2 Anos trazendo a lógica!!

Queimando os sutiãs – parte II

Pois sim, minha gente.

Atendendo a alguns pedidos de comentários – ou de um comentário, mas que seja – do post “Queimando os sutiãs”, eis aqui um post mostrando o machismo em Twilight. Talvez seja um texto redundante pra alguns haters, que já estão cansados desse negócio de falar do como a Meyer ofende as mulheres explicitamente na série dela e tudo mais, mas peço licença pra tocar no assunto de novo, agora aqui no blog.

Bah, antes de começar… eu talvez possa dizer que sou feminista. Definitivamente apóio causas como a legalização do aborto, acho absurdo o “padrão de beleza” (aquele que transforma a mulher em enfeite do homem –q), não acho que lugar de mulher seja no fogão, não acho que toda mulher nasce com instinto materno, acho que “cavalheirismo” é machismo com outro nome, etc. Em síntese, sou muito a favor de igualdade. Mas não sou nenhuma militante – embora não faça nada do que contradiz meus “ideais”, se posso chamar assim, no meu dia-a-dia. Talvez seja mais simpatizante, sei lá. Só sei que me interesso muito por tudo relacionado ao feminino, à libertação feminina (oi, minha monografia de conclusão de curso é sobre o feminino no folclore brasileiro), e principalmente as figuras femininas na literatura. Consequentemente, em Twilight também (não disse que é só literatura de qualidade).

Também acho importante ressaltar que esse post pode ser deveras subjetivo, apesar de ser totalmente baseado no livro. Só quero deixar claro que, não, o que eu escrevo não é a verdade absoluta. Stephenie Meyer tem todo o direito de conservar valores do século XV por causa de sua religião, assim como tem o direito de deixar transparecer absurdamente no livro dela, e qualquer fangirl bitolada tem o direito de compactuar com esses valores, por mais absurdo que isso seja (IMHO). Mas é claro que o mundo seria um lugar melhor para nós, mulheres, se todos compartilhassem da opinião de que a Meyer precisa acompanhar a evolução do mundo, né. Só que, bom, eu (e aposto que as meninas – e meninos –, haters ou não, que acompanham o blog também) também tenho o direito de achar tudo ofensivo e me expressar – afinal, como as fangirls gostam de dizer às vezes, FALO PORQUE ME INCOMODA, oras.

E, por fim, eu sei que deveria buscar citações diretas nos livros sobre a constituição do feminino e do masculino na obra, só que eu nãããão os tenho impresso em casa, nãããão os tenho no PC e nãããão vou baixar só pra escrever esse post. Vai tudo de memória, mesmo.

Sem mais delongas, vamos ao post.

Afinal, por que a obra de Meyer é tão machista?

É, a Meyer colocou tudo muito sutilmente nas entrelinhas. Leitores menos atentos (ou os que se recusam a enxergar os defeitos da série), é claro, não percebem. Mas já começa a ofender na descrição da personagem. Ou das personagens – Bella, Edward, Jacob.

Sobre Bella, pra começar, já que ela é a heroína-mor (literalmente, segundo Edward) da série. Podia falar sobre a imbecilidade de ela largar tudo pelo macho-alfa, mas primeiro quero começar com as descrições. Bella Swan nos é apresentada como uma garota desajeitada que tem tendência a atrair problemas. Ela cai sozinha, se corta com papel de presente (oh, estupidez) e atrai todos os vampiros perigosíssimos. Quase uma mistura de Patrick Estrela com Harry Potter. O que nos leva a uma pessoa que, é óbvio, precisa de mais proteção do que os seres humanos normais. Sutilmente, Meyer nos traz uma protagonista-heroína que é dependente de alguém mais forte pra estar bem. Quer dizer, não é necessariamente dependente, já que, tirando a parte dos vampiros, muita menina é meio como Bella Swan e sobrevive sozinha (OI! \o) – por “meio como Bella Swan”, eu falo de estar sempre com hematomas desconhecidos, e não ser idiota e esquecer de respirar, fique claro. Pois é. Em contrapartida, pra proteger Bella, temos DOIS machos-alfa digníssimos. Um deles, é claro, é Edward Cullen (duh). Dispensa apresentações. Lindo, forte, voz macia, bom em tudo, etc. A imagem do homem protetor e dominante perfeita, exatamente o complemento que a frágil e indefesa mulher precisava. E vai falar que isso não é explicitamente machista? Ai, socorro, né. Fangirl, principalmente, você não enxergar sozinha, vá lá, mas aqui, eu to de-se-nhan-do pra ajudar. Edward não é O HOMEM perfeito. Ele só é perfeito nos moldes de uma sociedade patriarcal, conservadora, na qual o homem tem a função de proteger (err) o pobre sexo frágil. É explícito, mas eu repito pra não deixar dúvidas: Bella, personagem do sexo feminino = desajeitada, atrai problemas = frágil, precisada de proteção; Edward, personagem do sexo masculino = forte, imortal = pode proteger. :O

E Jacob, onde entra? Bom, é óbvio. Jacob, além de ser a fantasia sexual da Meyer (e de muitas leitoras mundo afora, lovers ou não), faz o outro lado do papel do homem na sociedade patriarcal, a princípio. Qual papel? Hum, recapitulando… quem é que conserta as motos pra Bella brincar, mesmo? Nas entrelinhas, podemos entender Jacob como o macho que faz o serviço braçal. Ainda assim, é um macho. Por mais que Alice também possa saber desmontar um carro (não me lembro se isso é mencionado no livro, mas que seja), o destaque é pra Jacob. Ele é que trocaria o pneu do carro da Bella se ela precisasse (Edward daria um carro novo e –qq). Depois ele vira lobo, fica fortão e superprotetor, também, cai naquela coisa de “homem protege, mulher precisa ser protegida”. Não vou ser redundante e falar tudo de novo. A diferença entre Edward e Jacob é que o primeiro, além de tudo, sufoca. O segundo, pelo menos, não. Dá pra dizer, também, que o primeiro é o homem idealizado, o segundo é a fantasia sexual. Ok. Pode ser.

Pronto, só as características dos três personagens principais já fazem o livro escorrer machismo. Mas vai aléém disso, pense que não. Entramos, ta-nam, na adorada parte das relações do livro. Novamente, temos as relações entre Bella e Edward e Bella e Jacob. Não vou resumir os três primeiros livros aqui, porque mesmo quem não os leu já deve conhecer a história (wa, eu li, que fique claro). Mas o que dá pra gente sintetizar, dessas relações, é que a Bella é _extremamente_ dependente de um homem. Não importa qual deles, precisa ser um homem. Como se uma mulher só fosse feliz assim. É claro que entra, aí, esse negócio de ela precisar ser protegida e amparada por alguém mais forte o tempo todo – na cabeça da Meyer, isso significa um ser do sexo masculino, óbvio. Além disso, temos a relação explicitamente doentia do casal maravilha da série. Um só vive enquanto o outro viver (ops, o oposto de Harry Potter). Temos três livros de Bella Swan implorando por uma vida eterna ao lado do “amor de sua vida”. Uma ideia, bom, absurdamente retrógrada. Apesar de vermos Edward também apaixonado, ele até tenta (muito mal, mas tenta) se afastar da Bella por ela – o que implica em pensar que ele, como homem, é capaz de viver sozinho, embora não totalmente feliz; porém ela, a partir do momento que ele a deixa, vive só em função de ter alucinações… com ele. Bah. Bella dedica toda a sua vida a seguir Edward. Abriria mão da família, dos amigos, de uma vida normal por ele. E só por ele. Não por escolha dela, porque ela percebe que seria mais feliz assim. É tudo só pelo amor eterno e infinito que ela devota a ele. “Ah, mas qual é o problema disso, é um amor tão puro?”

Ai, vem cá… que tipo de mulher, hoje, abre mão DE TUDO pra ficar com um homem? Certo que no fim das contas, no “elas por elas” do livro, a Bella acaba não perdendo muita coisa, mas perderia se precisasse. E abriria mão de toda a sua autonomia como mulher e sua independência, também, uma vez que, dedicando sua vida a Edward, automaticamente precisaria segui-lo pra onde ele fosse e acatar tudo o que ele decidisse pra não correr o risco de ficar desamparada – ou não, porque ele é tão altruísta que não se importaria em continuar custeando a vida dela, mesmo que ela decidisse tomar um rumo totalmente oposto do dele, HAHA. A Bella pode até ter sido “muito mulher” e muito decidida, desde o começo, a abandonar a vida de humana. Isso não significa, no entanto, que não é uma atitude machista e conservadora. Junto com a vida humana, repito, ela escolheu abandonar sua autonomia como mulher. As românticas de plantão que me perdoem, mas não tem “amor verdadeiro” nenhum que justifique uma coisa dessas. E me deprime pensar que tem que ache que qualquer pessoa que discorda dessa atitude burra é mal amada e nunca vai ser feliz com parceiro nenhum, juro.

Por fim, e além de tudo, a Meyer aborda a porcaria do tema do aborto. Porcaria porque é um negócio polêmico demais pra ela enfiar levianamente no meio dos livros. E porcaria porque tudo o que as mulheres não precisam, hoje, é de alguém mostrando como o aborto é cruel e os bebês são mais felizes quando nascem. Não que Meyer faça dessa forma – de fato, eu não sei como foi que ela jogou o tema no meio do livro, só meio por cima, já que eu não tive estômago pra ler “Amanhecer” até o fim –, mas aposto que ela definitivamente é contra o aborto. Oras, a Renesmee nasce, afinal. As mulheres da série de Meyer são dotadas, todas, de instinto maternal, aparentemente (q Rosalie). A gravidez de Renesmee representa um risco, mas, ainda assim, elas querem levá-la adiante, porque, OH MEU DEUS, abortar, de jeito nenhum. E temos aí, mais uma vez, mais um ponto que retrata o jeito como o livro ofende a mulher, já que Meyer se posiciona contra a autonomia da mulher sobre seu próprio corpo. Mas não vou me estender muito aqui, porque não terminei esse livro e não me sinto confortável pra falar dele por isso.

Sei que o post foi curto e poderia ser mais explorado, mas esse assunto já foi explorado TANTAS vezes nas comunidades haters, aqui no blog e tal que estendê-lo muito mais seria ser repetitiva demais e demais. Tentei só ilustrar com passagens do livro (embora sem citações diretas) o porquê de o post “Queimando os sutiãs” ser tão relacionado a Twilight, já que li comentários falando de não ter entendido a relação, isso e aquilo.

Finalizando, também, é legal lembrar do comentário da Rita:

“Você tem toda a razão… Ao ler Twilight (sim, eu sou uma hater que leu o livro! – se não tiver lido, não tem motivo pra ser hater….), senti que Bella era sufocada por Edward e até Charlie. A rapariga não mexe um dedo sem pedir para o fazer… E quando finalmente Edward desaparece, em New Moon (tmb o li!), aparece logo outra personagem masculina para a sufocar! (Jacob…)

E depois a Leah (Amanhecer – tmb li…), que é a mulher mais feminista da série, que está em pé de igualdade com os rapazes da tribo, é considerada uma aberração….

Acho triste!”

só dei uma reformuladinha na grafia e pontuação

É, eu também acho triste.

E insisto: Meyer, volte pro século XV!

 

(por Ana)

Anúncios

60 Respostas

  1. Dannie

    uma das primeiras coisas que eu achei estranho na série foi a parte da Bella “oi, não sobrevivo sem Edward e quero ser vampira”. perai, o msm Edward que vc conheceu há duas semanas? juro que voltei as páginas pra ver se eu não tinha pulado nada. EU também sou desastrada e vivo caindo por ai, mas não preciso de ninguém pra me levantar. E é simplesmente estupido o que as lovers falam “larguei meu namorado porque ele não era tão bom quanto o edward”. oi? Meyer, volte pro século XV![2] – e leve as lovers loucas junto, please!

    07/07/2009 às 8:58 pm

  2. Nanda Saisei

    Meyer entrou na capsula do tempo, parou no século errado e não sabe como voltar e -q

    Adorei o post, mesmo não compartilhando da opnião sobre aborto.
    Não que eu seja machista. É só que existem fatores religiosos que afetam minha opnião sobre o assunto. @__@ \nemparecemaissoureligiosa -q

    07/07/2009 às 8:59 pm

  3. kakai

    Parabéns pelo post Ana, muito bom e explicativo, eu não me considero bem uma feminista, mas estou longe de ser machista, e concordo com o que esta escrito, enquanto estava decidida em
    abandonar tudo na vida pelo Edward, Bela não se importava, não fazia diferença, mas quando teve que escolher com qual dos dois machos ficaria, aí sim ela se desesperou, nossa, isso pra mim
    foi tão bobo, tão coisa de adolescente idiota que eu me senti mais idiota ainda lendo (sou uma balzaquiana). Já no livro amanhecer, quando a Bela fala que nas noites ela satisfazia a necessidade do Edward e nos dias a necessidade da filha, credo, achei isso muito machista, já pensou viver só e unicamente só para o marido e os filhos? Tão mulher anos 50…
    Eu sou casada há quatro anos e estou tentando engravidar, mas eu não vivo só para o meu marido e nem de longe viverei só para os meu filhos, eu tenho vida própria.

    07/07/2009 às 9:18 pm

  4. Lilyh

    Finalmente alguém que também é a favor do aborto. Parece que eu só discuto o assunto com gente que é contra…

    Bem, o post é ótimo! E devo destacar a parte em que a Bella é dita como uma mistura de Patrick Estrela com Harry Potter. LoL. “Patrick Estrela” é uma boa descrição para “Bella Swan”.

    E, pra mim, a Leah é a melhor personagem do livro. Ou a menos pior.

    07/07/2009 às 10:28 pm

  5. Laura

    Post bem informativo 83
    Acho que as relações Edward-Bella e Jacob-Bella são padronizadas pela Meyer, porque a Bella se joga aos pés de ambos, é protegida por ambos, gosta de ambos, etc.
    A gravidez da Bella (assim como outros assuntos do nível de abordar sexo e palavrões que a Bella fala -q) foi muito mal jogada no livro. Esses assuntos aí que eu citei são basicamente modinha, e quando eu os li em Twilight, imaginei que a Meyer pensa que tem de metê-los nos livros de qualquer jeito, não importa se for um texto miseravelmente idiota, mas tem que meter. E então a estrutura do livro fica péssima e os assuntos jogados de qualquer jeito xP.

    Infelizmente, o machismo em Twilixo é tão subliminar que as lovers obcecadas não percebem, mas no fundo é inteiramente padronizado xP

    07/07/2009 às 10:56 pm

  6. Adorei o post, mesmo não compartilhando da opinião sobre aborto. [2]

    SHAUSHAUSHA’ Maldade com o Harry! XD

    07/07/2009 às 11:10 pm

  7. “Ela cai sozinha, se corta com papel de presente (oh, estupidez) e atrai todos os vampiros perigosíssimos. Quase uma mistura de Patrick Estrela com Harry Potter.” EORII /z SHAUSHAUSHA’ Maldade com o Harry! XD [2]
    Adorei o post, mesmo não compartilhando da opinião sobre aborto. [3] Eu conversei sobre isso com umas amigas na festa de aniversário de uma amigo (olha onde a gente conversa sobre isso ¬¬’) e tipo, eu acho que querendo ou não, é uma vida. Eu não ficaria bem depois de um aborto, sempre me sentiria mal… Mesmo assim, a Meyer simplesmente jogou esse assunto em Twilight e ele foi muito mal aproveitado.
    Bjss ;*

    07/07/2009 às 11:33 pm

  8. Eu sou suspeita a falar por ser estupidamente feminista – apesar de pecar em alguns fatores como aborto, por dançar entre o que aprendi na religião e o que penso a respeito, mas enfim – mas o post ficou excelente, Ana. Dá orgulho de falar que sou amiga de pessoas tão inteligentes *-* – falo sério.

    08/07/2009 às 12:27 am

  9. Twilight Haters

    Ah, gente, eu não condeno ninguém por ser contra o aborto e tal, que fique claro. Quer dizer, existem algumas opiniões que me deixam meio revoltadinha em relação ao assunto, mas… eu respeito o que cada um acha. Só que, pra mim, todo mundo devia pensar um pouco sobre o negócio da legalização – afinal, quem quer abortar, vai fazer mesmo… que seja limpinho e com dignidade, pelo menos.

    Só que eu sou totalmente a favor :P a vida, pra mim, só começa dps que existe a possibilidade da sobrevivência do feto (ou criança, no caso) fora do útero, então…

    Mas esse não é o foco. :D

    08/07/2009 às 9:16 am

  10. Malu Rodrigues

    Adorei o post, mas como muitos já disseram, sou contra o aborto também.
    Sou a favor de várias coisas: legalização da maconha (acabar com o tráfico e as pessoas sabem o que fazem consigo), voto ser facultativo e por aí vai…
    Mas quando algo não interfere apenas você, mas outra pessoa, é outra história. Com o aborto, existe uma vida em pauta. E existem várias maneiras de prevenir a gravidez indesejada.

    Mas, enfim, adorei o post. Esse site é MARA! Continuem postando…

    08/07/2009 às 12:39 pm

  11. Bom. Na verdade também devo dizer que sou contra (não radical) o aborto. Não li o livro Amanhecer ainda, mas confesso que minha opinião que acabei de relatar seria diferente em relação à realidade com a qual se estava lidando (risco de vida para mãe). De qualquer forma, também, como todo mundo, tenho meu lado Bella (sou a personificação da descoordenação motora), também sofro de carência aguda, o que me tornaria sucetível à dependência de um homem ao meu lado. Não porque os homens são melhores do que as mulheres, de forma alguma, mas porque gosto de homens e usaria-os de formas diferentes (pelo menos diferente da Bella nos três primeiros livros). Até porque já passei por muitos períodos de carência e nunca me apareceu um pra me “proteger”, ou seja, sim, dá pra sobreviver sozinha.
    Pra quem é hater legítimo, isso serve um pouco de explicação para o fenômeno lover. Eu fui lover exatamente por ter lido os livros em um período em que me sentia sozinha. Respondendo à questão do começo do post: as lovers leem superficialmente sim, elas só se baseiam no sentimento de carência supostamente suprido pela idealização do protetor. E digo porque foi isso que aconteceu comigo.
    Parabéns, Ana, maravilhoso post!

    08/07/2009 às 4:16 pm

  12. hm.. na questão do aborto, eu sou a favor em alguns casos, tiop, se a moça ficou grávida por causa de estupro, se a gravidez for de alto risco, se o bebê for um alien mutante… nos demais casos eu sou contra, afinal, como disseram, tem muitas maneiras de se prevenir contra a gravidez, e se a mulher não usou porque é retardada não é justo o bebê pagar por isso :(

    Quanto ao post.. eu concordo plenamente que o livro é muuuito machista, só não acho que a Meyer o abordou sutilmente o.o o machismo tá lá na cara, só não vê quem não quer õ_o as lover estão cegas pelo Ediot, e isso se deve a se deixarem levar pela narração em primeira pessoa da Bella, que o idealiza e não abre espaço para outras opiniões acerca do cara.. bom, eu acho a narração da Bella muito chata, repetitiva e contraditória.. aliás, não só a narração, eu acho a Bella muito chata, repetitiva e contraditória.. no início ela era legal, era independente e tals, mas depois ela fica dependente do Edinho ¬¬ ridícula u_u
    *medo da lavagem cerebral que Smeyer faz nas lovers oO’

    obs.: também não consegui ler o BD, mas eu acho que o machismo do Ed está no auge em Eclipse, é quase revoltante ver a Bella se resignar a ele e achar que isso é lindo e amoroso ><
    obs.2: esse post foi meu mesmo e não da Cássia roubando minha identidade :P

    08/07/2009 às 4:22 pm

  13. Eu consegui ler BD e eu até achei o segundo melhor livro da série. Eu li pela net, agora vou relê-lo pelo livro mesmo, que eu vou comprar assim que der. Eu vou fazer uma leitura melhor e não supercial, que nem eu fiz das outras vezes e depois venho dar minha opinião sobre isso. BD é tão insignificante que eu não lebro porra nenhuma da história dele. Lembro de um nascimento de um alien e só (y)

    08/07/2009 às 6:32 pm

  14. Drika

    Finalmente alguém que também é a favor do aborto. Parece que eu só discuto o assunto com gente que é contra… [2]

    “Ela cai sozinha, se corta com papel de presente (oh, estupidez) e atrai todos os vampiros perigosíssimos. Quase uma mistura de Patrick Estrela com Harry Potter.” EORII /z SHAUSHAUSHA

    Mesmo não curtindo mto Harry Potter, coitado dele, ngm mereçe ser comparado com a Bella Swen Graça… [/nem mesmo o Patrick! :D]

    Nesse aspecto de “desastre”, eu tbm sou parecida com ela, até uma amiga já falou (uma lover, por acaso ¬¬)… mas isso não quer dizer que eu precise de “Ediot da vida”… e MUITO MENOS que eu não sobreviva sem ele – ah,vsf !

    Ameeei o post, a cada dia (ou post novo) eu consigo listar mais um defeito e mais um motivo pra eu ABOMINAR Twilixo… (:

    * E sobre a Meyer ser “antiga”, eu acho que isso não tenha a ver com a doutrina mórmon ( APESAR de ela – a doutrina – ter umas coisas machistas, tipo “homem trabalha,mulher cuida da casa”, segue à risca, só quem quer – a Meyer quis, com certeza =P ). É um caso de “seguir a doutrina EXATAMENTE como era em 1835″… Eu sou batizada na igreja mórmon, mas atualmente eu tô afastada – por isso que eu sei dessas coisas… (;

    Meyer, volte pro século XV ! [3]

    08/07/2009 às 6:32 pm

  15. Ah, vale ressaltar: eu sou contra o aborto, mas sou a favor de legalizarem o aborto. Louca? Não, só acho que sendo ou não legalizado quem quer abortar vai abortar do mesmo jeito, mas enfim :B

    08/07/2009 às 8:18 pm

  16. Graça

    Belo post! Concordo!
    E quanto ao Edward…Eu sou team Edward, mas nao chego ao ponto de achar que ele é real porque não é. E apesar de ser ciumento e controlador, pela maneira como o livro o apresenta é omo o principe encantado. Dai que existam tantas raparigas á espera dele. é uma fantasia e nao passa disso.
    Ps-Sou a favor do aborto

    08/07/2009 às 8:59 pm

  17. amenaske

    Meyer, volte pro século XV ! [4]
    E um [2] na Tamara

    Esse post ficou maravilhoso, parabéns, Ana!

    08/07/2009 às 9:08 pm

  18. Isabella

    gostei do post, e apesar de ser repetido ficou deveras legal…
    meyer é a típica mulher do sec XV pra baixo -_

    e a personagem dela é muito tosca e blablabla
    tamara[2] so acho que o ruim da legalização, apesar de ser a favor e contra é que vai começar a escrachar: as garotas vão passar a fazer sexo sem camisinha e engravidarem, aí vai virar festa…

    08/07/2009 às 10:27 pm

  19. Twilight Haters

    Isabella, vc acha mesmo que a legalização faria isso? :p
    Pq assim, se legalizarem a maconha, eu, que nunca fumei maconha e mato meus neurônios de mil formas diferentes, não vou fumar também. Sei que é uma comparação meio esdrúxula – afinal, álcool e cigarro são legalizados e o povo usa a rodo -, mas é meio que pelo caminho: quem nunca faria não vai fazer só porque é legalizado.

    E, bom, qualquer pessoa que engravidou e fez um primeiro aborto, creio eu, não vai ser imprudente e voltar a fazer o segundo propositalmente. Como eu disse no outro comment, não é um procedimento simples como tomar uma pílula do dia seguinte, envolve grana e ainda tem o lado psicológico. Só se for mto burra, mesmo.

    E, só pra completar esse assunto do aborto, uma vez eu li por aí q mta gente acaba sendo “contra, mas a favor em caso de estupro” e isso é quase uma insinuação direta de que ter o filho é punição pela mulher ter escolhido fazer sexo, já que o feto, em ambos os casos, “é uma criança indefesa”. Ela só pode tirar quando o sexo não foi escolha. Achei isso bárbaro e dá pra entender, mesmo, um negócio desses nas entrelinhas. =P

    E, Maya, eu entendo o que vc diz sobre ser carente e tal. Eu falo e falo, mas vivo uma situação parecida. Só que eu sei que não é só um homem que me faria feliz. De fato, uma melhor amiga presente (pq a minha é ausente ahuaha – mentira, mas a vita loka dela nos impede de termos diálogos com frequência e a gente não se vê há anos) e que morasse perto, me acompanhasse pra baladinhas, pra uma volta no shopping pra falar besteira e panz já supriria essa necessidade de alguém do lado. Arranjo namorados porque parece que é mais fácil que arranjar melhores amigas .-.’ mas nunca quis namorar qdo essa amiga que hoje tá longe morava perto de mim. =S

    09/07/2009 às 10:58 am

  20. Grinch

    Eu sou a favor da legalização do aborto. Enquanto tiver um punhado de células agindo como um parasita em mim (Porque vamos combinar que um feto é basicamente isso), a decisão é minha: É o meu corpo e eu faço o que quiser com ele.

    Btw, aborto em caso de estupro é máscara patriarcal. Sério. Por que permitem? Porque o filho não é do esposo e a herança não continuará na família. Eu apóio a decisão do aborto em caso de estupro? Sim, mas também apóio a decisão da mulher em qualquer caso.

    Aborto legalizado não seria “toloka, go wild, kids, go wild”. Muito pelo contrário. Aborto legalizado salvaria a vida de milhares de mulheres que morrem todo ano tentando abortos clandestinos. Esse pensamento de “libera o aborto vai todo mundo dar aloka” é falho. Aborto, como já disseram, não é “toma pílula e seja feliz”. O que deve ser feito? PARAR com essa babaquice de abstinência (OI, MEYER), que só serve pras pessoas chegarem à vida sexual sem informação alguma; dar educação sexual DECENTE (Não “não transem porque é pecado e vocês vão pro inferno, suas vadias”) e, principalmente, dar valor à mulher. Porque o feto é protegido até nascer. Se nascer mulher, corre o risco de ser estuprada, espancada, humilhada, oprimida e ninguém vai proteger ela como fez quando ela era feto. É isso mesmo: Que não seja abortado, mas que nasça homem! Se nascer mulher, tanto faz o futuro dela. Foi assim que aconteceu com uma mulher em coma/estado vegetativo na Itália: O random não queria deixar a família desligar os aparelhos porque ela ainda “era jovem e ainda poderia engravidar”. Ê, chocadeira!

    É o que sempre é visto… O clássico “Não aborte! E se seu filhO for um grande cientista e descobrir a cura pra AIDS?” nunca “Não aborte! E se sua filhA for uma grande cientista e descobrir a cura pra AIDS?” e muito menos “Faça sua escolha e a respeitaremos! Não a forçaremos a não abortar/abortar, pois você pode descobrir a cura pra AIDS!”.

    É isso o que eu penso sobre o aborto =p

    Enfim, sobre o post…

    Amei muito. <3 Uma coisa que eu gostaria de chamar a atenção é que o feminismo é basicamente sobre o direito de escolha da mulher. A Bella NUNCA tem esse direito de escolha e, quando tem, a Meyer põe de um jeito que ela faz as piores escolhas possíveis (oi james) pra reforçar o "Viu? Silly women, devem ser monitoradas". "Ah, Grinch, mas ela ESCOLHEU virar vampira". Não. Quem escolheu foi o Edward. Por três livros e alguns trocados ele negou isso da Bella e só decidiu pra ela virar vampira quando ela tava inconsciente, sem direito de escolha. "Ah, Grinch, mas ela ia morrer se ele não o fizesse". Bem, o Eddykins teve MESES pra conversar com a Bella sobre isso, em vez de tentar FORÇAR ela a fazer um aborto. Eu respeito 100% a decisão da Bella de ter a filha. O negócio é que ene problemas poderiam ser evitados se o Eddy ao menos visse a Bella como GENTE e não como um ser idefeso e incapaz de decidir o melhor pra ela.

    Outra coisa que tem são os personagens. Os masculinos sempre são melhores que os femininos: Mais fortes, mais desenvolvidos, etc. O Edward tem um poder de clarividência melhor que o da Alice (Cujo dom é esse). Ela erra, ele não. Comofas?

    E, claro, a Leah… ._. E o imprinting dos lobisomens. Só o homem imprinta. A mulher, novamente, fica sem o poder de decisão.

    E, claro², só vampiro homem pode ter descendentes… Sabe o que eu acharia legal? Se transformou em vampiro, a mulher deveria ter TODAS as suas menstruações (Expulsar todos os óvulos que sobram, ou todos esses óvulos morrerem) e o homem ejacular todo o esperma que ainda tava guardado e ter todos os órgãos produtores de sptz mortos. Pronto. Se um não pode, nenhum pode. Simples. :B

    10/07/2009 às 3:46 pm

  21. Anne

    Bem, eu adorei o post, mas não sou feminista e tampouco machista o.o

    Achei interessante sua maneira de abordar e está de parabéns. Não vou dizer que sou a favor de aborto, mas não sou contra também. Sei lá, isso varia de cada caso. Eu sou contra aborto quando a pessoa sabe dos riscos e faz sem se cuidar mesmo assim. Acho que isso é falha da pessoa. Btw, não estou afim de discutir isso agora.

    Post muito bem elaborado u_u/

    10/07/2009 às 4:12 pm

  22. Anna Suely / Annie

    [2] na Grinch,que já disse tudo que eu tinha à declarar!

    10/07/2009 às 8:46 pm

  23. Haha. Muito interessantes suas opiniões sobre o livro! :)
    Gosto da série, mas não sou nenhuma maluca que ama o Edward… Pra mim, a Meyer caricaturou bastante os personagens, a tal ponto que a gente acha estúpidas as atitudes deles. Vários críticos dizem isso e concordo com eles. Sobre o livro ser machista, acho que a Stephenie tentou mostrar a Bella como uma pessoa frágil que não aceita esse fato. O Edward tem esse caráter do século passado, e nele até que faz sentido. Sobre o aborto, bem… eu considerei atestar insanidade mental quando a Bella disse que queria ter a criança que ia matar ela. A personalidade dela, até então “loucamente apaixonada”, perdeu o “apaixonada” para se tornar “louca”, em Amanhecer.
    O livro que eu mais gostei da série foi o primeiro, sem dúvida.

    11/07/2009 às 2:40 am

  24. Nanda Saisei

    Hm, nada contra que é a favor do aborto. Até porque, opnião é pessoal, e sendo pessoal, o que diabos os outros tem a ver com isso? LOL

    Mas tomo a liberdade de comentar um pequeno trecho do post da Grinch.

    “O que deve ser feito? PARAR com essa babaquice de abstinência (OI, MEYER), que só serve pras pessoas chegarem à vida sexual sem informação alguma; ‘dar educação sexual DECENTE’ (Não “não transem porque é pecado e vocês vão pro inferno, suas vadias”) e, principalmente, dar valor à mulher.”

    Sobre “dar educação sexual DECENTE”, lembro de ter visto numa reportagem do Profissão Reporter (Não tenho certeza se era mesmo PR) que, pelo menos se referindo aos adolescentes, mais de 90% de todos os casais (Sim, casais. Porque não um bebê não brota sozinho na barriga da mãe) que esperam um bebê conheciam os preservativos, sim.

    Então, acho falho (pelo menos quanto aos adolescentes) dizer que é nescessário uma melhor educação sexual para se evitar uma grávidez indesejada. As escolas estão aí pra isso. “Ahh, escola pública não dá palestras e tal”, bom, depende MUITO da escola. E até onde meus conhecimentos sobre Saúde vão, há distribuição de preservativos em postos de saúde. O que impede muitos jovens de ir lá e “pegar” um, é infelizmente a vergonha.

    11/07/2009 às 2:17 pm

  25. “Quase uma mistura de Patrick Estrela com Harry Potter.”
    “Jacob, além de ser a fantasia sexual da Meyer (e de muitas leitoras mundo afora, lovers ou não)”

    -qq UYAUYSAUSAUSIHSHAIS, JAAACOB *baba litros*

    O negócio é o seguinte, aposto que a Meyer nunca teve uma boa foda q
    Se ela não fosse tão mal-comida ela veria que o Jacob é muito mais gostoso e quente, e que ele daria um jeito na Bella Ganso.. SWAN, SWAN, malz galere rs

    11/07/2009 às 4:52 pm

  26. Ok, agora sobre o post.
    Concordo com a citação do comentário da menina do post anterior (deu pra entender? -n)
    Leah, que é a ÚNICA personagem feminina decente é tratada como uma aberração, com indiferença e como se fosse a pior pessoa do mundo.
    Absurdo a Steph achar que para ser feliz mulher precisa de homem. Minha mãe tem 59 anos, duas filhas, as criou sozinha, nunca casou e está muito bem, obrigada. Graças a ela tenho a cabeça que tenho e sei as coisas que sei, e uma das coisas que ela me ensinou foi o amor aos animais (Jake rs) e a nunca depender de homem (ou de mulher também) para ser feliz.
    Bella Ganso, ALO-OU bjs

    11/07/2009 às 4:55 pm

  27. Louise

    mas Swann não significa “cisnei”?

    11/07/2009 às 5:02 pm

  28. Twilight Haters

    Nanda Saisei, eu concordo que hoje existe MUITA informação.

    Mas a pesquisa foi feita considerando apenas o número que RECEBE a informação ou também considerou o MODO como a informação chega? Porque isso também conta muito. Não adianta falar que existe preservativo e anticoncepcional e não falar como usa. Já vi histórias de pessoas que tomavam a pílula anticoncepcional antes da relação sexual, e não continuamente como deve ser. Aí engravidava, é claro, mas conhecia o método contraceptivo. E aí?

    Sem contar que eu sou totalmente crente que acidentes acontecem, SIM. Camisinha rasga/fura, eficácia de pílula não é 100% e muitos medicamentos, inclusive, atrapalham nessa eficácia – mas isso não é falado em escolas e, sinceramente, até ginecologista esquece de mencionar. Os pais se cuidaram, mas o filho veio. É obrigado a ter a criança, mesmo que esteja tão explícito que não se quer uma gravidez?

    No mais, eu sou fã da Grinch, pô :)

    11/07/2009 às 5:48 pm

  29. Nanda Saisei

    Bom, o intuito da reportagem era falar sobre grávidez na adolescência, e não dar uma palestra sobre métodos contraceptivos. E mesmo se fosse uma palestra sobre, certamente viria o “modo de uso”. Quer dizer, você não dá um celular a alguém que nunca teve um sem explicar como se usa. Em reportagens, livros, etc, que visavam informar sobre metodos contraceptivos, eu pelo menos nunca vi “Olhem, essa é a camisinha, usem quando for transar” e\ou “Essa é a pílula anticoncepcional, usar para evitar grávidez” sem mais explicações.
    E se você sabe o que é uma camisinha, e não sabe como usar, convenhamos que nem deve ficar surpreso se uma grávidez acontecer.

    E compartilhamos da idéia de que acidentes acontecem. Os preservativos não são de 100% de eficácia, como você mesma disse. Tem casais que se cuidam, mas o filho vem. Não estou falando que os pais são obrigados a criar a criança. Mas existe a adoção, não é?

    12/07/2009 às 12:42 pm

  30. Twilight Haters

    “Quer dizer, você não dá um celular a alguém que nunca teve um sem explicar como se usa.”

    Acredite, isso acontece.
    Mostram que existe, mas não mostram como usa. Eu não sei se por má vontade ou o que, maaas… é, acontece. Falando por mim mesma, o que tive de informação sobre métodos contraceptivos foi o que vi em revistas adolescentes (principalmente a Capricho), internet e ginecologista. Na escola, não me lembro de ter aprendido como SE USA, só sei que vi. Tanto que essas coisas como o DIU ainda são um mistério pra mim. E eu estudei em colégio particular, hein. Imagine na rede pública…
    E imagine quem não tem acesso à Capricho e à internet…

    Acho que esse negócio de ensinar sobre métodos contraceptivos devia ser muito revisto, sérião.

    12/07/2009 às 12:57 pm

  31. Grinch

    E claro, tem o clássico “Se você me ama, menina, vai confiar em mim e transar sem camisinha, porque camisinha piora a transa, diminui o prazer etc” e o “AFF, pílula, sua paranóica?” ou “OMG, filha, tá tomando isso pra quê? VOCÊ… TRANSOU?! NOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO MEU MUNDO CAIU”. fatão ok. rs

    13/07/2009 às 9:03 pm

  32. Nanda Saisei

    E claro, tem o clássico “Se você me ama, menina, vai confiar em mim e transar sem camisinha, porque camisinha piora a transa, diminui o prazer etc” [2]

    Claro, porque meus sptz são teleguiados. Não fazem nada que o dono não quer. E é lógico que eu não quero um filho, então eles não vão te engravidar. :) -N

    Ou “Ah amor, eu tiro na hora.”

    É CILADA BINO. -qqqqq

    13/07/2009 às 9:11 pm

  33. Judi

    http://fabricadeherois.blogspot.com/2009/07/buffy-edward-slayer.html
    Vidoe misturando a série buffy e o filme Twilight hhehehe
    Mostra Buffy contra Edward, muito engraçado.
    Se gostarem postem!

    14/07/2009 às 5:47 pm

  34. Kamilah

    http://capricho.abril.com.br/diversao/semelhancas-harry-potter-crepusculo-484536.shtml.
    mais uma da capricho… vcs bem que podiam ripar isso XD

    15/07/2009 às 9:10 pm

  35. amenaske

    Sério, alguém mata quem fez essa matéria? xD

    15/07/2009 às 11:36 pm

  36. amenaske

    A de cima, da Capricho, claro

    15/07/2009 às 11:37 pm

  37. Kamilah

    bem que eu queria.

    16/07/2009 às 11:00 am

  38. Twilight Haters

    deixa comigo, essa ripagem É MINHA! *lado jornalista ferido, mimimi*

    16/07/2009 às 12:50 pm

  39. Twilight Haters

    Lily acima

    16/07/2009 às 12:51 pm

  40. Grinch

    “1) Magia para adolescentes:”
    Isso Sailor Moon tem… e_e
    “2) Esportes espetaculares:”
    Sailor Moon… (Haruka dirigindo é um colírio)
    “3) Grandes amizades: ”
    Sailor Moon…
    “4) O mundo deles interferindo no nosso:”
    Sailor Moon…
    “5) Protagonista aparentementes comuns:”
    Sailor Moon…
    “6) Sucesso editorial:”
    Sailor Moon…
    “7) Autoras que são garotas incríveis:”
    Sailor Moon.

    PQP, SAILOR MOON É CÓPIA DE HP E TWILIGHT!!!!11[/sarcasm]

    PQP, HP E TWILIGHT SÃO CÓPIAS DE SAILOR MOON!!!!11[/fo’reals]

    17/07/2009 às 10:27 pm

  41. *!

    sou fã de Twilight pq gosto ( não estou dizendo q é uma otima obra literaria e blablabla ) !!
    E adorei seu blog pq mostra os defeitos dessa obra q para pessoas literariamente falando ignorantes como eu nao conssiguiam enchergar !!! só não intendi a parte de mostrar q a mulher não tem autonomia sobre o proprio corpo sendo q todos (menos rosali) queriam de todo jeito abortar a criança e qm não permitiu fui justamente a dona do corpo BELLA !

    22/07/2009 às 12:52 am

  42. Marininha Potter

    Cara *!, eu sou como você! Gosto de Twilight, apesar de seus defeitos, e esse blog me fez ver os defeitos que eu não queria ver.
    Respondendo a sua pergunta, a Bella é contra o aborto, mas isso vem dos próprios princípios que a Meyer impôs no livro. O bebê é um alien que está sugando a vida da Bella? ‘Ah, eu sei que pode me matar, mas, abortar, de forma alguma!’ Isso não tem a ver com ela ter autonomia do seu corpo ou não.

    22/07/2009 às 2:38 am

  43. Ana - TwiHBR

    “só não intendi a parte de mostrar q a mulher não tem autonomia sobre o proprio corpo sendo q todos (menos rosali) queriam de todo jeito abortar a criança e qm não permitiu fui justamente a dona do corpo BELLA !”

    Isso é a metáfora.
    Meyer insinuou que a mulher, de um modo geral, deve levar uma gestação adiante a qualquer custo – mesmo que o filho seja um alien (-n) ou a mãe corra riscos de vida por causa disso. A Bella é como se fosse uma “mártir pró-vida” da Meyer, assim. Bella, sendo a heroína da série, dá o exemplo do como devem agir as mulheres do mundo em situação de gravidez. Tanto é que a vontade dela, de levar a gestação adiante mesmo com todo mundo falando que aquilo é um absurdo porque ela morreria, impera.

    A Bella escolheu o que queria, mas simbolicamente mostra que as mulheres devem sempre optar por aquela escolha, entende? Independente de estar gerando um bebê que não tem chance de sobrevivência fora do útero, por exemplo, ou de ser uma gravidez de risco e tudo mais…

    22/07/2009 às 10:37 am

  44. Debbye

    http://capricho.abril.com.br/blogs/closet/ – roupas inspiradas em twillight… o mundo está perdido {mais uma da capricho}

    24/07/2009 às 3:33 pm

  45. Marininha Potter

    Debbye, a Capricho paga muito pau pra Twilight, por isso que eu leio Atrevida (o que não adianta nada, a Atrê paga pau do mesmo jeito ¬¬’)

    24/07/2009 às 8:45 pm

  46. C.

    Cara, sou tua fã. É a mais pura verdade tudo o que tu disse. E o que mais me mata é o eu dizer isso pra minhas amigas e elas me chamarem de maluca.

    26/07/2009 às 8:04 pm

  47. Julia

    gostei de tudo o que você disse :)
    sou contra o aborto, nunca faria, mas acho que cada um tem o direito de escolher. ainda mais se for pra por um filho no mundo e jogar ele na lata do lixo, ou qualquer outra coisa abominável.
    acho que essa história de Amanhecer abordar o assunto do aborto é um modo que SM encontrou pra tornar o livro com conteúdo e poder dizer: OLHA SÓ, SOU INFORMADA E TENHO OPINIÃO PRÓPRIA!
    é claro que o livro contínua a mesma merda e sem cnoteúdo nenhum, mas foi o jeito que ela deu, pra ter o que dizer nas entrevistas…

    29/07/2009 às 7:24 pm

  48. Lurdinha

    Oi, parei na metade porque eu tinha que dizer o que sempre tenho em mente.

    E é sobre essa saga e a outra que sempre é comparada (absurdamente e injustamente)ao estrume (no caso essa). E sobre os personagens principais em questão: Bella e Edward, ou melhor vocês deviam fazer um parâmetro entre esse romance e o da outra saga, seria interessantíssimo, ainda mais se for feito por fãs da mesma, que conhce a faga profundamente. (acredito que sejam o caso de você meninas) ;F –

    Então dando continuidade.

    Temos Bella Swan que denegra o sexo feminino, i que é discutido aqui. Mas então temos HERMIONE GRANGER, o verdadeiro valor feminino, um verdadeiro EXEMPLO de pessoa. Mundo adversos.

    Ainda, temos também o ilistrissimo, psicótico e perfeito Edward Cullen, esse homem todo aí. E então temos o atrapalhado, humilde e divertidíssimo RON WEASLEY. Carinhoso, cuidadoso, ciumento (nada que ultrapasse dos limites) cehios de defeitos e imensamente bom, de um coração que é feito pra amar. O perfeito na forma do inperfeito. (o meu “o” saiu esquisito)

    Mundo adversos. Cabeças adversas.

    E aqui fica meu apelo: Lovers, please, leiam esses. (se for adiantar alguma coisa, o mundo tá perdido).

    Essa é a primeria vez que comento e eu adorei, vou continuar a leitura.

    E peço desculpase se algum dia vocês já fizeram um “tira teima” sobres esses personagens. :d

    08/08/2009 às 2:50 pm

  49. Lurdinha

    PS: o “o” só saiu esquisito aqui. (caixa de coments).

    E desculpa alguns erros. *imperfeito.

    08/08/2009 às 2:54 pm

  50. Twilight Haters

    Lurdinha, vc me deu uma ideia EXCELENTE! =D
    Farei isso um dia, não tenha dúvidas. Só preciso de tempo pra escrever :/

    Ana

    10/08/2009 às 10:40 am

  51. lucianabribeiro

    Post perfeito. Parabéns. Super-ultra-mega-apoiada.

    30/08/2009 às 10:40 pm

  52. Liiz!

    GRINCH, virei sua fã <3
    até seu nome tem majiaw!!!1!!11!
    mas uma coisa eu discordo: se Twillight fosse plagio de sailor moon, seria mais bem escrito -s
    ASODJASOIDJA
    POBRE PATRICK ESTRELA! E pobre Harry, ele é lesado mas não tanto :(

    05/09/2009 às 2:06 am

  53. Ana Bourg

    “Edward não é O HOMEM perfeito. Ele só é perfeito nos moldes de uma sociedade patriarcal, conservadora, na qual o homem tem a função de proteger (err) o pobre sexo frágil.” – aha!! era isso que queria ler, uma critica definitiva a todo esquema da série (certo que só aguentei ler o começo do primeiro livro)

    muito bom o/

    sobre aborto: sou absolutamente pró-escolha e fico triste de ver gente que nem a Meyer usando livros como Twilight para formar a opinião das meninas.

    11/09/2009 às 4:55 am

  54. Letícia

    Eu concordo com quase tudo. Quase.
    Eu sou contra o aborto. Isso pra mim não é fazer uma escolha sobre seu corpo, e sim sobre a vida de outra pessoa. E eu sou contra qualquer coisa que apoie a interferência direta de uma pessoa na vida da outra. Isso sem falar que o aborto oferece vários riscos à mulher para que ela acabe com uma vida, enquanto o parto faz a mesma coisa… só que para ela criar uma nova vida.
    Mas, sobre o Edward e talz, sempre achei ele nada perfeito, apesar de adimirá-lo muito, e a Bella, apesar de tudo, também tem defeitos graves. E eu adoraria que Leah tivesse um final feliz ou algo do gênero, pois adoro o jeito dela.

    18/10/2009 às 4:00 pm

  55. Sobre estes romances que se escrevem, Meyer foi infeliz (na melhor das hipóteses). Nota-se que ela não sabe escrever, não sabe se expressar, inda mais com assuntos polêmciso como esses. Não os li nem lerei, tem coisa melhor na praça. Por que não ler Mário Quintana, Pedro Bandeira, Sérgio Amaral ou Monteiro Lobato? Tem muitos autores e autoras brazucas que dão de dez a zero em S. Meyer.
    Sobre abortos, acompanho a Letícia. É uma outra pessoa dentro de você, se mexe sozinha (não te obedece), é outro ser, é outro DNA que está ali, … Há solução melhor, quem não quiser os filhos, entregue-os pra adoção, pro Estado ou pra orfanatos cuidarem. Lembrar que tem mulher querendo ter filhos e não consegue, uma adoção será bem vinda. Próximo projeto é fundar um orfanato, com certeza estas crias serão bem vindas e bem cuidadas. Palavra de Keyla.

    03/01/2010 às 4:53 pm

  56. Robert Hermione Granger

    Certamente, o incentivo a abortos parte de uma hierarquia extremamente machista e globalista.

    25/01/2010 às 3:09 pm

  57. Estrela da Manhã

    Nossa Ana, qto mais leio, mais gosto desse site, A-D-O-R-E-I este post sobre o machismo da saga. Sinceramente eu não tinha percebido a questão do aborto, estou indignada, é óbvio a lesada e bitolada da SM iria ser contra o aborto. Se pensarmos que por legislação federal brasileira a mulher tem o direito de abortar quando se trata de uma gravides de alto risco para a mãe (cof-Bella-cof), é rídiculo querer vir levantar bandeiras contra. Que ódioooooooooooooo!!!
    Mas uma coisa eu percebi que veio além do caso de se tratar apenas do aborto em si. O que ocorria é que como é de conhecimento geral que a Bella comeria de colherinha vagões de merda pelo Edinho lantejola, então não se tratava apenas de ser contra aborto, se tratava também de ser um filho dele, seria a união máxima que ela iria conseguir ter com ele, a nível celular, junção de DNA (tá, não vamos discutir as possibilidades biológicas desta gravides, whatever), etc e tal. Então Bella morreria de bom grado e sorrindo não tanto pela criança em si, maaaaas principalmente porque era um filho do Edward,sim!!! novamente por conta de Edward, Edward, Edward…

    14/07/2010 às 2:44 am

  58. Pingback: Twilight Haters BR – como tudo começou e porque tudo continua « Twilight Haters Brasil

  59. Sinceramente?? Acho que cada pessoa tem sua opiniao propria e nao deve ficar falando mal das coisas que voce nao concorda. Nao gostei de nenhum destes posts, e acho que essas pessoas que sao a favor do aborto, estao cometendo um grave erro em suas vidas. Acho que, se engravidou foi pq quis e entao deverao aguentar as consequencias. Na minha opiniao, essas pessoas que fizeram ou fazem mais e mais sites pra falarem mal sobre a saga crepusculo sao um tanto desocupadas….Pq, pensa soh, se nao gostam da saga crepusculo, pq se importariam em le-los e em falar sequer sobre os personagens da saga? Se eu nao gostasse desta saga, nao gastaria nem um centesimo do meu tempo falando mal deles, pq se eu nao gosto deles nao importo com eles, Entao acho bastante desnecessario esse tipo de post. Desculpa se ofendi alguem, mas apenas expressei um pouco de meus sentimentos em relacao a vida de criancas que sao indefesas e nao podem fazer nd para se defenderem (aborto) e sobre a opinioes proprias de cada um…

    16/11/2011 às 12:47 pm

  60. Ah, e me desculpem os erros de portugues mais o meu teclado ta estragado

    16/11/2011 às 12:48 pm

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s