2 Anos trazendo a lógica!!

Por um mundo sem baboseiras, obrigada!

Será que acaba em pizza de novo?

Será que acaba em pizza de novo?

O post de hoje, como muitos perceberão, terá pouquíssimo a ver com Twilight. Na verdade, o que terá da Lily, hater de Twilight, nesse post hoje será MUITO pouco. Haverá muito mais de Letícia Andrade aqui, a jornalista, como vocês notarão na assinatura. Porém, isso é um blog chamado “Twilight Haters Brasil”, o melhor meio que eu tenho para expôr minha opinião. E embora não ache que o público fiel desse blog fosse ligar caso esse post fosse UNICAMENTE sobre o que falarei aqui, em respeito ao pessoal que vem aqui ver os nossos artigos sobre Twilight, tentarei interligar os assuntos.

Sendo assim, vamos ao que interessa.

Não é novidade já a mais nova resolução do Supremo Tribunal Federal. Há duas semanas, o ministro Gilmar Mendes aprovou o fim da obrigatoriedade do diploma de Jornalismo. Para aqueles que não sabem, a discussão já vinha se desenrolando há alguns anos, e depois do fim da Lei de Imprensa, em maio, ganhou forças no STF. Segundo as palavras do próprio Gilmar Mendes, o diploma era “um meio de censura não aconselhado ao regime democrático brasileiro, pois vetava o direito do cidadão de se manifestar, impedindo a dita ‘liberdade de imprensa'”. Em poucas palavras, depois da segunda-feira, dia 22 de junho, qualquer pessoa pode veicular suas matérias em meios de imprensa, bem como ser contratada como “jornalista” fixo de um meio de comunicação.
Ok, vejamos isso do ponto prático da coisa. Havia duas coisas necessárias para que a pessoa pudesse ser contratada como jornalista. Uma delas era o diploma. Concedido por faculdades ao fim de quatro anos de curso, sendo que essa mesma faculdade precisa ter o reconhecimento do MEC para poder conceder o diploma. A segunda coisa que precisávamos – e isso pouca gente sabe, embora tenha sido a causa toda da discussão no STF – era de um REGISTRO no Sindicado dos Jornalistas, o FENAJ (não me perguntem o significado da sigla, eu sinceramente não lembro), que só era concedido para aqueles comprovadamente GRADUADOS em Jornalismo, um registro que substitui todos os documentos da pessoa, e que era exigido para a contratação. Ou seja, se você quisesse MESMO ser jornalista, teria que ter o registro, e não o diploma. Só que para ter o registro, precisava do diploma. E como a FENAJ não estava nem um pouco disposta a mudar essa lei, o STF achou mais fácil derrubar o diploma logo. Assim, a FENAJ não teria opção.

O que muda, de fato, nessa história toda? Bem, até a FENAJ elaborar novas regras e critérios para a obtenção do registro (e provavelmente será escolhida a opção de se aplicar uma prova àqueles que quiserem o registro mas não possui o diploma), levará uns bons oito anos, no mínimo. Até lá, QUALQUER UM pode tirar o registro. Ou seja, qualquer um pode ser jornalista. Gilmar Mendes conseguiu, pelo visto. Agora, todo mundo pode dar suas opiniões em meios de mídia. Muito bem, senhor Ministro, parabéns. Mesmo com uma manifestação de duzentos ônibus repletos de jornalistas (e isso só do Estado de São Paulo, desconsideremos as outras centenas de ônibus que ninguém faz menção), e com uma pesquisa do SENSUS dizendo que SETENTA E QUATRO POR CENTO da população brasileira NÃO CONCORDAVA com o fim da obrigatoriedade do diploma, o senhor CONSEGUIU derrubá-lo. Agora, todos estão em seus plenos direitos de dizer o que bem entendem.
Problema, senhor Ministro Gilmar Mendes, é que TODOS JÁ PODIAM FAZER ISSO, MESMO SEM DIPLOMA. Ou vai dizer que o senhor jamais ouviu falar em blogs, enquetes, comentários e até mesmo Cartas ao Leitor? Vai dizer que o senhor não sabia que para ser COMENTARISTA OPINATIVO em QUALQUER jornal você só precisava ser especialista no assunto a ser abordado, sem a necessidade do diploma? Vai dizer que não sabia que mais da metade dos cronistas de jornais sequer possuem ensino superior, e mesmo assim poderiam escrever? Que mais de cinquenta por cento da população brasileira não saiba disso, nós até perdoamos, pois a população não tem culpa nenhuma de não ter acesso à verdade, e é absolutamente aceitável que elas confundam “comentarista” com “jornalista”. Agora, o SENHOR se confundir? Ministro e Chefe do Supremo Tribunal Federal, julgando o caso do diploma, e SEQUER saber disso? Senhor Ministro, o senhor consegue se mostrar pior do que nossa amada escritora Stephenie Meyer nesse ponto. Porque, se já achamos um tremendo ABSURDO uma escritora não pesquisar para escrever um livro, o que diríamos de um político de tão alto cargo em Brasília?

E agora, aqui vai algo da jornalista Letícia Andrade E da hater Lily. Senhor Ministro Gilmar Mendes, o senhor é um completo DEMAGOGO, dos maiores que já pudemos ver em nossa história. Já não basta TODAS AS COISAS PÉSSIMAS que temos em nossa mídia, alienando a cabeça da nossa população? Já não basta uma escritora amadora dizendo que NÃO PRECISAMOS SABER DAS COISAS, QUE PODEMOS ESCREVER O QUE QUEREMOS? Já não basta Twilight estar aí, completando a lista dos best-sellers, fazendo todos acreditarem que quantidade de vendas supera a qualidade? Agora, O SENHOR, O PRIMEIRO QUE DEVERIA DEFENDER A QUALIDADE DA MÍDIA BRASILEIRA, vem e derruba o mínimo de qualidade que tínhamos em nosso jornalismo já deficitário? Com todo o respeito, Gilmar Mendes, mas de porcarias, já me basta Twilight. Não quero ver a minha profissão se enchendo de matérias inúteis e mal-feitas, alienando a cabeça dessa pobre população que sequer pode se defender, também graças a vocês. E ainda o senhor vem tentando nos empurrar essa história da carochinha de que É PARA O NOSSO BEM? DE QUE É PELA LIBERDADE DE EXPRESSÃO? Isso já está garantido HÁ MUITO TEMPO, senhor Gilmar Mendes. O problema é que, por motivos que os senhores não querem revelar embora eu os saiba muito bem, fingem ignorar o fato de que OPINIÃO é diferente de INFORMAÇÃO. Para dar opinião, de fato qualquer um pode. Eu faço isso aqui o tempo todo, contra a digníssima senhora Stephenie Meyer, que por alguma razão eu a acho incrivelmente parecida com o senhor. Mas para INFORMAR com clareza e exatidão, da maneira como deve ser feito, com ética e verdade… isso não é pra qualquer um. E não é preconceito NENHUM contra os menos desfavorecidos que não podem pagar uma faculdade para conseguir o diploma, muito menos com aqueles que possuem rádios comunitárias para expôr suas OPINIÕES. Informação é algo MUITO sério, e formador de opinião pública. Portanto, não deve ser tratado apenas pelo mérito dos salários, sobre os quais o senhor faz questão de não mencionar em seus discursos. Então, Mendes, antes de mandar sua assessora falar suas baboseiras, dizendo que a profissão do jornalismo nada mais é do que uma atividade prática sem fundamentos teóricos, que qualquer um pode fazer, FAÇA O SENHOR isso. Como diria minha colega de profissão e faculdade, Gabriela Cleto, faça vocês mesmo um radiojornal por semana, um jornal impresso por mês, ou então tire fotos para os nossos trabalhos. Quero ver vocês fazerem tudo isso em um tempo diminuto, sem nenhum fundamento teórico. Quero ver os senhores fazerem isso de maneira que a notícia seja clara, objetiva ao máximo (não imparcial, que fique claro) e correta, tanto no ponto de vista da ética quanto da verdade. Se o senhor conseguir fazer isso – o que eu duvido muito – sem, com todo o respeito da palavra, CAGAR que nem certos autores fazem por aí cofMeyercof, eu retiro todo esse artigo daqui e sou a primeira a defender o fim do diploma. Não da obrigatoriedade, mas do diploma mesmo. Fim das faculdades de Jornalismo por todo o Brasil.

E agora, o lado hater da Lily falando, para não dizerem que eu fugi completamente do assunto. Nossa mídia já anda bem lotada de coisas inúteis, que ou não acrescentam nada ou só acrescentam o que não presta. E eu estou farta. Twilight já tinha sido o meu limite nessa história toda. Só que, pelo visto, querem mais. E não sei quanto a vocês, leitores desse blog, mas eu não quero mais merdas por aí, em público. Porém, pareço que nossas autoridades não pensem o mesmo. Darei ao senhor Gilmar Mendes um retrato tamanho real de Stephenie Meyer. Ela com certeza seria uma ótima propaganda dessa ação ridícula. Afinal, quer maior exemplo de alguém que falou o que quis, as merdas que veio à cabeça, e ainda foi proclamada uma heroína?

Sem mais

Letícia Andrade

Anúncios

30 Respostas

  1. Giovanna

    Ótimo post, Lily!!!
    Totalmente sensacional!!!
    Parabéns!!

    26/06/2009 às 11:43 pm

  2. Mahh

    Lily diva.

    26/06/2009 às 11:52 pm

  3. Jessica Mellish

    Isso justamente em uma época onde os futuros jornalistas são twilight lovers, PALMAS! D:

    26/06/2009 às 11:59 pm

  4. Twilight Haters

    Diante do meu problemático histórico com textos jornalísticos, com opiniões de diversos jornalistas sobre suas produções textuais (muitas das quais envolvem esse mito textual chamado “imparcialidade”) e da minha birra natural com o que diz respeito à mídia, eu prefiro ficar bem quietinha sobre esse assunto pra evitar constrangimentos.

    (Ana)

    27/06/2009 às 12:28 am

  5. Cássia

    1- Me lembre de nunca te irritar… eu gosto de estar viva
    2- ESSE CARA E DEMENTE???
    2- O que é demagogo?? (ainda to no segundo ano… vcs não esperam que eu decore o dicionario xD)

    27/06/2009 às 12:36 am

  6. Muito digno, Lily.

    Eu também faço Jornalismo, feliz ou infelizmente. Agora tenho que aturar o povo dizendo que até eles podem ser jornalistas. Afinal, qualquer bocó que sabe escrever um parágrafo agora pode.

    O problema é que ninguém gosta da nossa classe, Lily. Para os políticos agora é lucro, podem colocar qualquer um na assessoria equando quiserem, pensa bem. O Q.I (Quem Indica) agora tá mais que liberado.

    Fazer o quê agora? Provar que o diploma vale sim, e muito!!! Vamos ter que ser triplamente melhores agora.

    27/06/2009 às 8:07 pm

  7. Nanda Saisei

    Que bonito heim? Eu como estudante, adoro Literatura. Gosto de sentir orgulho quando leio obras da nossa literatura, obras por vezes, gênias. Agora, imaginem nossos tataranetos sentindo orgulho de MERDAS que nem Twilight. Tcs, tcs.. que pena de vocês, meus tataranetos.

    27/06/2009 às 11:49 pm

  8. Ritsuka

    Atualmente eu estudo para entrar no curso de Jornalismo. Não sei exatamente quais foram os critérios do Sr. Ministro para vetar a necessidade do diploma, já que me recuso a acreditar em um discurso feito como “Liberdade de expressão”. Como Lily bem citou, existem blogs, colunas de opinião e várias coisas para que a liberdade da opinião seja exposta. Penso que talvez seja uma jogada envolvendo questões de pagamento no contrato de um jornalista. A cada ano é mais difícil encontrar um jornalismo correto e não apelativo no mundo, (Exemplos claros são aquele vídeo fake supostamente gravado dentro do Air 447 que foi exibido ao vivo em um telejornal de outro país do qual não me recordo e o próprio L.A Times, que divulgou a morte de Michael Jackson antes da nota oficial do hospital.) mas creio que os jornais integros darão preferência para as pessoas formadas e capacitadas.

    28/06/2009 às 12:47 am

  9. Carol

    Eu tava em duvida de fazia Jornalismo ou Arquitetura… me decido por arquitetura!!
    Os Jornalistas (como qualquer outra profisão) precisam de diploma SIM
    Vamos usar outra profissão como exemplo…
    Farmaceutico… qualquer um pode indicar um remédio… vamos dispensar o diploma… NÃO… O farmaceutico formado saberia indicar o melhor remédio pra cada ocasião diferenciando os minimos detalhes dos sintomas!!

    28/06/2009 às 3:07 am

  10. Twilight Haters

    É triste ver que o povo desiste de Jornal agora por causa disso… tsc tsc tsc

    E Carol, sem querer desanimar, mas desanimando… Arquitetura é o próximo da lista do Gilmar Mendes. Segundo ele, não precisa de diploma de Arquitetura obrigatório, porque qualquer técnico em Urbanismo faz o mesmo trabalho O.O

    *Esse Gilmar Mendes, ai ai ai*

    Lily

    28/06/2009 às 3:15 am

  11. MEU GÓDINHO DO CÉU! Olha, são 3:45 da madrugada, eu bebi mais do que devia e vou escrever tudo que vier a minha cabeça, certo?
    O que é demagogo??² (estou no oitavo ano/sétima série, as únicas palavras chiques que sei são: estupefato (que eu descobri por meio de HP), mentecápto (por meio de Chaves, o Kiko fala em um episódio) e por obséquio (A Sua Lineusa falava em Diarista))
    Cara, esse Gilmar Mendes merece umas boas porradas. Melhor, merece uma morte lenta e dolorosa (lê-se Cruciatus). Eu estou em dúvida sobre o que fazer, mas jornalismo é uma das grandes opções. Agora, com essa lei idiota, eu nem sei mais, porque daqui a pouco esse Gilmar vai começar a ferrar mais outros cursos.
    Lily, vocês está de parabéns, ótimo texto.
    Bjss ;*

    28/06/2009 às 4:46 am

  12. Ritsuka

    Bom, demagogia seria conduzir o povo com uma linguagem apelativa (as famosas promessas de campanha) para uma situação que não pode ser colocada em prática, visando o benefício pessoal. Demagogo é o que faz isso.
    Talvez esse nem seja o sentido puro da palavra, mas diariamente é usado dessa maneira.

    28/06/2009 às 12:16 pm

  13. Ane

    Demagogo é aquele que abusa da democracia, certo?

    Ótimo post, Lily! Eu realmente gostaria muito de cursar Jornalismo – ainda quero – ou psicologia. Talvez os dois. Esse Senador aí chega quase a ser pior que o Senador Azed… Azeredo.

    Ah, eu também estou no oitavo ano, Mari’ \o

    28/06/2009 às 4:32 pm

  14. Concordo em gênero e grau.
    Desde quando você precisa de um diploma para expressar sua opinião? Aposto que um dos filhos dele não conseguiu passar no vestibular pra jornalismo e ele ficou revoltadinho, o que resultou na abolição do diploma de jornalismo u_u

    28/06/2009 às 8:17 pm

  15. eu acho que se as pessoas querem se expressar, colem uma faixa com o que querem dizer na frente de casa, bastante gente vai ler, com certeza. Não precisa ser jornalista para se expressar, jornalistar estão aqui para informar as pessoas. Deixar que qualquer um, qualificado ou não, informe a população altamente influenciavel brasileira é pedir por mais pessoas alienadas ou com opinião duvidosa por aí.

    Foi um ótimo post, parabén, Lilly.

    29/06/2009 às 12:32 am

  16. Cássia

    PS: Esse comentário em nome da Carol foi meu… mas eu tava no PC dela e não vi o nome!! xP

    29/06/2009 às 12:37 am

  17. Twilight Haters

    “Deixar que qualquer um, qualificado ou não, informe a população altamente influenciavel brasileira é pedir por mais pessoas alienadas ou com opinião duvidosa por aí.”

    Mas isso aí depende mil vezes mais do jornal do que do profissional.
    Na verdade, eu nem sei se já cheguei a comentar, eu acho que tirando a obrigatoriedade do diploma, a maior perda seria no que diz respeito à parte técnica do jornalismo. Sabe, não sei explicar, mas não no “transmitir a notícia” em si. Achei mega nonsense essa coisa de dizer que a obrigatoriedade do diploma fere a liberdade de expressão, ainda mais um negócio desses sendo alegado em um país onde querem impor um toque de recolher pra adolescentes, ferindo o Estatuto da Criança e do Adolescente… ninguém tem liberdade de expressão pra escrever um texto jornalístico – por “texto jornalístico”, falo de editoriais, notícias e reportagens, porque os demais textos veiculados em jornais e revistas, pra mim, não são jornalísticos. E ninguém precisa ser jornalista pra escrever, de repente, uma crônica ou um artigo de opinião (basta um Quem Indica pra conseguir publicar, só) – e também não tem liberdade de expressão pra publicá-la em qualquer meio de comunicação. Acho que já me perdi no comentário, mas o que eu quero dizer é que, no fundo, sobre a formação de opinião da massa e a má qualidade do que vai ser escrito, tanto faz se o cara tem um diploma ou não. Se um jornal de direita quiser que ele escreva uma notícia sobre um acontecimento qualquer do governo Lula e fale que o Lula só faz coisa errada, ele vai ter que escrever, mesmo que seja sobre o maior acerto da gestão do presidente :P eu desisti dessa graduação por causa disso. Não dá pra morrer de fome escrevendo só pra jornal que atenda aos meus ideais e eu não acho que o mundo é uma Vila de Smurfs e que os jornais de maior circulação não têm a menor intenção de serem tendenciosos pra ideologia dominante.

    O jornalista tem a técnica do texto jornalístico e tudo mais, e nesse ponto o diploma faz falta. Eu, particularmente, não gosto de textos jornalísticos. E nem é por preferência pelos literários, é porque eu não sei que diabos se ensina na faculdade, mas acho que muitas vezes eles são muito redundantes, dá a impressão que o cara repete 100 vezes a mesma informação porque PRECISA preencher o espaço – e falo dos textos de jornais como a Folha e o Estadão, mesmo, não só da Gazeta de Piracicaba. Mas entendo que é um padrão e que alguém tem que saber escrever nesse padrão. Da mesma forma que o procedimento pra escrever envolve trabalho de pesquisa e tudo mais, não é só “opa, vi e (não) gostei, vou transformar em uma matéria!”.

    Por isso minha opinião sobre é meio controversa.
    Não dá pra desvalorizar a profissão assim, eliminando o diploma, achando que ser jornalista é só escrever/aparecer na TV ou coisa do tipo. Por outro lado, pra fazer SÓ essa parte, não tem a menor necessidade de um diploma. O problema é que a informação nunca chega mastigada e pronta pra ser redigida.

    Não sei se falei besteira, não tenho experiência na área, mas é minha opinião… :p

    29/06/2009 às 10:04 am

  18. Vi o artigo pelo iPhone e me recusei a ficar quieta sobre o assunto xD
    Não sou estudante de jornalismo e nem gosto da área, para falar a verdade. Acho a mídia atual alienante, sensacionalista e, acima de tudo, apelativa, focando imagens na cara de vítimas em prantos e perguntando como diabos elas se sentem apenas para a indignação de quem assiste a TV (que feio, Jornal Nacional, isso porque vocês deveriam ser exemplo já que são a suposta referência de telejornal – aka a tevê que a massa mais assiste).
    Enfim, de qualquer modo sou completamente fora da área de jornalismo, foi o que quis dizer. De qualquer modo, sou completamente contra essa imbecialidade e bestialidade que nosso formidável e inteligentíssimo Gilmar Mendes (not) tem aprontado, alegando ainda por cima que ter um diploma seria ferir a liberdade de expressão. Pois bem, se um diploma fere a liberdade de expressão, então por quê nosso digno e inteligentissimo Mendes não percebe que dentro do artigo 5o da Constituição Federal de 1988 além de ter um item que fala sobre a tal liberdade (que é justamente onde ele se apoiou), também tem um que fala sobre os direitos da pessoa serem invioláveis, tais como A INTIMIDADE, O MORAL, A PRIVACIDADE e entre outros – algo que os jornais sensacionalistas hoje burlam com tanta facilidade apenas para conseguir mais pontos no Ibope?
    Derrubar algo sem medir as consequências é, no mínimo, infantil e completamente sem senso. Se a parte informativa do país já está a porcaria que está (vide massa da população que não tem instrução nenhuma e se acha muito cult por assistir apenas Jornal Nacional), em um país onde mais da metade da população não possui grau de instrução nenhuma (nem para defender seus direitos como processar o fucking jornal por violação de seu moral), imagina como vai ficar quando QUALQUER UM puder escrever em um jornal? Oi, controlar a massa ficou ainda mais na cara e, como em tudo nesse país, a galera só se conforma – culpa que, aliás, coloco em GV.
    É, Gilmar Mendes, você quer transformar o povo bestializado de Lima Barreto cada vez mais em bestas. Palmas para você.

    O ENAJ (é esse o nome) poderia bater o pé no chão, dizendo que não vai aceitar quem não tenha o diploma, como forma de protesto, sei lá… Ai, fico inconformada com essas coisas.

    29/06/2009 às 11:23 am

  19. Lena

    Olha o que os jornalistas reclamam a gente da área de informatica sempre viveu.
    Qualquer um pode dizer que sabe programar, que sabe desenvolver um software, que sabe trabalhar como designer e no fim 90% nao faz porcaria nenhuma disso.
    E tem várias outras profissoes que sofrem com a mesma coisa.
    Eu sou obrigada a falar que voces reclamam demais.
    Garanto que várias pessoas com vocação pra jornalistmo nao fazem porque nao tem condições de pagar a faculdade. E nao adianta dizer que o governo incentiva porque voce tem que estar morrendo de fome pra conseguir uma bolsa 100% e muitas vezes a pessoa nao tá passando fome mas irá passar se pagar uma faculdade de jornalismo (que é cara diga-se de passagem).
    Voces falam como se todo mundo de repente falasse “PUTAQUEPARIU AGORA VOU SER JORNALISTA”
    Nao é nada assim e só é jornalista quem quer e gosta. Nao é qualquer mané que vai decidir pela profissão só porque nao precisa do diploma.
    (Em informatica a gente só se fode, qualquer escolazinha de esquina pode fingir que dá curso de programação) DICA!

    30/06/2009 às 1:26 pm

  20. Dhiro

    Irritados devem estar os estudantes de Jornalismo que estão terminando a faculdade. Digo, passar três anos estudando, se matando e depois descobrir que até o mendigo bêbado que vive na esquina da casa dele pode ser jornalista é… Broxante. .-.

    Enfim, ótimo post, eu nem sabia disso até agora e eu estava considerando fazer faculdade de Jornalismo, estava dividido entre isso e Letras, e ainda estou @_@

    30/06/2009 às 2:11 pm

  21. Maya

    Lily! Esse foi um texto desabafo que certamente fez muita gente se identificar. Eu por exemplo. Sou publicitária e minha profissão não é regulamentada, ou seja, qualquer arigó que faça um cartão de visita no word pode se auto-intitular publicitário. Não é difícil isso, na minha cidade, quase todas as grandes agências são conduzidas por não-publicitários (por isso a qualidade da propaganda local não merece nem comentário). Eu, como redatora, fico em situação pior ainda, porque qualquer imbecil que junte 8 palavras (o máximo para um outdoor) pode daqui a pouco estar tirando o espaço de verdadeiros profissionais no mercado, porque são mais baratos e mais fáceis de descartar se dá uma merda qualquer.
    A questão é, enquanto profissionais da publicidade usavam jornalismo e rp como modelo para a regulamentação da profissão, enquanto lutamos para dar esse passo, o ministro imbecil anda na contra mão, provocando um retrocesso imperdoável!
    Me solidarizo com a sua indignação, Lily.

    30/06/2009 às 5:12 pm

  22. amenaske

    Parabéns pelo texto, Lils, mas tem uma coisa que eu gostaria de falar que eu vi em um dos comentários:
    “Farmaceutico… qualquer um pode indicar um remédio…”
    Errado. Meu professor de Biologia é formado em farmácia e ele disse que não é qualquer um que pode indicar um remédio. Remédios são perigosos DEMAIS para qualquer um indicar. Mais perigosos do que informações erradas que pessoas sem diplomas podem publicar. Ter faculdade de farmácia. Por mais que algumas farmácias não levem isso em consideração, elas só querem dinheiro.

    Lils, olhe pelo outro lado. Eu não sei onde vi, mas foi um exemplo super válido. Existe alguém, em algum jornal famoso que é Engenheiro de Bombas e escreve para esse jornal. Um jornalista, com diploma, que passou seus 4 anos na faculdade, não iria saber mais que uma pessoa que se formou na area da qual está falando. Eu sou a favor do diploma para jornalistas que pretendem abranger algo mais… Amplo(não é bem essa a palavras, desculpa, não consigo lembrar). Claro que como qualquer outra profissão jornalistas também devem ter direito ao diploma e que isso seja levado em consideração na hora da escolha, mas não acho que tem que ser obrigatório. Acho que ficou meio confuso esse comentário.

    30/06/2009 às 5:40 pm

  23. Ora, por que não abolimos então o diploma de tudo? Aí todo mundo pode receitar remédios, advogar, SER MÉDICO…

    30/06/2009 às 6:48 pm

  24. Twilight Haters

    Ah, eu concordo um pouco com a Lena. Nunca tinha parado pra pensar nisso em outras áreas, mas veja…

    Até na minha área (cof, “minha”) acontece, de certa forma. :P
    Ok, pra dar aula na educação infantil e no ensino fundamental, precisa ter licenciatura, precisa de diploma, não serve mais técnico em magistério e tudo mais…

    Mas, no Ensino Médio, isso tá regularizando só agora. O profissional não precisa de licenciatura PRA SER CONTRATADO – a menos que seja concursado na rede pública -, apesar de precisar de um curso superior (se precisa, muita escola tá burlando a lei). Se ele é formado em Engenharia Agrícola (?), pode dar aula de Biologia. Conheço um caso de um Engenheiro que dá aula de Português. Aí eu me pergunto porque eu to fazendo uma graduação em Licenciatura em Português se, tipo, a Língua Portuguesa é tão “domínio público”.
    Isso em colégio regular. Em escola de inglês, qualquer um dá aula. Existem vários cursinhos preparatórios que também têm as aulas regidas por alguém que não tem a menor ligação com a área da Educação. Aula particular, então, nem se fala. Domínio da matéria é mais que suficiente pra divulgar que dá aula particular… tá, eu questiono MUITA coisa das pedagogias, de práticas de ensino e tudo mais, mas… a gente passa anos e anos vendo políticas educacionais, psicologia da educação, conhecendo como funciona o processo de ensino-aprendizagem, mil teóricos e teorias diferentes, e tem um monte de lugar que enfia gente que nunca nem passou perto disso dando aula… mesmo colégio regular :P e, bom, aparentemente funciona mesmo assim…

    Não to dizendo “opa, vamos tirar todos os diplomas”, só que… bom, nem sempre é muito necessário aquele conhecimento teórico todo pra fazer a coisa funcionar.

    30/06/2009 às 7:36 pm

  25. Anne

    Eu juro que me recuso a ler esses comentários do tamanho de bíblias por pura preguiça.

    Bom, eu concordo plenamente com você, Lily. Achei uma sacanagem isso de eles tirarem o diploma de Jornalismo e deixarem que qualquer um seja Jornalista. Isso, além de desvaloriszar a profissão, é uma filha da putagem -q com quem já está na faculdade/é formado.

    E a teoria é a base para que a prática seja realizada, então eu acho sem fundamento liberar tudo pro povo. Fico imaginando fãs e haters de twilight fazendo notícias.

    Aliás, ainda estou tentando imaginar como vai ser ter um bandifangirls de Twilight no AF ~~

    Enfim.

    Ótimo post, Lily.

    30/06/2009 às 9:22 pm

  26. amenaske

    Acho que foi a Ana que fez o comentários sobre professores e talz.
    Meu professor de Física é formado em Engenharia Mecânica e só cursou 3 ou 4 períodos de Física e deixou o curso, mas ele só apenas a parte de Física que cabe a um Engenheiro Mecânico.
    Eu acho isso bem parecido com jornalismo. Eu sou contra a retirada definitiva do diploma, mas acho que não é obrigatório para ser jornalista se a pessoa vai falar de um assunto específico que ela domina,sabe? Eu não consigo explicar.

    01/07/2009 às 8:42 pm

  27. Julia

    precisava me atualizar urgentemente aqui no Twilight haters! enfim, começarei, é claro, com post da Lily \o/ -Q

    entendo a sua frustração sobre o assunto, e mesmo eu não gostei de ver a retirada do diploma para ser jornalista. Acho que qualquer um tem o direito de escrever o que quiser, mas isso já não era feito? ._.
    sei lá, achei meio sem nexo, e pior pode prejudicar ainda mais a informação no país, que já é precária…

    29/07/2009 às 7:07 pm

  28. Luh

    Realmente verdade. Pretendia fazer jonalismo, mas agora, será qeu eles dão diploma para alunos da sexta série do ensino fundamental?
    Rídiculo, via piorar a mídia brasileira que já é bastante ruim(cof cof péssima, manipuladora e sem a mínima imparcialidade cof cof). Enfim, sem nexo MESMO. Daqui a pouco vão estar anunciando nos jonais que twilight é o melhor livro de todas as eras e que Meyer deveria ser idolatrada. Poxa, Como retirar o diploma? Pode ser exercido por qualquer um? Não! É muito mais do que só escrever o que vier na cabeça! *raiva*

    25/09/2009 às 7:04 pm

  29. Carol L.

    Eu quero Jornalismo, e não vou mudar de ideia por causa dessa putaria, porém, desanima. Milhões de pessoas estão se sentindo ridicularizadas pelo Governo por causa da aprovação dessa lei. E quer saber?
    Isso só faz do Brasil mais uma piada. Governante quer é isso mesmo, um povo burro e alienado.
    Agora o que nos resta é a FENAJ conseguir fazer alguma coisa. Li no site que estavam pensando em rever a lei.

    13/10/2009 às 2:13 am

  30. Carol L.

    *Milhares… ou é milhões? ‘-‘

    13/10/2009 às 2:15 am

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s