog. Você tem o direito de não gostar. Mas não tem o direito de dizer que estamos errados. Isso, minha cara, você não pode MESMO. Sorry, benzinho.

Mas voltando aos seus argumentos… bem, tenho que dizer que, até agora, você não deu UM ÚNICO MOTIVO para que pudéssemos pensar o contrário sobre Twilight. Quer dizer, você ATÉ tentou dar, em relação a Edward. Mas eu confesso que não entendi PATAVINAS do que você disse. Primeiro porque o português está SOFRÍVEL. Segundo, porque você não disse nada com nada mesmo. Entrou em contradição, e bonito. Leia de novo e você verá o quanto se precipitou ao escrever tudo aquilo. Que, aliás, não é argumento. Sorry de novo.

Você só ganhará respeito quando fizer isso. Xingar, espernear, se ofender, rir e até mesmo mandar a gente para aquele lugar só te faz parecer uma barraqueira sem importância. Se você realmente é tão inteligente quando diz (a ponto de nos mandar estudar para sermos melhores), pense nisso. E saiba ser crítica, de maneira decente.

E se você leu isso até o fim (coisa que também duvido), obrigada, de coração. Espero uma resposta. E sei que ela chegará. Mas já aviso que se for no mesmo nível dos seus comentários no blog, não me darei ao trabalho de ler. Não que você se importe com isso, eu sei. Mas deixo avisado.

Beijos, e espero que mantenha o nível aqui também.

(só pra lembrar, tenho 20 anos nas costas. Acho que isso vai te causar um choque).

Lily (e creio que a equipe do Twilight Haters concorda comigo).


Fale conosco!

Bem, como você já deve ter notado, nós tivemos a iniciativa de abrir um espaço para o internauta que acompanha o Blog e quer enviar suas críticas e sugestões para serem adquiradas e/ou postadas mensalmente ou semanalmente (isso ainda vai ser resolvido por nós da Equipe) aqui em nossa página.

Vamos deixar em uma página fixa o nosso endereço de e-mail para todos aqueles que querem entrar em contato conosco e enviar algo interessante (e hater) sobre Twilight.

Claro que não somos tão fáceis, pessoal. Procurem não enviar notícias repetidas e/ou reptitivas. Procurem também sugerir algo que nos seja viável e, se não pudermos postar no blog por alguma razão que, no momento, nos-é-desconhecida, nós enviaremos resposta ao seu e-mail explicando.

Então, fica aqui para quem quiser falar conosco: twilighthatersbrasil@yahoo.com.br

(Equipe Twilight Haters)