2 Anos trazendo a lógica!!

Meyer não é a dona da Verdade

Ninguém é, mas, com certeza, ela está BEM abaixo…

 

Além do famoso “Vocês tem inveja!” e “Faz livro melhor” há um outro argumento lover bem usado também, que é “Vampiros não existem e a Meyer pode fazer o que quiser com eles!” (Eu pelo menos já li isso várias vezes).

A resposta é óbvia, certo, caros haters?

 

 

 

 

Não, ela não pode.

 

 

 

“Mas, por quê? Se vampiros não existem?”

 

Vou explicar…

Bem, pra começar…É, eu também acho que vampiros não existem (O que é uma pena, certo?), segundo: Não tem vampiro nenhum no livro e eu vou repetir isso até o fim!Nem que eu tenha que reescrever o “Vampiros: Onde a Meyer Errou” porque tem muito lover preguiçoso que se recusa a ler =P!Ou lê 3,5 só pra dizer a frasezinha que eu vou justificar aqui.

Terceiro: Quando escrevemos um livro, há diversos fatores que devem ser seguidos. Além do básico de ver se não há história parecida, título parecido e etc.

Acontece que, desde quando se escreviam épicos, há alguma “regras” que devem ser seguidas para uma boa história ser formada, não importando se você for usar algo existente no plano escrito ou não.

Como assim? Bem, vamos por partes, como diz Tio Jack!

 

Vampiros, apesar de terem nascido através de lendas do folclore europeu há muito tempo, acabaram sendo imortalizados na obra de Bram Stoker. Imortalizados no sentido de que: A partir daquele livro, de toda a pesquisa feita por Stoker, criou-se um padrão para as histórias vampirescas. Assim como todos os “monstros” que conhecemos (Lobisomens, as múmias do cinema, Frankenstein…).

Tecnicamente, isso agora é minha opinião mas gostaria que ela fosse lida, os seres que eu citei acima estão em um patamar maior que os Contos de Fadas, que por sua vez está abaixo até da Mitologia. Porque a mitologia e os “monstros” (Vou chamá-los assim por enquanto, apesar de não gostar do termo) são parte do folclore do mundo.

Ora, TODO MUNDO conhece pelo menos UM de cada gênero que listei acima, não é mesmo?

Mas por que então os contos de fada não estão citados no folclore do mundo, se são mundialmente conhecidos? Por que são CONTOS. Não se basearam em lendas cheias de teorias, relatos e etc. Os contos foram formados apenas para explicarem certos fatos às crianças, e que, com o passar do tempo, foram se alterando até entrarem nos livros de Grimm, Perrault e Andersen.

Ao contrário do plano folclórico e mitológico, nós podemos fazer transformações nos contos de fada. Pois os próprios que lemos atualmente foram quase que 100% alterados. E, por trás deles, há um enredo fraco que, se mantermos pelo menos um fato, pode-se alterar o resto que todos ainda saberão do que se trata.

Por exemplo: Chapeuzinho Vermelho.

Se pedirem para você, agora mesmo, explicar APENAS quem é a Chapeuzinho Vermelho, a personagem, o que você diria?

“Uma garota que usa uma capa vermelha com capuz”. Ponto. Pois em qualquer conto não há mais nenhuma descrição da menina. Em alguma ou outra falam que ela tinha o cabelo de tal cor, mas só.

Ou seja. Pela fraca descrição, EU posso colocar que ela tem o cabelo azul e piercings. Deixando a capa vermelha e o motivo pelo qual ela vaga pela floresta: Levar comida à avó doente.

Para as crianças o conteúdo da cesta é sempre doces, geléia e coisas fofas. Na história ORIGINAL é pão-de-ló e vinho… Bem, tendo a cesta, eu posso transformar minha vovó em canibal e levar pedaços de crianças mortas na cesta.

“Opa, mas você não tá mudando o rumo da história?”.

Não.

Pois ela ainda é a menina de capa vermelha que vai pela floresta levando uma cesta de mantimentos para a avó doente. E aí? Ainda é a Chapeuzinho Vermelho, não é?

Pois os contos são tão fracamente descritos que eles abrem uma gama de possibilidades de escrita sem se alterar o enredo.

Na realidade… Chapeuzinho Vermelho era um conto para alertar crianças sobre os senhores sequestradores pedófilos que vagavam nas florestas. Transformaram-nos em “lobo mau” só pra ficar mais “claro” que não se deve falar com estranhos.

No conto original, a avó é assassinada pelo lobo, mas não comida (Literalmente). Pois o ser a pica, cozinha a carne dela, coloca o sangue numa garrafa de vinho e depois, já disfarçado de vovó, serve para Chapeuzinho Vermelho, que a come =D! Outra forma muito “fofa” das mamães dizerem “Não aceitem comida de estranhos”Isso é com certeza um exemplo que a minha mãe daria >D!

Ah, e antes do “Que olhos graaandes você tem”, o lobo fala pra menina deitar-se na cama com ele. MAS a roupa dela está suja e ela precisa tirá-la. Entre vários “Já tirei minha <insira peça de roupa aqui> vovó” e “Mas suas <insira peça de roupa aqui> também estão sujas” a menina deita na cama quando já está quase que totalmente despida (Em outras versões… Totalmente…). Aí vem o “Blá,blá,blá que olhos grandes você tem” e ela morre no final! Êêêê…

 

“Pela estrada afora eu vou bem sozinha…” (By:DaakSM)

 

Cá pra nós… Muito mais legal assim!

 

Você me pergunta então: “E o caçador?”

 

Não tem =D!

Depois colocaram pra coisa não ficar TÃO trágica…=P

Tá vendo? Eis o original! E atualmente esse conto foi TÃO alterado que, além do enredo já fraco e vazio, se tornou uma história bobinha. Oras, o enredo AINDA é o mesmo. Então…

E então por que diabos não podemos alterar o folclórico? Porque ele tem toda uma definição, uma descrição… (Lily: e um enredo MUITO BEM DEFINIDO!)

Você colocaria os pés do Curupira pra frente? Colocaria mais uma perna no Saci? TIRARIA A CAUDA DE PEIXE DA SEREIA (Sereia = Mermaid aqui, oks?)? Nãããão… Ceeeerto?

ENTÃO PORQUE DIABOS VOCÊ QUER FAZER O VAMPIRO BRILHAR?

 

E o melhor de tudo: Sem qualquer explicação decente.

 

Os filmes/livros/animes colocam seus vampiros no sol através de protetores solares especiais e guarda-chuvas, uma proteção básica e que dá certo.

E vampiros brilham no sol porque…………………..?

“Ai, a pele deles se assemelha ao diamante”…Oe…E do diamante fez-se o homem \o/…-n.

“Ai, porque eles são feitos de uma substância que…” -n². (Lily: NENHUMA SUBSTÂNCIA BRILHA AO SOL, até onde vai minhas aulas de Química.)

 

Oi, vampiros AINDA são “humanos” apesar de estarem pseudo-mortos. Eles não são alienígenas, bjs.

SE a Meyer quisesse que fossem, poderia dar uma boa explicação, AÍ SIM seria plausível o fato da pele deles brilharem e etc.

CONTUDO: Eles não seriam mais vampiros, e sim alienígenas que AGEM quase que como um vampiro.

“Mas eles são uma raça nova!”, foda-se, eu quero uma BOA teoria que prove isso. Como Stoker fez, como Rice fez, como o caralho a quatro fez. Não tem explicação? Não é vampiro, não é raça nova, não é nada. É apenas um erro. Um ÓTIMO exemplo de como a Meyer não sabe escrever MESMO.

Apresento-vos Horácio! Poeta épico e satírico, filósofo. Um dos maiores poetas da Roma Antiga.

Ele criou uma coisinha chamada Arte Poética. Nela há algumas dicas de como se formar um bom poeta, e que com certeza deveria servir para os escritores de hoje.

Umas das dicas, a minha preferida aliás, diz que não se deve alterar o que já se foi criado.

Claro que suas regras aplicavam-se aos poemas, MAS eu, na faculdade (Oi, Unifesp) aprendi que estas regras DEVEM ser seguidas até mesmo atualmente!Peeena que nem todos fazem isso…

 

Horácio

“Você tá dizendo tudo isso, mas a JK Rowling também mudou e…” …Onde?

Nas Horcruxes?…Ela explicou.

Nos Animagos?…Ela explicou.

Em como os bruxos conseguem viver entre os trouxas?…Ela explicou.

Nos Animais Fantásticos?…Ela explicou.

No Quadribol?…Ela explicou.

Elfos Domésticos?…Ela explicou.

(Lily: Nos vampiros?… Ela explicou. E MELHOR, NÃO MUDOU O PRINCIPAL!)

Preciso continuar?

 

“Ah, mas os Sereianos…”

Eu já disse isso naquele meu post das Sereias (“Sereias? Ah Meyer…”). Mas vou repetir: Sim, a JK alterou a forma das sereias padrão que conhecemos (Digo das Mermaids. Sirens são DIFERENTES em alguns aspectos! Se você for reclamar disso, vá ler meu outro post antes) MAS ela manteve MUITO BEM as características de ambas as espécies: Inteligência, persuasão, boa voz e habilidade. Essas características sempre definiram as sereias tanto as Mermaids quando às Sirens, ela misturou muito bem as raças.

“Mas a Meyer também fez isso!”

Ah, NOSSA, os caras tem forma humana!…OH!¬¬…

Nosferatu também tinha!E, vejamos:

Nosferatu: Apesar da aparência, tinha medo do sol, criatura noturna, sugava sangue humano, medo dos objetos religosos, tem caninos enormes, vira morcego, totalmente baseado (Era pra ser uma versão de personagem alterado) em Bram Stoker…Hmmm…Vampiro!

nosferatu2

Nosferatu gatineo pegael…-n

Cullens: Forma humana… Brilham no sol, não são nem noturnos nem diurnos porque não dormem, só tomam sangue de animais, não tem medo de nada religioso, não tem caninos, não tem nenhuma habilidade metamórfica, Meyer SEQUER leu Stoker…Hmmm…Bo-o-o-ring.

Glitter Cullen’s… Em breve numa papelaria perto de você.(Cansada de pegar fotos dos brilhosos)

Prefiro o Nosferatu. SE prefiro.

 

“Prefiro os Cullen” Você não sabe nada sobre os vampiros de verdade =D!

 

Tenho a leve sensação que esse post vai ter uma parte 2 .____.

Anúncios

48 Respostas

  1. Lilyh

    Isso foi uma das melhores coisas que já li (a parte dos ‘elogios’ a JK nem influenciou…). Sabe, mostra que não odiamos simplesmente por odiar, temos lógica. E também temos pessoas que escrevem bem, porque o post tá ótimo.

    Uma parte 2 seria bem vinda…

    23/05/2009 às 9:34 pm

  2. amanda

    por que odiar uma coisa que não exerce nenhuma influência sobre vocês? não tenho cada contra twilight e nem estou defedendo, mas isso me parece coisa de quem quer aparecer E não tem o que fazer. pra quê se dar tanto trabalho?

    23/05/2009 às 11:32 pm

  3. Anísio

    Ah, esse post tá ótimo!

    Eu lembro que bem no início, quando eu tinha começado a odiar os livros da Meyer, eu achava esse argumento de “ela acabou com os vampiros” complicado, justamente por ser ficção, e um pouco porque pessoas que idolatram vampiros me irritam mesmo. kkk.

    Mas enfim, a questão é que como a Giovanna disse muito bem, existe um conjunto básico de regras que definem o que é um vampiro. Claro que dá pra se transgredir essas regras, mas eu acho isso só é válido quando se tem um motivo muito bom pra fazer isso, que de preferencia extrapole o próprio plano da ficção. Agora, mudar o básico do básico só porque você acha que vai ser mais “massa” reinventar as regras, ou porque vai deixar os vampiros mais tesudos ( ? ) é mais do que inaceitável.

    e AMANDA, querida, eu falo por mim: Crepúsculo exerce uma influencia enorme sobre mim. Me dá nojo, me deixa revoltado, me perturba… acho que isso é motivo suficiente pra odiar. E criar um blog pra desabafar nas horas vagas tá bem longe de ser um trabalho infernal, acredite.

    23/05/2009 às 11:46 pm

  4. Bom… Acho que cada um tem seu motivo para odiar, e o que é o ódio sem boas explicações para esse sentimento? Se formos pensar assim, para que amar, para que criar centenas de fansites – que não acrescentam absolutamente nada, ao contrário desse blog – dedicando o tempo livre a pessoas que nunca veremos na vida e que nem sabem nossos nomes? Ambos, amor e ódio, são as mesmas coisas: sentimentos. Justificá-los não é um “quero aparecer”, é um dever. Afinal, seria muito idiota dizer “odeio porque odeio” e “amo porque amo”.
    Minha opinião.

    O post ficou ótimo! Não sabia da versão original da Chapéuzinho… Deu medo.
    Eu não tenho nada contra a “raça de vampiros” da Meyer. Okay, eu acho tosco eles brilharem, mas não foi um fator influenciável. Deve ser porque eu não sou fã de vampiros – Twilight foi o primeiro livro de “vampiros” que eu li – então por isso nem me importei.
    Agora eu entendo como um fã de Stoker se sente, e >porque< sente isso! X)

    Parte dois, parte dois! *—-*

    24/05/2009 às 12:12 am

  5. amanda

    anísio,não entendo o porquê de um incômodo tão profundo… pode até ser uma pessoa louca, mas não consigo me sentir incomodada com uma coisa que só me incomoda porque eu deixo que ela me incomode, uma coisa que pode ser ausente na minha vida.
    é, pode até não ser um trabalho árduo, mas ficar discutindo com os fãs deve ser um sacão! OSIHOSIHSAOIHSOIHSIO, muita paciência.

    24/05/2009 às 12:16 am

  6. amanda

    yolanda, realmente, a história da chapeuzinho é assustadora, mas eu adorei :P

    24/05/2009 às 12:19 am

  7. Anísio

    Amanda, antes de mais nada, discutir com as fãs não é um sacão. tudo bem que é frustrante, de vez em quando, quando você tenta explicar porque você não gosta do que elas gostam, e elas acabam caindo nas mesmas respostas de sempre (e ainda assim tem toda uma diversão marginal em ver o quanto uma pessoa consegue ser otária, kkk); mas é relativamente comum achar uma fã legal, que tá realmente disposta a discutir a série, e em alguns casos até dá pra gente descolar uma boa amizade por causa disso. Tá longe de ser um sacão.

    No mais, eu não julgo você, de coração, por ser escapista. É um direito que todo mundo tem, e é perfeitamente compreensível. Mas ainda acho bem digno colocar a boca no trombone quando alguma coisa incomoda você.

    24/05/2009 às 1:02 am

  8. Amanda, realmente, não há sentido em ficar atrás de algo que lhe incomoda. Mas não é o que vejo nesse blog. Eu acho que cada um deve ter um lugar para desabafar o que incomoda.Pra não termos que ficar atrapalhando as pessoas ao nosso redor. Num lugar próprio para podermos “desabafar”, vemos isso por todos os cantos, não é verdade?
    Crepúsculo é algo quase que totalmente ausente na minha vida, mas às vezes eu ouço comentários ou vejo notícias que me dão uma vontade louca de gritar que, do meu ponto de vista, eles não estão totalmente certos.Do meu ponto de vista, ok? Aí eu tenho um lugar pra falar o que penso sem atingir uma pessoa específica, apenas para dizer o que vemos e o que nos incomoda por dentro.
    Não sei se estou sendo clara, o frio me faz digitar bobagens, hehe.
    Mas a última coisa que queremos aqui é ofender as pessoas, esse é o essencial. Se alguém aparece para nos xingar (E não falo de você, pois vi que você veio dar sua opinião), nós nos vemos no direito de responder, aí sim às vezes acabamos indo além, mas é só porque outra pessoa foi, quando deixamos mil vezes claro aqui que não queremos ofender ninguém, apenas dar nossa opinião, a internet é aberta para isso!
    Até porque sabemos que tem MUITO fã legal e inteligente pra caramba que tá totalmente aberto a discutir com a gente (Vide e Yolanda acima ^^!)
    Assim como tem site lover para trocar idéias, temos nosso canto hater ^^!

    Versão original da Chapeuzinho ruleezzz…Vocês ainda não viram nada!A da Cinderela é demais!!

    24/05/2009 às 1:04 am

  9. Ana

    Bah, eu não sei explicar, sabe, mas quando eu vejo por aí milhares de pessoas colocando Crepúsculo num pedestal e falando que não existe nada melhor, me sinto até um pouco ofendida. Sobreviveria ao livro se ele SÓ fosse ruim (Paulo Coelho também é, Dan Brown também é), mas acho insultante que o ensino da leitura no Brasil (e no mundo, pelo jeito) seja tão falho que a maioria das pessoas, independente da idade, não consegue dizer “Olha, eu sei que o livro é lixo, mas achei bonitinho”. Como disse a Gi, não perco meu tempo procurando nada sobre Crepúsculo, mas quando escuto falar sobre, quero muito desabafar e acho que poder postar aqui quebra esse galho. E criar um blog pra desabafar nas horas vagas tá bem longe de ser um trabalho infernal, acredite. [2] ;)

    No mais, qto ao post da Gi, mais uma vez demonstro que conheço tanto de vampiros qto SMeyer. Nem sabia que eles são parte do folclore europeu, mas agora entendo a “gravidade” dessa descaraterização – digo, comparando ao folclore brasileiro, porque desse eu entendo e. Digo, um saci branco, de duas pernas, mas que continue usando um gorro vermelho, essencialmente, não é um saci. Ew. É só um menino (espera-se que) arteiro usando um gorro vermelho.

    Gi, poste links de onde conseguir os originais de contos de fadas! Ou manda por orkut mimimimi :D

    24/05/2009 às 1:06 pm

  10. kakai

    Eu confesso que sempre apreciei muito historias com vampiros, acho um universo muito sensual, ao mesmo tempo que é assustador, quando vi o filme crepusculo, eu achei bem esquisito, até comentei com meu marido que esses vampiros eram bem agua com açucar, bem light mesmo.Eu nunca tinha ouvido falar da historia da Meyer,vendo o filme, começei a ficar com medo daquela perseguição que o vampiro fazia com a Bella, até que veio aquele negócio de vegetarianos, brilhar no sol, putz, fiquei um pouco feliz quando ele falou que já tinha matado pessoas, mas eram só pessoas más,ai que santo. Pois é, mesmo depois do filme acabar e eu meio que achar bobeira ele não querer transformá-la (já que era escolha dela) eu resolvi pesquisar sobre a historia na net e fiquei sabendo do sucesso da saga, li todos os livros(os quatro e até a parte não terminada do Edward), via os erros, a falta de sentido até que o negócio começou a ficar ruim demais, e eu terminei o último livro com uma sensação péssima,foi aí que eu encontrei esse site,e vi muitas pessoas compartilhando da mesma opinião, eu adoro visitar esse site, acho os posts de muito bom gosto, não vejo sentido desse pessoal criticar tanto, será que é porque no fundo, no fundo eles concordam com o que esta escrito aqui e não querem admitir??? Afinal, está tão na cara!

    24/05/2009 às 6:41 pm

  11. kakai

    Ah, é claro parabéns pelo post, e pela interessante história da chapeuzinho,desde criança eu não engulia aquela história do caçador tirar a vovó viva da barriga do lobo, essa é muito melhor…

    24/05/2009 às 6:45 pm

  12. Arthur

    Parabéns pelo post, antes de começar a bombardeá-lo =x
    Não, eu não sou um fã de Crepúsculo, e nem sou um daqueles viciados em vampiros. Mas eu gosto que a informação seja bem passada xD
    Primeiramente, os vampiros não surgiram na Europa. Se bem me lembro – mas posso estar enganado – surgiram na Ásia. Cada vampiro, de cada lugar do mundo, tem suas próprias caracteristicas. Os chineses andam saltitando, e não sugam sangue, mas sim o Ki das pessoas. A energia vital delas. Já os mexicanos tem um cranio exposto no lugar da cabeça. Mas eles tem uma caracteristica em comum. Só uma: Eles se alimentam da fonte de vida dos seres humanos.
    E os da Meyer não fazem isso D=
    Eles estão mais pra chupa-cabra do que pra vampiros.
    E se alguém se interessar, a wikipédia em inglês tem uma lista dos vampiros e suas caracteristicas por região e panz. (Não li ela inteira, admito, li por cima e algumas das informações foram tiradas de posts da “Grinch” na comunidade “Eu odeio Crepúsculo”)
    E um detalhe interessante que você deixou passar: As lendas geralmente surgem para explicar algum fenomeno. Alguém pode ter visto um albino (pele pálida, olhos vermelhos, não pode ficar no sol…) e inventando que estava morto e andando (?). Assim como os deuses eram a explicação dos fenomenos da natureza, os “monstros” podiam fazer certas coisas terem sentido. Não sei qual a origem exata das lendas, mas geralmente tem um fundo de verdade nelas (bem absurdo e non-sense, mas tem =p)
    Mas, em geral, foi um bom post. Se baseando nos vampiros europeus realmente dá pra dizer que a Meyer destruiu o que eles eram e representavam ._.’

    24/05/2009 às 8:33 pm

  13. amenaske

    Adoro os post da Gio @____@

    Muito bom. Super dois no que você falou

    24/05/2009 às 9:24 pm

  14. Giovanna

    Arthur, sim, as lendas de vampiros começaram na ásia sim. Eu só me especifiquei nas européias pois são as mais usadas atualmente.

    24/05/2009 às 10:08 pm

  15. Arthur

    Sem problemas, Giovanna. =]
    É só que as vezes a gente não sabe dessas coisas – eu, por exemplo, não sabia até pouco tempo atrás =x – então é bom dar um toque =]

    24/05/2009 às 10:13 pm

  16. Carol

    Se a minha mãe tivesse contado essa história da Chapeuzinho Vermelho quando eu era pequena, acho que estragaria minha infância :P

    25/05/2009 às 2:21 pm

  17. Andrey

    Vocês estão de parabéns pelo blog. Adorei.
    A Meyer acabou com a imagem dos vampiros. Acho que todo escritor deveria fazer uma pesquisa antes de começar a escrever [coisa que ela não fez :S]

    25/05/2009 às 4:35 pm

  18. yasmimdeschain

    Amei o post. Simplesmente, adorei! Eu cresci acompanhada pela Literatura Vampiresca, com 12 anos embarcando em ‘Drácula’ e comprando ‘O vampiro Lestat’ para ler anos mais tarde. O de sempre, a criança que começa a entrar na pré-adolescência e sai do mundo dos unicórnios para cair direto nas poesias melancólicas de Lord Byron xD Bom, de uma forma sintetizada, foi isso que me aconteceu. E cresci amando profundamente essas criaturas ficcionais que se esgueiravam na escuridão com sua elegância mortal, seu charme irresistível e, muitas vezes, sua brutalidade inegável. Bram Stoker, André Vianco, Anne Rice, King e tantos outros conduziram-me pela cultura desses seres que me assustavam e encantavam desde menina… E com 14 anos me deparo com esta aberração!! Meu Deus!! Eu pensei em dar uma chance sabe? Mas depois de escutar o veredicto da grande maioria de minhas fiéis amigas, desisti, depois de conhecer o Twi’ Haters, então… Adoro esse lugar! Na minha concepção vocês não lutam apenas contra Twi’, vocês lutam contra a nossa decrépita geração jovem e mostram que há uma luz nas trevas inefáveis.
    *pausa pra respirar xD*
    Este post foi fantástico. Acho rídiculo esse povo que diz que a Meyer “inovou”, porra, inovou??????? Quem inovou foi a Anne Rice ao dar filosofia e vida palpável a suas belas e irresistíveis criaturas da noite! Meyer fez uma coisa que não foi inovar, o que esta mórmon fez foi “cagar” digamos assim e com o perdão da expressão chula.
    Também vim agradecer ao comentário que Lily deixou no meu blog, no post ‘Feminismo – e como as próprias mulheres atrapalham a luta do sexo’. Eu quero dizer que não gosto do Twi’ Hater. Adoro muito esse blog!

    25/05/2009 às 10:53 pm

  19. Bravo, Yasmim!!!
    Depois de assinar embaixo tudo que vc disse, só acrescento que:

    As histórias originais são sempre as melhores. Citaram a Chapéuzinho Vermelho (Little Red Hiding Hood). Pra mim é a melhor de todas no original (assistam The Company Of The Wolves). Fora a da Cinderella, onde as irmãs malvadas cortam respectivamente o dedão do pé e o calcanhar pros pés caberem nos sapatinhos de cristal, o princípe panaca só descobre por causa do sangue!

    *gargalhada malvada*

    Parei… parei…

    26/05/2009 às 11:49 am

  20. Julia

    Adorei o post e só tive oportunidade de postar agora!
    quando li Drácula (há muito tempo) eu tinha gostado bastante e quando, mais tarde li Twilight, vi o quanto longe ele estava. Pior ainda quando comparei a Anne Rice, que eu simplesmente adooro! Todo o escritor tem o direito de criar e inovar, mas a limite para tudo!

    Já conhecia essa versão da Chapeuzinho Vermelho O_O Até comentei esses dias com o meu irmão. Tem uma versão da Bela Adormecida que o Princípe Encantado não beija Aurora e ela acorda de um belo sonho de 100 anos. Ele abusa sexualmente dela e ela acaba engravidando de gêmeos (dormindo!!!) Os filhos nascem e ela acorda quando um deles morde o seio dela aushuashaushaushahusuah
    :)

    31/05/2009 às 4:10 am

  21. Grinch

    Primeiramente: CITARAM MEU NOME AQUI! Oi, Arthur. 8D Ele já falou TUDO que eu tinha pra falar (Copycat maldito!!) então vou só adendar:

    Ehhh… Eu nunca li Stoker mas escrevo boas histórias de vampiros. Ler Stoker não é necessidade pra escrever histórias de vampiros, como todos sabemos – Só li Rice e filtrei metade das coisas bishounen e PERFECT que ela colocava em Lestat e Louis. Certo, admito que os três primeiros livros foram bons. Os dois primeiros foram ótimos, Rainha dos Condenados foi BEM edwardiano (Rockstar…? Rly?), mas o resto foi descambando.

    Mas voltemos ao Stoker: Não usem ele como “must” pra escrever histórias de vampiro, por favor. Não usem NINGUÉM como “base”. O único problema que eu vi na Meyer, sobre os vampiros em si, foram dos Cullen não chuparem sangue de gente. A pele brilhosa foi um problema de ciência e o resto também, mas sobre VAMPIROS, isso que me incomodou. Outro problema foi que ela decidiu pegar um monte de características terciárias “polêmicas” de vampiros – Não ter medo de símbolo religioso, andar no sol, não ter caninos etc – E pôs tudo de uma vez só. Vamos lá, o que ela fez não é ruim. Os vampiros de Suehiro Maruo também não tem caninos. Os de Rice não tem medo de símbolos religiosos. Alguns de lendas andam no sol. MUITO vampiro não tem habilidade metamórfica. Ela inovou? Não. Ousou? Sim, pra caramba, e seu maior erro foi não ter posto os bebês dela pra sugar sangue humano (E a falta de desenvolvimento de personagem, que deve ser analisado separadamente da idéia de vampiros dela). NISSO é que tirou toda a vampiriedade deles qqq. E, claro, decidiu dar pele brilhosa sem uma explicação boa. Aí foi a falha no conjunto vampiresco. Claro, tem também os plotholes: Como sugam sangue se não tem como cortar? Até onde eu lembre, nenhum deles carrega uma faca (Como Mori e Runa de Suehiro Maruo) pra cortar o pescoço das vítimas e beber sangue.

    Achei o post… Bom. Podia ser melhor pesquisado e não usar nenhum escritor como base, mas gostei. Especialmente mostrando como a Meyer não é o último pacote do biscoito – wait what

    03/06/2009 às 1:13 pm

  22. Teca

    Eu discordo plenamente desse post em afirmar que todos os livros sobre vampiros devem seguir “o padrão para as histórias vampirescas”. A única regra que deve obrigatoriamente ser seguida é a gramatical. NÃO HÁ LIMITES e REGRAS para as idéias. SE SMEYER QUIS INOVAR O PROBLEMA É DELA MESMO e não há nenhum mal nisso. Ela quis correr o risco de suas idéias não serem aceitas (acho até que seria muito mais confortável e menos criativo para ela seguir os “padrões de vampiros” criados por outros autores). Se ela não fundamentou algumas das suas “inovações” deveriam ter sido feitas melhorias no seu texto. Não vejo nada de excepcional nem de tão ruim em SMeyer. Ela ousou e está ganhando muito dinheiro (o que não há como contestar).

    11/06/2009 às 1:44 am

  23. Anísio

    Teca,

    Ela não tá ganhando dinheiro porque ousou. Ela tá ganhando porque, “inovações no cânone vampiresco” a parte, o resto da história é um clichê fácil e digerível de “amor proibido” (exceto que não) e gratificação instantânea.

    Eu discordo de você quando você diz que a única regra a ser seguida é a gramatical. Eu acho que a gramatical também pode ser quebrada. Aliás, e as colegas que fazem letras podem me ajudar nessa, eu tenho certeza de que ela já foi quebrada, várias vezes, por diversos autores tidos como gênios da literatura. Agora, sabe pra que existe limite? Pro bom senso. E pra arrogância também. Se eu sou um autor iniciante, escrevendo meu primeiro livro, e vou quebrar praticamente todas as regras e convenções de gênero do que eu tô escrevendo? Por que não esperar um pouquinho mais, até dominar melhor a coisa? Simples, porque a Smeyer acha que os textos dela são psicografados direto da divina providência.

    Dito isso, é legal ter o posto de vista de um neutro aqui. Não sabia que vocês existiam.

    11/06/2009 às 5:26 am

  24. Twilight Haters

    Leia Marcelino Freire e Saramago e você vai descobrir que dois dos melhores autores da contemporaneidade atropelam todas as regras gramaticais, principalmente de sintaxe. Leia Macunaíma e você vai ver que um dos maiores clássicos brasileiros finge que regras gramaticais são uma piada.

    A única regra pra escrever é fazer sentido.
    Se quer mudar a tradição, ninguém aqui contesta. Mas JUSTIFIQUE. Vampiro que brilha não faz sentido, muito menos morto-vivo que tem sêmen. Se a Meyer fez alguma graduação em Literatura, como diz, devia saber disso melhor que a equipe do blog e não deixar o livro dela vir com um furo desse tamanho.

    11/06/2009 às 9:40 am

  25. Teca

    Eles podem ser ótimos autores.. mas sair atropelando regras de sintaxe e gramaticais eu não concordo (minha opinião, a não ser que se tenha um personagem analfabeto).
    O que eu achei equivocado nesse texto é a forma como ele afirma que um autor tem que seguir um padrão de idéias que tenha sido concebido por outros autores. Isso pra mim não faz o menor sentido. O autor sempre terá a liberdade de criar e também de correr o risco de não ter suas idéias aceitas. Principalmente porque o livro em questão é do gênero “fantasia”. Volto a afirmar que SMeyer deixou pontos a serem esclarecidos e isso pode ser questionado, mas o fato de mudar padrões pré-concebidos não caracteriza que um livro não será bom. Mesmo que SMeyer tivesse fundamentado bem as suas idéias, elas não iriam lhe agradar. Harry Potter (também do gênero fantasia) foi bem fundamentado pela sua autora, mas há quem não suporte nem ouvir falar nos livros e filmes e isso é perfeitamente aceitável.

    11/06/2009 às 2:06 pm

  26. Teca

    Sinceramente não concordo com alguns posicionamentos desse blog. Vocês não fazem uma análise crítica puramente técnica. Provavelmente por raiva das fangirls…Não sou uma delas. Também acho muito exagerado, mas a psicologia explica muitos desses comportamentos. Apesar dos defeitos do livro, gosto da saga. Romance real eu tenho e já tive vários (já vivo a realidade todos os dias).
    Quanto à arrogância de SMeyer…Já havia lido que ela se declarou como uma escritora inexperiente. O que há de arrogante nisso? Só porque ela publicou esse livro? (talvez por satisfação pessoal) Ela não poderia prever que o livro ia vender, poderia ser apenas mais um como tantos outros clichês. Não percebi nenhum traço de arrogância nela, mas me parece que você está falando de alguns fãs da saga (apesar de se referir à autora). Numa entrevista SMeyer fala que escreveu o livro com base em um sonho que teve, e como sonhos não tem limites e muitas vez não tem sentido “pode explicar” o fato de algumas idéias que ela teve não se preocuparem com a lógica.
    Para encerrar.. vou apenas fazer uma sugestão para que vocês aproveitem possam aperfeiçoar as críticas. Ao invés de se concentrarem na raiva das fangirls (já li isso no perfil de um de vocês) porque não passam a analisar também outros livros de forma mais técnica buscando as qualidades e as incoerências? acho bem mais interessante e me parece que muitos de vocês gostam de ler.
    Abraços.

    11/06/2009 às 3:26 pm

  27. Twilight Haters

    Atropelar regras gramaticais, pra um bom escritor, pode ser um recurso excelente da narrativa. Mas tem que ser alguém que saiba com o que tá lidando, o que tá atropelando e porque tá fazendo isso. Diria que, na literatura, atropelar regras é um luxo que só pode se dar quem conhece essas regras – justamente porque, se atropela, é com um propósito.
    Agora, no caso da Meyer… ela mudou um universo lendário que já existia, ou seja, não criou nada inédito. Como já exemplificaram algumas vezes, é como saber que existe um Saci Pererê e transformá-lo num garoto branco, de chapéu de aniversário e comportado, e continuar chamando de Saci só porque ele tem as duas pernas. Isso NÃO É um Saci, a menos que quem tenha feito essa mudança consiga justificar, dentro do universo já construído, porque o é. Eu não conheço nada de vampiros, mas sei que existem diversos tipos deles mundo afora. A Meyer podia criar outro tipo, sim… explicando, pesquisando, sabendo sobre o que escreve. Repito: conhecer aquilo que se propõe a escrever é o primeiro passo que deve seguir quem quer atropelar regras, sejam quais forem.
    De qualquer forma, o que menos me incomoda em Twilight é a questão do como a Meyer acabou com os vampiros. De fato, acho isso insignificante perto do resto.

    No mais, alguns posts aqui são, realmente, bastante subjetivos. Mas a leitura e compreensão da literatura é assim, subjetiva. Uma análise puramente técnica do livro daria, no máximo, um post. Ou um pra cada livro. Forma, estilo, conteúdo é possível esgotar em poucas linhas. Já a formação do sentido, pessoal, dá mais pano pra manga. E aí, é claro, não é completamente imparcial, já que depende da leitura que cada um fez do livro. Eu fiquei incomodada com o modo como a Meyer retrata o amor porque minhas experiências me conduziram a essa leitura. Alguém que sonha com um namorado romântico e cavalheiro deve ter achado o livro maravilhoso porque não enxergou nas entrelinhas o quão abusivo é esse relacionamento. Enfim, não tem como evitar isso.

    11/06/2009 às 6:36 pm

  28. Twilight Haters

    Como já exemplificaram algumas vezes, é como saber que existe um Saci Pererê e transformá-lo num garoto branco, de chapéu de aniversário e comportado, e continuar chamando de Saci só porque ele tem as duas pernas.

    AI SOCORRO.

    Só porque ele tem UMA PERNA SÓ, eu quis dizer.
    Ando estudando Saci demais e falo besteira de um negocinho desses, mimimi .-.

    16/06/2009 às 6:31 pm

  29. Ana

    Olha eu só totalmente contra esse post, tá eu confeço que sou uma lover, mas até achei que esses post poderia me fazer mudar de ideia, mas cara, esse exemplo que você deu da chapelzinho não tem nada ah ver com ah historia dos vampiros, pois ah historia da chapelzinho ah do saci e outraas do gênero, são historias que existem ah muito tempo, se muda-se ah cor do capuz dela seria nada ah vêe porq na historia “real” já diz que ela tem um capuz vermelho, muda isso seria nada ah vê, ah do saci mesma coisa se você coloca mais uma perna nele e dizer que ele era branco você fugiu totalmente da historia “real”, já ah dos vampiros ah Stephenie Meyer pego ah ideia de que vampiros bebem sangue, mais ela adaptou para uma historia dela, ela não colocou que eles SÓ bebem vinho, ela pediu ah ideia principal, o resto ela adaptou para uma historia dela, ah historia é dela, ela faz oq quise, des de que ela pegue ah ideia principal que foi oq ela fez. Mas me diz uma coisa, se ela cometeu esse “erro” porq ela faz tanto sucesso? e se é um erro tão “grave” como você diz, porq ela ainda não foi punida? Já tá lançando o quarto livro e o sucesso não para de cresce e não aconteceu nada com ela. Pra mim você fica escrevendo essas coisas porq você é contra-modinha, sempre tem que coloca defeito nesse tipo de coisa e não tem nada pra faze, posso estar errada, mas é ah minha opinião. (Y)

    16/06/2009 às 9:51 pm

  30. Anísio

    Ana, eu sei que isso é super chato, mas eu não consigo não comentar: você tem alguma coisa contra o artigo “a”? =P

    Ok, dito isso…

    1) A História dos vampiros também é antiga
    2) Parece que você acha que beber sangue é única e exclusivamente o que define o “principal” do cânone vampiresco. Nós discordamos. Eu, particularmente, acho que tem que ter um sacrifício importante, como queimar no Sol, envolvido. Pelo menos.
    3) Vender muito de cu é rola.

    16/06/2009 às 10:04 pm

  31. Arthur

    Incrivel como tem gente que não consegue defender uma idéia sem usar ad populum no meio. Filha, ninguém liga se vendeu milhões.
    Vampiros se alimentam de fonte de vida HUMANA. Ponto. Isso todo e qualquer vampiro tem em comum, exceto os da Meyer. A certa é ela? As lendas seculares estão erradas, ela tem o direito de fazer os vampiros não precisarem de sangue humano, ela tem o direito de fazer o que quiser com eles? Uma pergunta: Você realmente entendeu o post? A Meyer não pegou a “idéia principal”. Ela não pegou idéia nenhuma, ela fez um ser novo e usou o mesmo nome.

    17/06/2009 às 1:38 am

  32. Twilight Haters

    Ai, adoro comentários que podem ser respondidos por partes. (L)

    ” ah historia da chapelzinho ah do saci e outraas do gênero, são historias que existem ah muito tempo, se muda-se ah cor do capuz dela seria nada ah vêe porq na historia “real” já diz que ela tem um capuz vermelho, muda isso seria nada ah vê, ah do saci mesma coisa se você coloca mais uma perna nele e dizer que ele era branco você fugiu totalmente da historia “real””

    A história dos vampiros é ainda mais antiga que a Chapeuzinho e o Saci. O conjunto que caracteriza o Saci é uma perna só, carapuça vermelha, moleque, negrinho e arteiro. Se eu mexer em qualquer um desses itens, já não tenho mais um Saci – torno a dizer: a menos que eu consiga justificar de forma coerente, baseado no universo Saci já criado, o porquê de ter mudado alguma coisa.
    O conjunto que caracteriza um vampiro é a presença de caninos, a alimentação de sangue, a repulsa ao sagrado e intolerância à luz do sol. Da mesma forma que as características que constroem um saci, isso é o que constrói um vampiro. Se vai mudar, justifique, baseado no que já existe. É exatamente a mesma coisa.
    Um Saci não é um Saci só porque tem uma perna, um vampiro não é um vampiro só porque bebe sangue. Definir uma criatura só por um traço dela fica muito vago, ainda mais se existe toda uma lenda em torno dela.

    Mas imagino que tenha repetido tudo isso à toa, as pessoas ficam ceeegas se o assunto é vampiro-purpurina-de-SMeyer. :rolleyes:

    “Mas me diz uma coisa, se ela cometeu esse “erro” porq ela faz tanto sucesso? e se é um erro tão “grave” como você diz, porq ela ainda não foi punida? Já tá lançando o quarto livro e o sucesso não para de cresce e não aconteceu nada com ela.”

    Nossa, me sinto até redundante de responder a isso outra vez: o livro faz sucesso porque a massa é burra. Tá, “burra” talvez seja uma palavra muito forte.
    A massa não é crítica. Não sabe identificar uma porcaria quando tá diante dela. Engole qualquer história bonitinha, às vezes com uma moral furreca (vide Paulo Coelho), e sai achando que é lindo. Isso porque nunca se interessou em aprender a ler de verdade. Digo LER, e não decodificar palavras e imaginar as cenas. Tá aí o sucesso do seu querido Crepúsculo: uma história disfarçada de gracinha, fácil de ler, que agrada a massa que diz a vida toda que ler clássicos é um porre. :rolleyes: A mesma massa que coloca livros de autoajuda em listas de mais vendidos, inclusive.

    Agora, quanto a Meyer ser punida pelo erro… ok, não é uma punição, mas não existem fãs, muito menos xiitas, de Crepúsculo que JÁ GOSTAVAM e CONHECIAM o universo “vampiresco” antes do livro. Ela só agradou pré-adolescentes (e algumas adultas com problemas de maturidade) interessadas em um romance bonitinho. Se Edward fosse, sei lá, um elfo, o público seria o mesmo.

    17/06/2009 às 11:39 am

  33. Ana

    Tá posso até ter feito um argumento ruim e você em algum ponto pode estar certa mas de qualquer forma, isso não vai muda minha opinião. E cara, confessa, você é contra-modinha, odeia crepusculo e fica procurando erros bobos. Me diz só mais uma coisa, com tudo isso, no oq afeta a sociedade? Isso por acaso vai destuir a sociedade?

    p.s: desculpa pelo AH é costume

    17/06/2009 às 10:23 pm

  34. Anísio

    Ana, por acaso “destruir a sociedade” é critério pra você deixar de gostar de alguma coisa? Porque se é, eu diria que você é bem tolerante. Eu não sei o que você quer dizer com isso, e se destruir a sociedade, o que quer que signifique, é bom ou ruim. Agora, te garanto que acho que o estilo de vida que Crepúsculo promove é horrível, doentio, e retrógrado. E que tem gente que o reproduz porque leu o livro. Ponto.

    17/06/2009 às 11:21 pm

  35. Twilight Haters

    Eu não sou a autora do post, aliás :D esqueci de colocar nome no comentário (oi, aqui é a Ana e eu escrevi os posts Biografia de Robert Pattinson, Porque preferir Jacob e Viúvos de Twilight)

    Bom, mas falando por mim.. não gosto de modinha ruim e alienante, mesmo. :P Sou contra adoração de coisa sem qualidade. Mas não tenho nada contra modinha em si… tanto é que uma das minhas músicas preferidas é, olha só, I’m Yours, do Jason Mraz… que toca todosantodia em rádio teen que nem a Joven Pan. Também uso xadrez, roupas ou acessórios, e adoro presilhinhas de fuxico ou crochê. Tipo, passei da idade de me preocupar se o que gosto é modinha ou não.
    Mas não nego que odeio Twilight do jeito que odeio também pela modinha. Boa parte da imbecilização dos livros é mérito de fangirl, e não da Meyer – que só escreveu um livro ruim, como muitos já escreveram antes.

    De resto, eu quoto o Anísio.

    18/06/2009 às 10:07 am

  36. Kinan666

    Bem, faz um tempo que eu não posto nada aqui, mas vamos lá. Primeiramente, amei o tópico. Eu já tinha isso em mente e, os argumentos usados pela “Gi” como vocês a chamam…- Oi Gi, sou sua fã. Espero que você leia meu livro e goste, provavelmente, se gostou de Nosferatu e Bram.S vai gostar – Só reforçaram minha idéia sobre os terríveis erros de Crepúsculo.
    Eu já disse tantas coisas que tinha para dizer aqui no blog, mas nunca cheguei a colocar um tópico em si. Mas pareceu que vocês já tem tudo que eu preciso aqui.
    Segundo(para a Ana): Olha, Ana, pode não destruir a sociedade, mas destrói grande parte da sociedade EM RELAÇÃO AO MITO ORIGINAL. Ponto. É fato e, você não pode ir contra isso. S.M errou, sim errou. Publicou uma obra cheia de falhas.
    A explicação no livro faz sim parte da idéia, se Meyer não colocou uma explicação obvia(ou até mesmo uma explicação normal…) É por que nem mesmo a autora tinha uma idéia completamente formada com relação a historia em si.
    Vamos começar com “Tudo teve inicio em um sonho, e eu comecei a escrever”. Ok, teve inicio no sonho? Ótimo, arquitete um plano, escreva. Se quer escrever meramente por escrever, escreva e REVEJA tudo que escreveu. Isso é algo que até um aluno faria após uma redação…Pelo amor de Deus.
    Agora, se você quer afirmar com toda certeza que ela É SIM dona da verdade, é por que você não tem discernimento o suficiente para analisar estes fatos.
    Enfim, acho que é isso. Na minha opinião é isso. Pode não mudar a vida de ninguém? Pode, agora, um dia eu posso ser tão famosa quanto ela e relembrar deste fato.

    Não quero acrescentar nada, nem ofender ninguém. Só quero postar no blog porque ele é muito querido para mim.

    19/06/2009 às 1:40 am

  37. ToT

    Se vampiros fossem feitos de diamante eu teria caçado todos xDDDD
    Agora sou fã do lobo mau!!!!

    19/06/2009 às 5:47 pm

  38. Na real, vou dizer..
    Acho isso desnecessário.
    Você diz seus argumentos tentando mudar a cabeça das pessoas, você se revolta com tudo isso.. PRA QUE MUDAR A CABECA DAS PESSOASSSS?!?!?!?!
    Pra quê? Por que você não usa sua forma ótima de escrever seus argumentos e organiza-los e não faz algo que seja realmente útil?
    PORRA VOCE ESCREVE BEM!
    Vou te dizer, a Meyer pode não saber escrever mas ESSA MULHER SABE FAZER DINHEIRO. E tai, enquanto ela escreveu pro mundo inteiro e fez um sucesso do caralho vendendo freneticamente que nem coelhinhos em sexo, você escreve um blog DEDICADO a ela, pra falar mal dela e dos livros dela, do modo como você odeia como ela escreve..
    Tem uma pequena linha entre o ódio e o amor.
    O que você dedica pra odiar a obra dela, você poderia estar escrevendo aquele livro que você citou sobre o erro dela.
    Sério, eu não sou uma CREPUSCULO LOVER, eu não vim aqui pra defender as boas causas do livro, até porque, eu achei um cu mesmo. Acho que ela dramatizou tudo de uma forma em que chega a dar nojo.
    Mas a muher é gênio! ÉÉÉÉÉ, é gênio sim. Veja bem, ela nem escreve. Ela não pretendia fazer tanto sucesso, ela só escreveu uma fantasia louca dela e vendeu MILHOOOOOOOOOES, tem fãs por todas as partes, fã clubes, pessoas que odeiam tanto que fazem altares de ódio. Porra, ISSO É SER CHOCANTE!
    Não da pra agradar a todos, mas fazer seus inimigos te odiarem tanto a ponto de usarem do seu tempo para mostrar o ódio que eles tem por ela! PORRA ISSO É FANTÁSTICO.
    POR FAVOR, ESCREVA UM LIVRO DIZENDO O ERRO DELA. POR FAVOR!
    Eu compro! Eu compro e se for bom mesmo, faço propaganda!
    Falo sério, falo muito sério. É polemico! Pode vir a fazer sucesso e a abrir a mente de muita gente..
    LEMBRANDO QUE EU NAO TO SENDO SARCASTICA, EU TO FALANDO DO FUNDO DO CORACAO, RS, EU NAO AMO CREPUSCULO E EU NAO ESTOU AQUI PRA TE SACANEAR.
    É normal esses romancezinhos apaixonarem a galera… VAMOS, MOSTRE QUE TEM VEJA SO VOCE, ALGUEM QUE AINDA SE IMPORTA COM OS VAMPIROS NOJENTOS, SANGUINARIOS E ATERRORIZANTES POR AI!!!
    Termino meu discurso com um PARABENS, MEYER!
    E um pedido: Vá! Mexa-se e faça algo bom ao inves dela!

    30/07/2009 às 3:02 am

  39. Ah, se alguem quiser me xingar, meu contato é

    http://www.vulgarius.blogspot.com

    hahaha

    30/07/2009 às 3:07 am

  40. amenaske

    Sem querer armar confusão, mas repetindo o que falamos para várias lovers. Você sabe se algum de nos faz algo além disso? Você sabe o que fazemos fora daqui? Sabe se algum de nós está, de fato, escrevendo um livro?
    Eu não estou sendo grosseira, sério, nem estou querendo te xingar. Apenas uma pergunta ;D

    31/07/2009 às 10:39 am

  41. Demetria

    É como diria a velha frase: ”A ignorância do autor é medido pela burrice dos fãs”

    Desculpa Julinha, mas eu tenho mais coisa pra me preocupar, bjs.

    E outra, não somos contra o modismo, somos contra a falta de qualidade, só tudo isso.

    Eu me rachei com a foto dos Cullen’s, fato supremo. Eu sempre achei que o parente mais próximo do Edward era um glitter. -q

    E outra, a Rowling explicou sim sobre os sereianos, e eles não são criaturam inventadas por ela e também não foram modificadas. Eles surgiram na Babilônia é – miticamente falando – e segundo creças, mostravam que eles foram os responsáveis por transformar o povo Babilônico em um povo civilizado e inteligente. A figura de uma sereia bela e encantadora surgiu na Idade Média.

    Também fazem parte do folclore Irlandes, como seres de calda de peixe da cintura para baixo e deformados da cintura para cima, sempre citados como muito violentos (Vulgo, os que estavam no lado de Hogwarts)(Por mais que a história se passe na Grã-Bretanha (?))

    E quando Meyer for dona da verdade, eu viro uma lover e compro todos os livros. O que não vai acontecer, só se eu estiver bem drogada. -q

    AMEY. ♥

    10/08/2009 às 8:44 pm

  42. Vader

    “Mas a muher é gênio! ÉÉÉÉÉ, é gênio sim. Veja bem, ela nem escreve. Ela não pretendia fazer tanto sucesso, ela só escreveu uma fantasia louca dela e vendeu MILHOOOOOOOOOES, tem fãs por todas as partes, fã clubes, pessoas que odeiam tanto que fazem altares de ódio. Porra, ISSO É SER CHOCANTE!”

    Se você entendesse alguma coisa de ramo editorial saberia que não é mérito nenhum da Meyer o sucesso de seu livro, que a idéia de vampiros COM CERTEZA não partiu dela. A menos que você acredite que ela realmente sonhou com vampirinhos e daí decidiu escrever sobre o assunto ¬¬

    E foda-se se ela estiver ganhando dinheiro, eu tenho inveja é de Kubrick, Cervantes, Victor Hugo. Pessoas reverenciadas como gênias pela qualidade de suas obras (que perduram até hoje) e não pela capacidade de ganhar um money.

    12/08/2009 às 6:01 am

  43. Klin

    Giovanna, você é absolutamente FODA;
    Amei, e tirei prints das partes que mais me deixaram tipo “wooow”.
    Concordo plenamente, e quenem disse o primeiro comentário que eu não lembro o nome, *hmm*, temos motivo para odiar. Não é por ser um anti aguma coisa ou ter inveja *caham*. E isso é ridículo.

    18/09/2009 às 4:50 pm

  44. Letícia

    Sinceramente, eu adoro os Cullens. Mas não os considro vampiros ou qualquer coisa parecida. Considero alguma outra coisa.
    Mas eu prefiro eles porque não são tão aterrorizantes. É que eu nunca curti muito terror.

    18/10/2009 às 4:20 pm

  45. só quem pensa entendeu esse post, de boa!

    cof, cof

    15/11/2009 às 4:29 pm

  46. Pingback: Twilight Haters BR – como tudo começou e porque tudo continua « Twilight Haters Brasil

  47. Jeu

    caraca garota! vc escreve bem pra PORRA! Devia mesmo escrever um livro, ia fazer o maior sucesso se tiver uma boa historia.
    Eu nunca fui uma lover crepusculo, mas durante um bom tempo eu fiquei viciada até ver os filmes (são absolutamente ridículos!!! Rob Pattison é pior que ridículo, eu nem tenho um nome para descreve-lo, sem falar em Kristen Stewart que só vive os filmes inteiros com uma unica expresao, a expressao de songa monga – não gente, foi mal, não sao kristin e robert, sao edward e bella mesmo porque alias acho o Rob um bom ator, mas não a kristen)
    Se vocês todos pararem para observar vão ver que todas essas lovers são assim porque na verdade são ignorantes, no sentido de que só leram crepusculo durante toda a vida e apenas por isso acham que só é ele que existe ( como eu no inicio). Depois que eu começei a ler novos livros eu vi a bosta que é crepusculo.
    Vocês já viram “Sem sentido-crepusculo”? se não viram, vejam, é simplesmente perfeito, eu quase engasguei de tanto rir. o video diz exatamente porque crepusuclo é ruim.
    Pra finalizar eu vou dizer que seu blog é fantastico, um dos melhores que já vi, continuem assim. Ver vocês falarem dos erros de crepusculo tao abertamente e explicar como deveria ser me ajudou bastante a saber como escrever um livro ( que no caso eu estou escrevendo um)
    Um beijao.

    07/08/2010 às 9:31 pm

  48. Pingback: Guillermo Del Toro Luta pelos ‘Direitos Humanos’ dos Vampiros « Twilight Haters Brasil

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s