2 Anos trazendo a lógica!!

Lindemberg e Edward Cullen.

Alves só dizia: “Quero Eloá. Eu amo a Eloá. Ela é tudo em minha vida”. (Folha, 19/10/2008)

“Well, I wasn’t going to live without you.” (New Moon, página 19)

 

Antes de qualquer coisa, sim, concordo com todos vocês: já enchemos a bola desse bababa obsessivo pela ex-namorada demais com todo aquele sensacionalismo que os jornais da tarde nos transmitiram – Sônia Abrão que o diga, demonstrando seu esplêndido (não) treinamento em negociações ao falar com ele – durante o que foi considerado o cativeiro mais longo da história de São Paulo.

Contudo, após me obrigar a ler Crepúsculo, e após observar atentamente o comportamento de inúmeras garotas apaixonadas e  desmioladamente histéricas pela série, não pude deixar de notar a semelhança entre esses dois… Er, bem, acho que posso chamá-los de homens, certo? Por mais que um seja um covarde psicopata e o outro seja um vampiro-lamparina… Oh, well.

E, por incrível que pareça, as semelhanças são grandes. E perturbadoras, ainda mais se considerar o número de garotas que querem um “namorado ideal” como esse.

 

 

A Falta da Individualidade.

Em geral e, infelizmente, isso costuma aparecer bastante, tanto na vida real quanto em romances atuais. Parece que, em um romance, o importante é que o “amor” seja tão intenso ao ponto de que não se exista mais “eu” ou “você”, mas que as duas partes se tornem apenas uma. Torna-se quase impossível pensar por si, agir por si, ou fazer qualquer coisa que seja individual. A importância é a nova unidade, os “dois que formam um” onde, caso não exista isso, seja possível “a coisa andar para frente”.

Sua opinião não importa. O que importa é o casal… Não é nem se sua contraparte está feliz. O que importa é a unidade. Fim de história.

Partindo dessa base, essa é a primeira semelhança que encontrei entre o casal-real e o casal-ficção. Ironicamente, tirei essa conclusão justamente graças ao comentário de uma Lover, há uns dois dias, no chat.

Por bons motivos de falta de memória, não citarei nomes. Será Hater e Lover.

 

Lover: Mas como isso pode ser um amor-egoísta? Edward disse que não conseguiria viver sem a Bella.

Hater : Ele tinha vivido 108 anos antes sem ela. ‘-‘

Lover: Não, Edward não vivia, porque ele vive por Bella. Antes, ele apenas existia. Foi Bella que preencheu sua existência vazia.

Oh, bem. Isso foi romântico. Uma gracinha. Edward Cullen era apenas um pontinho cinza durante um pouco mais de um século, até que um pontinho retardado e colorido como a Bella aparecesse para preencher sua vazia existência. Essa história do homem frio e estóico encontrar a alegria em um rabo de saia  uma garota sempre faz com que meninas suspirem por todos os lados e tudo o mais – COF Sasuke e Sakura COF. De fato, na ficção é uma graça.

Agora analisemos a vida real:

 

“Eloá não poderia deixar Lindemberg porque Lindemberg jamais poderia deixar Eloá . Lindemberg hoje vive, mas não existe, como não existia antes de conhecer Eloá.” – Pensando Alto sobre Educação (http://miriamstolear.blogspot.com/2008/11/elo-e-lindemberg.html)

 

Foi bem surpreendente na hora em que li essas palavras. Na verdade, parece até que a ironia sorriu para mim – e que sorriso bonito, devo acrescentar. Quero dizer, todo mundo não achou lindo essas palavras a respeito de Edward e Bella? Por que com Lindemberg seria diferente? Só por que ele não tem um Volvo e não é estupidamente pálido?

Oh, puh-lease.

A verdade é, o fundo psicológico dos dois é o mesmo. Ambos amam suas namoradas ao ponto de não serem capazes de viver sem elas. Ambos não eram mais uma pessoa, um individuo, mas seres que viviam única e exclusivamente em prol da unidade, o casal.

 

 

“Eu mando, você cala a boca e obedece”

 

Okay. Crucifiquem-me, lovers, mas a verdade é: se Edward mandasse Bella saltar do Cristo Redentor, ela faria. Ele não queria que ela fosse amiga de Jacob, ela não foi. Ele não queria que ela fizesse tal coisa, ela não fez.

Como dito em alguns dos posts aqui, Meyer construiu a imagem de um relacionamento patriarcal, em que o homem não vê sua parceira como igual, mas como uma criança que deve ser ensinada e alertada sobre o que é certo e o que é errado. Diversas vezes eu quis jogar o notebook pela janela e afogar a cabeça no vaso sanitário com a capacidade de Bella de ser um capacho completo do vampiro-lamparina – e por ela ter a total falta de amor-próprio, mas enfim.

Mas, vamos por partes.

Por mais que o romance seja retratado do ponto de vista da Bella, dando a entender que ela é a personagem principal de toda a “obra”, fica óbvio a todo mundo – ou pelo menos eu espero que seja – que a grande estrela – literalmente – de todo o romance é o Edward. E, pasmem Haters, NÃO É por causa de seu corpo estupidamente brilhante.

Mas, bem, vamos dar o braço a torcer: o homem movimenta todas as peças como se fosse um controlador de marionetes – ele só não ganha o Achmed, koe. E, acima de tudo, sua melhor marionete é Bella. Como bom macho dominante (não), Edward vai mostrando quem manda na relação e vai fazendo com que Bella dance conforme o ritmo da música que ele escolhe.

Em geral, esse tipo de manifestação de controle num relacionamento determina o medo da pessoa controladora em perder a pessoa controlada. Há aqui a necessidade de mostrar QUEM comanda, e QUEM obedece.

Bem, mas as meninas insistem em dizer que Edward sabe o que faz, que quer o melhor para a Bella e blábláblá. Por isso que não a deixou ser amiga de Jacob, ou qualquer coisa do tipo.

Vamos para nossa estrela obsessiva e real.

De acordo com depoimentos prestados à sensacionalista mídia, Lindemberg era controlador. Eloá via quem Lindemberg quisesse, falava com quem ele quisesse e fazia o que ele quisesse. Tudo porque, de acordo com os padrões (que até hoje eu não faço a menor idéia quem abitolou isso nas nossas mentes), ele era mais velho e, consequentemente, mais experiente – COFEdwardCOF. Afinal, ele saberia o que seria melhor a jovem e inocente Eloá, que ainda descobria os prazeres do mundo ;D

Lindemberg era controlador. Edward era controlador.

E ambos achavam que sabiam o que era melhor para manter a “unidade” intacta.

A única diferença que eu vejo aqui são as mocinhas, no caso: Eloá quis se libertar do relacionamento controlador, obsessivo e egoísta. Bella achou que isso era amor.

 

 

A beleza de se observar o ser amado seguro

 

Outra coisa que escutei as meninas ficarem histéricas a respeito da saga de Desmiolada Meyer são aquelas partes em que Edward observa sua amada dormir.

Oh, well. Isso é romântico, certo? Quem não gostaria que seu namorado/marido/ajuntado observasse amorosamente enquanto você provavelmente está se afogando na própria baba, no décimo quinto sono? Não, sem ser irônica, é bonito. É uma graça. Ele fica observando cada detalhe de seu rosto, cada gesto que você faz enquanto dorme, qualquer coisa do tipo. É encantador.

Mas e quando ele invade seu quarto no meio da noite para fazer isso? Continua sendo romântico? Quero dizer, vamos ignorar uma lei óbvia que diz “INVASÃO DE PROPRIEDADE” por um momento e pensar isso apenas pelo lado sentimental e romântico.

Bem, vamos ser sinceros:

NÃAAAAO!

De verdade, se eu tivesse um namorado que dá uma de homem-aranha e vai para o meu quarto apenas para me observar dormir e, eu descobrisse isso, ia ficar profundamente aterrorizada! Meu chapa, sério, isso é obsessão! Não tem nada de bonitinho e iluminado numa situação como essas.

Mas, bem, as meninas acham isso lindo. Porque é Edward Cullen, e Edward Cullen pode fazer isso.

E nossa estrela do cativeiro?

 

“Wellington Roberto Campelo, vizinho de bloco da Eloá Pimentel e amigo de Lindemberg Alves há mais de 10 anos, afirmou que o rapaz vigiava a saída da menina do colégio todos os dias.” (Portal Terra, 21/10/08)

E aí? Você acharia bonitinho também que seu namorado a vigiasse na escola? “Liso” também gostava de observar sua namorada, certificar que estava tudo bem – e que não existia nenhum macho querendo roubar seu posto de controlador-mor.

Bem, aposto que você deve estar pensando que Lindemberg era obsessivo em relação a sua namorada e que, obviamente, possua sérios transtornos psicológicos, certo?

Então por que diabos com Edward o negócio passa a ser romântico e bonitinho?

Mas lógico. Não tem nada a ver invadir o quarto da sua namorada para observá-la dormir e vigiá-la sair do colégio, certo? Uma coisa não tem nada a ver com a outra.

Porque vigiar namorada no colégio é para losers. Lamparinas com Volvo invadem quartos, koe.

É quase como um: WHATAHELL?

 

 

 

 

O amor egoísta

Eu REALMENTE não queria tocar nesse tópico, especialmente por ver brigas diárias a respeito desse assunto em diversos casais fictícios. Mas… Bem, dane-se.

Em poucas palavras, de modo explícito, afirmo: Edward Cullen e Lindemberg Alves baseavam-se em uma relação de amor egoísta. Não adianta nem vir com aquela história de “Edward não queria transformá-la em vampira por achar ISSO egoísta”, porque não cola. Não cola MESMO.

Esse tipo de amor é bem mais sutil do que parece, e chega muitas vezes conseguir se camuflar com sucesso sob as asas do altruísmo.

Mas retomando.

Edward Cullen era um homem solitário e que apenas existia, antes que Bella aparecesse e transformasse sua existência em vida, certo? De acordo com as palavras das Lovers, sim. Ao primeiro momento, novamente, isso é lindo, porque soa quase como a personificação perfeita do amor verdadeiro.

Então, com isso, assumimos que, o marco inicial de Edward é a aparição de Bella. Até então ele era apenas um homem solitário. Consequentemente, a solidão traz o tom vazio à vida de qualquer pessoa e, consequentemente2, faz que assumamos que Edward era uma pessoa vazia.

Só e vazio.

E aí Bella aparece e eles se apaixonam de uma forma completamente bizarra, mas ok.

 

“Assegurar-se de que o outro é um nada, é ter a certeza de que a solidão nunca chegará ao mesmo tempo em que sempre existirá.” (http://miriamstolear.blogspot.com/2008/11/elo-e-lindemberg.html)

Novamente, Edward chegava a fazer com que Bella fosse “nada” a partir do momento em que ela era tratada como a “criança que precisava aprender” e ele assumia o papel de “pai”. Ao mesmo tempo, Edward era um homem vazio e só, o que consequentemente pode ter guiado suas atitudes de modo que ele a controlasse e assumisse a posição de que fazia aquilo por amor.

Inconscientemente, ele protegia Bella para proteger a unidade e, ao mesmo, proteger a si mesmo de nunca mais ficar só.

Chamem-me de idiota, mas eu não vejo altruísmo nisso. Mas sim, um amor egoísta.

 

“O poder em mãos de alguém que nunca se sentiu alguém e o medo do vazio e da própria solidão , paralelos ao ódio de depender de alguém que será sempre um ninguém .” (http://miriamstolear.blogspot.com/2008/11/elo-e-lindemberg.html)

Ainda que Edward não tenha se sentido um “Zé-ninguém” ao longo da série, ele se assemelha a Lindemberg no sentido de solidão. “Liso” também sentia medo de ficar só, e suas atitudes se assemelham a Edward nos quesitos de controle e tudo o mais. Ele diz que agiu por “amor”, quando na verdade, agiu por ter medo de se sentir só novamente e por perder seu pilar, a unidade.

Novamente, amor é o sentimento que traz mais facilidade de disfarçar o egoísmo em altruísmo.

 

 

 

Considerações Finais

 

Aos Lovers, recomendo não me mandarem e-mails, vírus ou ameaças de morte. Tudo o que fiz foi para expor um ponto de vista sobre o que vocês consideram como homem perfeito. É minha opinião sobre o romance, sobre o personagem e a personalidade do mesmo. Não gostou? Oh, well… C’est la vie?

 

Ao mesmo tempo, provo a vocês que nem tudo está perdido: o homem perfeito que vocês tanto clamam pode estar por ai. Exatamente como Lindemberg esteve para Eloá. Só cabe a vocês verem a situação aos olhos de alguém que cedo ou tarde vai querer se livrar dessa obsessão (Eloá) ou vai achar isso lindo e maravilhoso e brilhante (Bella).

 

“A morte de Eloá, assegura ao algoz a certeza de que nunca viverá sem sua própria imagem. Matar a imagem é ter a certeza de que não será abandonado por si mesmo. Traído por si mesmo . É o fim da simbiose. É o fim do drama.”

lindemberg-concede-entrevistas3

(Tamara)

Anúncios

75 Respostas

  1. swanvenenosa

    “A única diferença que eu vejo aqui são as mocinhas, no caso: Eloá quis se libertar do relacionamento controlador, obsessivo e egoísta. Bella achou que isso era amor.”

    O.o
    *sem palavras*

    06/02/2009 às 6:56 pm

  2. Maria

    *sem palavras*
    Melhor texto que eu já li sobre o assunto.
    *clap, clap, clap*

    06/02/2009 às 7:07 pm

  3. Twilight Haters

    Wow. Fiquei impressionada!

    Eu sempre achei que Linderberg é o irmão feio do Edward, mas nunca tinha parado pra pensar nos pontos em comum.

    Ótimo post, Tamara Barbara! (:D)

    06/02/2009 às 7:16 pm

  4. Mari B.

    Cara, esse foi um dos melhores artigos já publicados aqui no Blog *sem desmerecer os outros, mas essa foi uma análise completa*. Você simplesmente ressaltou todos os pontos essenciais para qualquer um entender quando a gente bate naquela tecla de: Edward É obsessivo E possessivo. E sobre TODO o machisto que o livro contém. Eu espero que as lovers entendam, depois dessa, que, ao menos que elas engulam todo o tipo de sapo e passem a agir como uma verdadeira Bella, elas podem ser a próxima Eloá quando encontrarem esse estereótipo de “perfeição”.

    PARABÉNS!

    06/02/2009 às 7:20 pm

  5. amenaske

    Gente, nem tenho palavras. MUITO PARABÉNS! Esse post foi muuuito bom

    06/02/2009 às 7:46 pm

  6. Lily

    Como assim deslogou? Enfim, isso não vem ao caso.

    Tammie, não é a toa que seu nome é Tamara. Também não é a toa que você é uma das escritoras mais famosas do FF.net, e nem é a toa que seu artigo vai bombar, com certeza.

    Esse artigo me deixou COMPLETAMENTE sem palavras.

    *é nessas horas que nenhum hater quer postar mais*

    Além das análises básicas, podemos ver também as citações de autoridade e cunho científico, sem contar que notamos o quanto você pesquisou pra não falar merda. Citou todos os pontos necessários para a situação, e nem por isso se prolongou.

    Você deve ter tirado boas notas em redação, não? (Aquela que acha que os professores da faculdade vão se estapear pra te guiar num trabalho científico).

    Enfim… você TEM que postar mais vezes, fikdik!

    *aplaudindo de pé*

    06/02/2009 às 7:59 pm

  7. Yasmim

    Tamara, foi genial!! Genial mesmo!! Totalmente ao nível do primeiro artigo que trata o tema “O lado obscuro de Crepúsculo”. Sério as comparações são inefáveis de tão semelhantes… Como a ironia que “sorriu” pra vc… Sério, choquei aqui. Edward é a versão rica, bonita, pálida e brilhante de Limdenberg…

    06/02/2009 às 10:40 pm

  8. Giovanna

    Thamy!!!!
    Nossa!Eu já achava que você escrevia bem demais!Mas você esteve INCRÍVEL neste texto!!!
    Você tem um enorme poder de escrita! Ficou simplesmente INCRÍVEL!!!
    Quoto 100% a Lils!Você pesquisou muito pra isso!E mostrou ser EXCELENTE em escrever teses maravilhosas!Estou surpresa!Não havia reparado em muitas coisas!Se vc abriu os olhos de Haters…Imagina os dos Lovers?
    Parabéns!!Parabéns mesmo!!!!

    =*************!!!

    06/02/2009 às 10:42 pm

  9. Monica

    Arrasou. Sem palavras. Tudo o que eu queria dizer, as pessoas já disseram em seus comentários.

    sem contar que notamos o quanto você pesquisou pra não falar merda. [2]

    07/02/2009 às 1:58 am

  10. Ane

    Muito bom! Muito bom! Muito bom! Demais!

    *aplaudindo de pé*

    Tamara! Muito bom, mesmo! Linderberg e Edward são gêmeos… só pode. SMeyer sonhou com Linderberg ameaçando Eloá se ele a largasse :S

    07/02/2009 às 1:04 pm

  11. Ane

    * se ela o largasse (esse erros, tsc tsc uú)

    07/02/2009 às 5:33 pm

  12. {Guilherme}

    Perfeito e desmedidamente divertido. Você conseguiu chegar exatamente no ponto que faz com que as fangirls (e aparentemente também fanboys) tenham pavor do Lindemberg e paixão doentia por Edward: a dita perfeição do último. Colocando-se no lugar de Lindemberg uma criatura estética e intelectualmente perfeita (sic), todo esse comportamente aterroziante fica em segundo plano, comparado às perspectivas de “prazer” e “satisfação” que viriam em troca. Prazer e satisfação esses, é claro, de natureza completamente egoísta. O que também nos leva à conclusão que Bella – assim como Edward – não ama a outrem, mas a sim mesma e a satisfação de seus anseios. ;)

    07/02/2009 às 6:49 pm

  13. {Guilherme}

    *a si mesma

    07/02/2009 às 6:50 pm

  14. Anísio

    Eu passei os dois últimos dias tentando pensar em alguma coisa inteligente ou legal pra comentar aqui, mas eu cheguei à conclusão de que não dá. A Tá Mara disse absolutamente tudo, já. Então, que fique registrado que esse post reestabeleceu a minha fé na humanidade. Juro que não tô exagerando.

    08/02/2009 às 6:01 am

  15. Jéssica

    Sinceramente… achei o seu texto fantástico, muito bom mesmo! Parabéns.

    *Aplaudindo em pé*

    18/02/2009 às 11:26 pm

  16. Victoria

    Muito perfeito. Sem palavras mesmo. Parabéns! :D

    26/02/2009 às 11:27 pm

  17. Bom, ficção não tem nexo com a realidade.Edward, retrata o homem maduro, romântico, que as meninas sonham, que assim como, tem a capacidade de amar verdadeiramente, e tem uma profunda preocupação com a exestencia da amada, ou seja, quer vê-la feliz, e não tem forças suficiente para realizar o perdido dela para que a transfomasse em um ser imortal para ficar sempre, e somente, ao seu lado, no caso de Edward (a ficção). Porém, Edward não manda em Bella, tanto que ela não evita qu ela não converse com Jacob [veja e se informe em Eclipse]; não diz viver sem ela, ao menos não como “você” diz não viver, ele não viveria mais, pois já não veria esperanças em encontra outro amor como Bella, que ele levou quase 100 anos para encontra-la. Em Lua Nova, Edward deixa Bella. Motivo? Sua sobrevivência. Ele se recusa viver ao lado dela, devido a insegurança e o perigo que ela corria estando ao lado dele. Ela sofre, claro, mas relativamente os dois se amam, e independente do amor dela por ele, ele jamais a forçaria ficar com ele se ela não quizesse. Mas enfim, Bella não é Eloá, Bella definitivamente ama Edward. É uma questão de sorte, Eloá achava que amava Lindemberg, já Bella ama! O ocorrido na vida de Eloá foi apenas concequências da suas escolhas, talvez Lindemberg fosse um psicopata, ou uma amante obcessivo, seja lá o que for, ela apenas teve o azar de se relacionar com o cara errado. Cada um reaje de uma forma diferente. Eu já muitas reações diferentes ao pós-termino de um relacionamente. Eu jamais reagiria assim como Lindemberg, assim como eu tenho certeza de que Edward não reagiria!

    02/03/2009 às 5:12 am

  18. amenaske

    Alguns de nós já leu Eclipse e aprovou esse artigo.
    O Edward tenta se matar porque vai perder a Bella. Ela faz o mesmo. Ele tira o motor do carro dela para ela não ir falar com Jacob. Ele manda Alice sequestrar ela para que ela não se encontre com o Jacob. Ele, sim, evita que Bella fale com Jacob. Pode ler Eclipse de novo e você vai ver.
    Você não pode dizer que a Bella ama ele. A Meyer não soube escrever um real romance naquela livro. Na primeira vez que eles saem juntos já dizem ‘eu te amo’. Você não conhece nem o Edward, nem entende a cabeça da Meyer para poder dizer que ele não reagiria dessa forma. As medidas que ele tomou para evitar que Bella se encontrasse com o Jacob foram absurdas!
    Ficção tem sim nexo com a relidade. Falando por mim, quando eu leio um livro, eu procuro relacionar o livro com as coisas que acontecem com a realidade. Ou que poderiam acontecer, coisas que são possíveis.
    Edward se afasta de Bella no segundo livro, mas no primeiro livro ele ficava dizendo ‘se afaste de mim’, mas ELE ia para perto dela para falar isso. Toda vez que ele ia pedir para que ela se afastasse, ele se aproximava cada vez mais. Se ele realmente amasse ela ao ponto de se preocupar com sobrevivência dela mais do que a própria felicidade, como ele disse(se não me engano), teria se afastado no primeiro livro mesmo, mas a Meyer tinha uma história para fazer, então…

    02/03/2009 às 2:18 pm

  19. Mas enfim, Bella não é Eloá, Bella definitivamente ama Edward. É uma questão de sorte, Eloá achava que amava Lindemberg, já Bella ama!

    Quantas garotas na casa dos dezessete, dezoito anos sabem realmente o significado da palavra amor? Considerando que Bella era uma garota tímida e que não tinha muitas facilidades para se relacionar com outras pessoas (palavras dela, em Crepúsculo), contando com o fator de demonstrar ser uma garota genuninamente romântica (vide o que lê e até mesmo a forma rápida que ela se apaixona por Edward), como saber que o que ela sentia era realmente amor? Os livros da Meyer contam com o favor “felizes para sempre”, mas ainda sim, se considerar psicologicamente a situação, ambas as garotas (Eloá e Bella) são meninas jovens que ACHAM que amam. Pela falta de base na formação do relacionamento Bella/Edward, da-se para notar que a protagonista se apaixonou apenas pela “imagem” de Edward (que particularmente se acentuou após descobrir que o cara é um vampiro).
    Palavras como “definitivamente” são fortes demais para uma situação assim.

    ——-

    O ocorrido na vida de Eloá foi apenas concequências da suas escolhas, talvez Lindemberg fosse um psicopata, ou uma amante obcessivo, seja lá o que for, ela apenas teve o azar de se relacionar com o cara errado. Cada um reaje de uma forma diferente. Eu já muitas reações diferentes ao pós-termino de um relacionamente. Eu jamais reagiria assim como Lindemberg, assim como eu tenho certeza de que Edward não reagiria!

    ——

    É como você disse: ele poderia agir de diversas situações. Caso Bella descobrisse que ele não era seu grande amor (o que, levando em consideração que a arte imita a vida – e sim, eu sei que disse ao contrário, mas perceba o ponto de vista aqui), talvez ele pudesse ter agido de uma forma pacífica. Veja bem, TALVEZ.
    Gosto bastante de me prender a fatos. O fato é, que para um cara que tira o motor do carro dela para ela não ir falar com Jacob, mandar Alice sequestrar ela para que ela não se encontre com o Jacob (quotando acima, porque eu realmente não li mais que Crepúsculo, e nem aguentaria ler o resto da saga) apenas para evitar que o seu “alvo” não vá falar com outro “macho”, ele pode ser potencialmente um cara obssessivo que, dependendo da situação, pode tomar atitudes extremas como manipular a situação de modo que ele mantenha a unidade satisfeita (como o que ele fez ao evitar que ela falasse com Jacob) ou até mesmo matá-la para que se evite a destruição do relacionamento (porque ELE quem destruiria a imagem).

    Ao fazer a análise, eu não quis dizer que Edward = Lindemberg em todos os sentidos. Apenas quis dizer que, de acordo com suas ações durante a série (a respeito do que eu li e a respeito do que o grupo Hater comenta), muitas de suas atitudes lembram e muito com algumas atitudes que Lindemberg (Caso que, aliás, eu acompanhei como uma louca, quase tanto como eu procuro acompanhar a do Daniel Dantas) tomou, no nivel sentimental.

    02/03/2009 às 7:12 pm

  20. Rita...

    Optimo post!
    Sem palavras *.*

    14/03/2009 às 8:51 pm

  21. caraca, ótimo post. muito bom mesmo :D

    19/03/2009 às 10:47 pm

  22. Bianca

    primeiro voce nao acredita no amor e´uma grande doidaaaaaaaaaaaa
    quer saber vc deve ter tido uma grandeeee deselusao amorosa se vc nao acredita pelo menos eu acredito, e eu acho que vc nao leu o livro pois deve ser analfabeta entao se viu o filme sabera ´que ela nao faz tudo o que ele fala pois foi sim ver o jacob outra coisa eloa é uma pateta que nem ele que antes quando ele disse que ia cair fora ela o ameaçou de morte com uma faca entao se quer falar pelo menos pesquisa por favor!!!!!!!
    minha opniao sobre esse texto idiotaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa de merdaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa
    bjus merdados

    25/04/2009 às 1:35 am

  23. Twilight Haters

    quer saber vc deve ter tido uma grandeeee deselusao amorosa se vc nao acredita pelo menos eu acredito, e eu acho que vc nao leu o livro pois deve ser analfabeta

    HAUHAUUAAHUAHUHAUAHUAHAHUAHUHAUHAHAHAUHAHAUAHUAUHAHAU PASSEI MAL, OK

    25/04/2009 às 11:19 pm

  24. Oi Bianca! Primeiro de tudo, gostaria que você me esclarecesse como uma pessoa pode ser analfabeta e conseguir escrever E compreender tudo o que escreve; por favor, ilumine minha mentalidade analbeta e incapaz, porque eu realmente não sei.
    Contudo, se ser alfabetizado significa ter uma capacidade de escrita invejável como a sua, eu posso compreender perfeitamente, e isso seria explicável.
    Segundo, não, eu não acredito em amor. Não no treco obsessivo e doente que você acredita ser amor, pelo menos. Infelizmente, eu li o livro (mas não vi o filme… Não sou masoquista para ver tudo da saga, beijos).
    Terceiro, eu achei inacreditável sua incrível e sagaz capacidade de compreender o que eu quis dizer ao falar que ela faz tudo que Edward manda – uma vez que eu usei a história do Jacob para dar um tom irônico. Adorei perceber que sua interpretação de texto É EXCELENTE.
    Sobre a Eloá, gostaria de uma fonte segura e confiável que me provasse e mostrasse o que você disse sobre a ameaça da faca pois:
    um: eu pesquisei o caso inteiro antes de escrever qualquer coisa, e acompanhei o caso na íntegra por ser um caso policial; caso sinta-se interessada em saber (acho que está, já que fica predizendo se eu tenho ou não vida amorosa, no final. Quer saber até a cor da minha calcinha?), quero trabalhar na área policial, então quanto mais saber, melhor. Tanto que, é isso que me ajuda a criar um pensamento mais crítico.
    E, dois: Entre uma garota que tentou escapar de um psicopata e uma imbecil que acha o romance entre Bella e Edward algo verdadeiro e romântico, tudo o que tenho a dizer é que, após isso, tiramos a conclusão sobre quem é pateta ou imbecil por aqui.

    Beijos, e sem merda da minha parte, porque eu não sou porquinha de ficar lambuzando minha boca de fezes. ;D

    25/04/2009 às 11:28 pm

  25. É, eu sou analfabeta e passei por uma grande DESELUÇAO amorosa, beijos!

    – Maldita inclusão digital.

    25/04/2009 às 11:36 pm

  26. Mione

    eurilitruz com a defesa da Bianca ok? :)
    Pelo que eu entendi, se tu tivesses lido o resto da saga, tu não seria analfabeta, mas o que mais se aproxima de analfabetismo aqui é o comentário muito bem estruturado e elaborado dela.

    Quando ao post, parabéns Tamara, tá ótimo. Muito bom mesmo :)

    26/04/2009 às 2:51 am

  27. Mione

    serias*
    >.<

    26/04/2009 às 2:52 am

  28. Pingback: Para quem leu Crepúsculo « Meu Namorado Psicopata

  29. Henrique

    Realmente, achei fantástico. Passei meses, MESES tentando conversar com as fãs sobre esse aspecto da personalidade de Edward, discutindo com elas essa obcessão maníaca que ele tem com Bella, mas elas simplesmente argumentavam que o vampiro era lindo e essa coisa toda.
    Concordo plenamente. Cara, achei realmente muito bom o que você escreveu, e fico MUITO feliz de saber que eu não era o único que achava via isso por trás das ações de Edward Cullen. E ainda citou a parte de observar as pessoas dormindo! Puts, sério, eu tentei falar com elas e simplesmente me foi dito que quem observa os outros dormindo os amam. O ex de uma amiga minha fazia isso, e com freqüencia. E quer saber? Ele ameaçou matá-la, a seguiu, a intimidou…

    Mais uma vez, parabéns. ;D

    20/05/2009 às 12:35 am

  30. Henrique

    *que via isso por trás

    20/05/2009 às 12:35 am

  31. Twilight Haters

    Ah, Henrique, mas elas continuam insistindo que Edward não tem nada a ver com Lindemberg, ele é apaixonado e romântico, e não psicopata (entenda: porque Lindemberg é feio e pobre, já que ninguém sabe que tipo de namorado ele foi enquanto a Eloá queria ficar com ele. Pode muito bem ter sido apaixonado e atencioso como o Edward)…

    20/05/2009 às 9:49 am

  32. Mirella

    Eu tive um namorado assim… com todos os sintomas da psicopatia,
    eu realmente achei que era amor, eu nao conseguia ver o que eu tinha ao meu lado, eu consegui me livrar, depois que eu terminei, ele me mandava mensagem todos os dias, ligava sempre, e foi até ao meu trabalho (nao sei como ele ficou sabendo o endereço) eu realmente estava perdida.

    tem textos, livros que falam que nem todos sao totalmente pergosos ao ponto de tirar uma vida, mais sim de só pensar em si, nao pensar nos outros, acharem que só eles estao certos.

    enfin, adorei seu post, o melhor que eu já li.

    26/05/2009 às 5:08 pm

  33. Carol Raposo

    *sem palavras* [/+123456..

    29/05/2009 às 3:46 pm

  34. eduardo chevette

    Desculpem lovers, manero mesmo é o Jacob Black… Doidão, porradeiro e é um cara q se amarra em curtir!!!

    02/06/2009 às 11:11 pm

  35. milena s2

    gostei muito de vc
    beijinhos te adoro seu filme e muito legal
    beijos vampiro

    08/06/2009 às 10:22 pm

  36. Isabella

    http://www.encantosepaixoes.com.br/poesia2008.htm
    Um texto tão inteligente como o que eu acabei de ler. Amor não é obssessão. Edward age como alguém perigoso, eas garotinhas bobas só não enxergam isso porque ele é bonito, rico e imortal
    bah =[

    20/06/2009 às 1:21 am

  37. jessica m.

    MANO SÓ EU RI DA MENINA TER MANDADO “BEIJOS MERDADOS”? ASAGUSAGSIASHUASAS

    06/07/2009 às 2:26 pm

  38. Karen

    Creio que pelo que as meninas se apaixonem por edward, é pelo modo como ele é, ele quer em primeiro lugar o bem estar dela tanto que abriu mao dela achando que era o melhor bem diferente, do criminoso!
    O que torna ele apixonante é simplesmente o fato de ele ser um cavalheiro, abrir a porta do carro, dizer o que sente, demostrar isso sempre trata-la com muito amor… Isto que não existe mais com os homens de hoje em dia e o que o torna tão especial!!!

    14/08/2009 às 9:11 pm

  39. Twilight Haters

    Karen, prove que Lindemberg não fazia tudo isso pela Eloá. :P
    A menos que vc seja uma amiga do casal e diga que ele tratava ela mal, nada garante que ele não fosse um namorado gentil e carinhoso.

    Ainda assim, eu passo.
    Cavalheirismo é atraso e não quero o bônus insegurança + ciúme + necessidade de controlar a vida + manipular + etc acoplado a um namorado “gentil”, muito obrigada.
    (Ana)

    17/08/2009 às 11:40 am

  40. *aplaude de pé*
    Tipo, eu fui no arquivo mensal do blog e li todos os posts que avistei (reader nota 10 =D). But, em alguma momento, eu deixei esse post passar. Enfim, DEMAIS! Nossa, muito bem elaborado, simplesmente amei.
    Tamara, já sou sua fã por causas de suas fanfics, e agora virei mais ainda.
    Bjss ;*

    19/08/2009 às 1:30 pm

  41. Liiz!

    FIQUEI COM MEDO.
    Ah, oh, thanks, traduziram tudo o que eu venho tentando dizer pra minhas amigas LESADAS lovers que são cegas e acham maravilhoso um cara que manda na namorada e uma namorada que tenta se matar pra ouvir uma voz na cabeça dela.
    O que eu acho? Dois malucos que deviam ser internados e não virar historinha de adolecente sexualmente frustrada. FATO.

    04/09/2009 às 9:53 pm

  42. Historinha de gente sexualmente frustrada? JURO QUE MORRI DE VONTADE DE ESCREVER ISSO QUANDO FIZ ESSA ANÁLISE, FALEI!

    E sabe o que é legal, Liz? Escutar essas fangirls maledetas dizendo que eu que sou frustrada sexualmente e que não sei o que é amor e, acima de tudo, que nunca vou ser feliz na vida.

    Aham, senta lá Claudia! HSUAHEUSHAEUSHAEHUSA

    Muito obrigada pelo comentário! :D

    08/09/2009 às 10:40 pm

  43. Jéssica Laine

    Eu acho essa história esse Edward essa Bella tudo um mau exemplo… a Bella usa o Jacob que nem um objeto depois o Edward volta dando um de coitado de bonzinho os dois ficam juntos e o Jacob sai de vilao? se voces forem ver o verdadeiro vialao é o Edward, machista, egoista, obssesivo, perseguidor, quieto, mau humorado… essas meninas nao veem nada só o dinheiro e a beleza dele

    30/09/2009 às 5:59 pm

  44. Line

    Cara, lendo esse caso, me lembra que eu aos meus 14 anos era apaixonada pelo Anakin Skywalker… como eu era tola naquela época por amar um babaca obsessivo naquela época! Odiava a Padmé, pois ela nunca o amou da mesma maneira que ele a amava (leia-se: Bella), agora vejo que ela é uma pobre coitada… enganada pela ilusão de um casamento que valeria a pena… :(

    Vendo o episódio 2, vemos Anakin que nem o Edward, bonito, guerreiro, protetor mas por causa de um pesadelo com medo dela morrer, vira um lorde sith maligno, mata até crianças inocentes (aí que se torna o famoso vilão Darth Vader XD) e tudo isso em nome de proteger Padmé: Sabe o que aconteceu depois?

    Estava tão dominado pelo mal que acabou “torturando-a” enforcando-a (grávida dele de gêmeos! WTF?!), ela só não morreu naquela hora porque ela era emo mesmo… (“Perdeu a vontade de viver” blargh!!!!! Com dois filhos para criar, que mãe é essa?! Bella faria o mesmo talvez…)

    Lendo isso dá para ver o que Lindeberg, Edward e Anakin têm em comum: um amor obsessivo.

    25/10/2009 às 3:54 am

  45. Letícia

    Esse post foi um tanto quanto assustador pra mim. Mas é como eu digo: um cara como o Edward só é legal na ficção.

    10/11/2009 às 9:03 pm

  46. Aisha

    Apesar de Gostar de Crepusculo (So o filme)(Naum Gosto da narração de Bella Imbecil Swan)

    Texto Muiito Muiiiitooo Booom

    Parabens ;]

    22/12/2009 às 9:01 pm

  47. Laura Cullen

    *-* Antes de julgar, poderiam ler os livros.
    Edward sempre deixa a Bella livre para escolher. Ele pergunta se ela quer carona, e não tapa a boca dela com fita isolante e joga no porta-malas do carro. E Bella ama ele de verdade. DE VERDADE!! Pode ser que seja exagerado assistir ela dormir, mas ele nunca foi obsessivo. NUNCA!
    E se quiserem mesmo julgar, leiam os livros, e não tirem uma conclusão precipitada, por no Brasil, todo tipo de preconceito é crime e isso é preconceito!!!

    05/01/2010 às 11:32 pm

  48. Twilight Haters

    Laura, eu li os livros. Todos. E acho o post super coerente e sensato. Não me lembro, por exemplo, de Edward deixar Bella escolher alguma coisa quando pede pra Alice sequestrá-la pra ela não ver Jacob. Ops.

    E nem vem dizer que é diferente e é preocupação e blá blá blá. Meus pais se preocupam comigo e nunca mandaram ninguém fazer nada do tipo pra me manter longe do que eles consideram perigoso. E olha que são MEUS PAIS.

    Então, é meio fail pedir pra ler o livro. Nós lemos, obrigada :) eu te recomendaria abrir a cabeça e enxergar entrelinhas. ;)

    Ana

    08/01/2010 às 12:50 pm

  49. Eu recomendo a ler o nosso perfil. A equipe toda leu o blog.

    E se isso é amor de verdade, eu quero morrer sozinha, então.

    11/01/2010 às 10:25 pm

  50. *leu o livro, não o blog. Ê, inclusão digital, hahahaha.

    13/01/2010 às 10:24 pm

  51. Sylvia

    Embora eu tenha q concordar q em alguns pontos os dois são bastantes parecidos, Edward jamais faria o que o carinha ai fez . Ele JAMAIS faria isso com Bella. E acho q nesse ponto todos concordamos. Essa é a principal diferença; o q ele fez por Belle, foi isso obesessivo, tipo escalar a janela DO QUARTO PRA VER ELA DORMIR, é no mínimo estranho, mas o ponto aqui é que ele fez tdas as merdas q ele fez pensadno no BEM DELA.

    17/01/2010 às 4:12 pm

  52. E que prova você me dá de que o que Lindemberg fez por Eloá não foi pensando no bem dela e/ou no bem do relacionamento deles em si?
    Ele tem todas as características para fazer o que Lindemberg fez caso a Bella o abandonasse e o quisesse longe. É lógico que é uma previsão, não é uma AFIRMAÇÃO. É uma hipótese levantada, diferente do que você fez ao usar um “JAMAIS”, o que obviamente eu discordo redondamente.Mas aí são apenas opiniões.

    É como dizem, de boas intenções o inferno está cheio.

    18/01/2010 às 11:34 am

  53. Marcela

    Muito bom o teu artigo Tamara, ( nome de minha irmã ) , adorei ler, muito inteligente

    21/01/2010 às 10:18 am

  54. Jéss

    Edward jamais faria o que o carinha ai fez . Ele JAMAIS faria isso com Bella. E acho q nesse ponto todos concordamos.
    ———————————-

    Nem todos concordamos. Eu não concordo, portanto, seu argumento fail.
    Ótimo post, Tamara! Sério, sempre tentei mostrar para todas as minhas amigas lovers o quão obsessivo o Edward é, sem falar em machista e tudo mais.. que não tem nada de perfeito nele..
    a única coisa que as lovers não conseguem ligar entre ele e o Lindemberg é porque o Edward é rico e personagem de uma história que elas amam, enquanto Lindemberg é pobre e feio e foi mostrado como alguém terrível. Edward seria muito capaz de fazer a mesma coisa com Bella caso ela decidisse fazer igual a Eloá e deixá-lo para se livrar desse controle todo.. Não tem como saber o que se passaria na cabeça dele, dado o fato que ele é um personagem de livro.. Não é possível afirmar que Lindemberg não fosse o Edward de Eloá, que era cavalheiro, abria a porta do carro pra ela, e tinha todas essas características que elas consideram maravilhosas.. As lovers assumem que ele não era assim, porque ai não teriam o que falar para contra-argumentar o que você postou..
    Enfim, o post ficou simplesmente maravilhoso, meus parabéns! =)

    17/02/2010 às 2:35 am

  55. Estrela da Manhã

    Bem, observando todos os posts concluí que:

    1º- Devo lhe parabenizar pelo excelente texto Tamara, é realmente muito bom e abrange muitos aspectos cruciais da saga.

    2º- Eu li todos os livros e assisti aos filmes (não que eu me trate de uma doida que berra e se esguela no cinema qdo a IMAGEM de um cara que eu nunca vou ver na vida aparece na tela – o q não extrai o caráter SEM NOÇÃO ao fato, convenhamos). A relação de Edward e Bella é obcessiva, e vejo que isto ocorre pq a autora buscou um “amor” que literalmente “grita” qdo vc lê ou assiste. Sinceramente eu achava a relação dos dois muito fofa (que garota que não se sentiu esquisita, feia e rejeitada uma vez na vida? ainda mais na adolescência? e que não queria poder encontrar um cara tudo de bom q gostasse dela, só dela e de quebra fizesse todos os demais babarem de inveja???).

    3º- Mas também entendo que o grande problema é a dose do negócio. Bella e Edward são uma história – Não ECxiste (Quevedamente falando) – ao passo que uma garota querer achar um vampiro (improvável) lindo (difícil) e bonzinho (aí fud… a situação), sem contar as demais “qualidades” do rapaz, será no mínimo frustante, bem como pode ter consequências mais perigosas.

    4º- Edward até tenta se redimir de ter tirado a peça do motor do carro de Bella e mandar Alice seqüestrá-la para que ela não se encontre com o Jacob. Ele, sim, evita que Bella fale com Jacob por acreditar que a instabilidade dos lobsomens jovens era perigosa para ela – especialmente se tratatando do preconceito que vampiros e lobsomens tinham uns com os outros por serem inimigos mortais, blá-blá-blá e essa viadagem toda -, mas fica claro q o fator principal que levou a atitude foi o ciúme e, assim sendo, é uma atitude extremamente machista. Eu lia o livro e não entendia como ela se permitia uma coisa dessas sem falar nada, sem dar uns petelecos nele que, por + que não fizesse diferença, ao menos era uma posição que ela estaria assumindo, demonstrando sua insatisfação com relação ao comportamento dele. Além disso, a autora protelou qualquer relação entre os dois até depois do casamento, o que deixando bem claro a ordem puritana norte-americana com relação a relações sexuais antes do casamento, ou seja, “esta atitude é a certa e todos devem agir assim, afinal, vejam nossos “heróis” se esforçando para fazer isso”.

    5º- Lendo os livros percebi que a linha de raciocínio da Bella é realmente muito parecida com a minha, em aspectos sutis como palavras que ela usava para pensar, jeito de encarar as coisas e, aí que vem o problema, qdo se trata de gostar de alguém, ficar mentalmente burra, cega e incapaz de tomar qualquer decisão racional ou que busque nosso bem se estiver indo contra a vontade da pessoa amada ou que nos faça correr o risco de desagradá-la ou perdê-la (não sei se me fiz entender…). Ela é muito segura de si, corajosa e determinada para encarar Mike, Billie e até os Volturi, mas não peça para ela o mesmo comportamento com relação a Edward, que você não vai obter. Eu virei o mesmo zumbi que ela virou, com exceção que eu não gritava dormindo (eu não me permitia gritar, embora a dor fosse crescente, intermitente e praticamente insuportável), e o buraco enorme no peito com as pontas que latejavam estava sempre lá (foi um choque praticamente me ver em meu recém curado inferno pessoal quando assisti lua nova, aquela era eu, sem dúvida). Mas o que realmente importa é que por conta de um comportamento assim tive que fazer seções com psicóloga, psiquiatra, tomar medicação e freqüentar grupo de ajuda. No fim eu “sarei”, não que seja algo do qual se sara, você só percebe seu comportamento e tenta frear o mais rápido possível, mas ele está lá latente dentro de vc e esperando as oportunidades que acenam. Por tudo isso, tenho propriedade para falar que acho perigoso incitar tal comportamento em jovens… comigo acabou bem, Eloá não teve a mesma sorte e Bella, está sempre teve garantido o seu “Feliz pra sempre”…

    01/04/2010 às 5:08 am

  56. LiNiNhaah

    Estrela da manhã que bom que vc compartilhou isso com a gente, poxa, eu não sou do tipo de garota viciada em homem, tenho uma relação segura e até um pouco dominante com meu namorado, mas a gente se respeita e eu sei que nunca dependi dele para qualquer coisa que não possa fazer eu mesma, por isso para mim é dificil engolir essas coisas de “Eu te amo, por isso vou te matar” ou “Vc me ama como pode me abandonar?”. Só pra vc ter uma idéia, eu nunca disse ao meu namorado que o amo, porque para mim amor é algo sério. Amor de verdade.

    Mas vc nos deu uma visão exata das coisas. De que o amor de Bella e Edward é uma doença, que só atinge um lado.

    Tamara, parabéns, seja minha professora menina, não vá pro lado policial, NÃO! Com vc nas salas de aulas teriamos menos alienadas

    23/04/2010 às 5:15 pm

  57. Estrela da Manhã, por favor compartilhe seus comentários mais vezes conosco :D Eu ADOREI sinceramente ter lido seus itens, especialmente este último (o quinto) e concordo plenamente – aliás, foi algo até que a Ana comentou uma vez com o pessoal da equipe no MSN, e faz todo o sentido.

    10/05/2010 às 6:32 pm

  58. Twilight Haters

    Pois é, Estrela da Manhã, eu tbm tenho muita noção do qto um “amor obsessivo” (que pra mim é doença, não tem nada de amor) pode ser problemático.

    E eu já vivi os dois lados da coisa, sabe? Como disse a Tammie, já compartilhei com o pessoal da equipe o tanto de “merda” que já fiz ou arranjei pra minha vida com esse papo de “amar demais” (ou doentiamente). Já fui cachorrinho de um cara, já fui “vítima” de outro… e às vezes até penso em falar sobre isso num post, mas sei lá se é válido pro blog fazer isso. É minha experiência pessoal e, pra mim, tem tudo a ver com o livro, mas né. Cada caso é um caso. A Eloá morreu e o Lindemberg provavelmente tá preso, a Bella e o Edward tiveram seu “felizes para sempre”, você conseguiu se tratar, eu consegui deixar de ser pirada e meu ex-namorado continua nessa vida de encher meu saco porque não se conforma com o fim do namoro, mesmo passado mais de um ano.

    Não to conseguindo copiar e colar, mas né, Lininha… o maior problema não é atingir só um dos lados, mas geralmente o lado atingido ser a mulher. Acho que no caso de Bella e Edward, o sentimento doentio de posse é recíproco. Mas, supondo que não fosse uma ficção fadada ao final feliz e as coisas acontecessem como são no mundo real, Edward partindo prejudicaria Bella, como vimos em Lua Nova, e Bella partindo também prejudicaria Bella, porque, considerando as N atitudes de “preocupação” de Edinho ao longo do livro, ele não deixaria ela livre pra ir coisíssima nenhuma. Quando me disseram que o que Lindemberg fez não foi um crime só contra a Eloá, mas reforça todos os crimes contra mulheres, no geral, eu achei um exagero, uma “paranoia feminista”. Hoje, entendo muito bem como é isso: embora também existam mulheres piradas, capazes de matar o marido que foi embora, na maioria das vezes é o homem ciumento que efetiva o crime. E, hm, acho que isso dá post, hein (I)

    Ana

    11/05/2010 às 10:01 am

  59. Estrela da Manhã

    Essa história não é composta de magia ou aventuras, é apenas como a vida se portava para mim. Amar obsessivamente geralmente é resultado do sentimento de ausência de amor e apoio por parte dos pais, bulling e abusos.
    A tantos meses indo a uma psicóloga, meus olhos já se enchiam de lágrimas antes mesmo da começar a sessão, que na verdade não estava ajudando muito.
    Eu me sinto presa em um círculo vicioso, me sinto em um profundo desamparo, é como se eu tentasse subir em uma árvore para buscar algo novo, buscando mudar a situação em que me encontro, mas sempre vai haver alguém ali, me observando, sem dar nenhum apoio, apenas aguardando a oportunidade de me ver cair estatelada para poder se aproximar e dizer prazerosamente “Eu falei que não era para você subir ali!”, e partir com um sorriso satisfeito nos lábios.
    Talvez a terapia não surtisse efeito porque essa era uma das coisas mais leves que eu tinha a dizer. Desde que eu conseguia me lembrar, meus dias eram compostos basicamente por dor, uma dor profunda, localizada no peito e no estômago, como um buraco. Não, um buraco seria uma ausência, um vazio, era como um balão inflado de dor, que ardia, latejava, ao mesmo tempo se enchendo de ausência e de dor, querendo explodir para me fazer sangrar até morrer.
    Mas a crueldade residia em me manter viva e sofrendo. Eu acordava sentindo dor e ia dormir sentindo dor, e se caso acordasse no meio da noite, era como se eu fosse ser partida no meio pela intensidade do golpe. Eu queria gritar, mas por mais que abrisse minha boca, o som não saía, mal saía o ar, enquanto meus músculos se contraíam até travar e eu não poder me mexer.
    Será que eu não mereço nada? Nem a menor consideração? Será que nunca eu vou ser algo especial para alguém? Por que eu não mereço que alguém goste de mim? Que me trate bem? Por que eu não posso valer a pena para ninguém?
    Sofrer por amor, ou melhor, ausência de amor não é bonitinho. No fim, a única pessoa que vai saber o que você passou, é você mesmo. Esta é apenas uma parte de minha história, escrevo para alertar, espero que escutem, porque só ajudará se você realmente estiver disposto a ouvir e assimilar o que lhe é dito.
    Obrigada meninas, gostaria que a senhora Meyer pudesse ler isso, saber que foi real e que é isso que ela está ensinando nossos jovens a cultuar, mas neste ponto volto ao que disse logo acima, não faria diferença, pois no fim, a única pessoa que vai saber o que você passou, é você mesmo…

    11/06/2010 às 5:13 am

  60. Pingback: Twilight Haters BR – como tudo começou e porque tudo continua « Twilight Haters Brasil

  61. M Lovato

    Olha aqui, s vcs acham que fazendo isso vão ter mais “audiencia” do que outros sites como: Foforks, Twilight Brasil. Net, ou Lua Nova Twilight, me perdoem, mas isso me faz rir, pois vcs são um bando de idiotas, porque se vcs não gostam, ao minimo respeitem, pois tá cheio de gente que gosta, se vcs fizeram isso, é falta de respeito, criando um site e ainda falando:”Surgiu de uma brincadeira”.Brincadeira? pelo amor de Deus!
    Se fosse a sua saga predilheta aqui, vc não gostaria, né?
    Eu to aqui, eu uma defensora de fanfics, fan arts, e blogs com notícias e fics da saga, pra dizer que isso é falta de respeito.
    Me desculpem, mas é verdade.
    #sangueverde sempre ! NAÇÃO FOFORKIANA

    17/07/2010 às 3:48 pm

  62. Twilight Haters

    M Lovato, considerando que ninguém te pediu pra entrar aqui, ninguém te obrigou a entrar aqui, ninguém te ameaçou pra entrar aqui… por que, exatamente, é falta de respeito?

    Vou repetir o que disse pra uma das 1040182901 pessoas que vieram com o mesmo discurso: eu nunca me dou ao trabalho de entrar em sites contra as coisas que gosto. É um direito de cada um desgostar do que bem entender e falar sobre isso, se quiser. Ninguém enfiou uma arma na sua cabeça e falou “vai, entra lá!”, enfiou? Pois é. Nem na minha. Então eu faço a escolha de não entrar. E não me sinto desrespeitada nem acho que desrespeitam o que não gosto. Se existe razão pra não gostar, o que eu posso fazer? Falar “calem-se, bando de idiotas”?

    Nossa, como eu to de saco cheio dessas coisas, viu.

    Ana

    17/07/2010 às 6:31 pm

  63. Tamara/Tammie

    Minha saga favorita, você pode apostar, você não entenderia metade do que se passa ou o primeiro termo médico apontado pela patologista – ainda mais considerando a Meyer uma ótima escritora.

    Passar bem.

    18/07/2010 às 11:38 am

  64. M Lovato

    Se fosse a sua saga favorita? o seu personagem? vc não gostaria nao é?
    Não gostei do que falaram no MTV debate, mas enfim, não falo nd (y)

    18/07/2010 às 3:48 pm

  65. Bruna

    Eu achei essa comparação ridícula, pois vocês falam isso como se conhecessem a Eloá, então vocês por acaso sabem o que ela sentia pelo Limdemberg ? então por favor, para de escrever idiotice
    E quem é vocês para falarem que Edward não ama Bella, ele faz tudo por ela, ele até vai se matar quando acha que ela morreu e vocês tem coragem de dizer que Edward não ama Bella ??
    Eu acho que vocês precisam se informar mais para falar de um determinado assunto e vocês se acham o sabe-tudo né ??
    Vocês por acaso sabem o que é amor ?? quem são vocês para falarem de romance ??

    18/07/2010 às 4:33 pm

  66. Vanessa

    volto a dizer o mesmo: eu não me incomodo que falem mal das coisas que eu gosto, eu gosto e pronto! não quero saber da opinião do resto do planeta, basta que eu seja feliz ao gostar de algo…

    e bem, eu realmente acho que o pessoal do blog tem mais audiência que os sites que tu mencionas-te…é que, sejamos sinceros, este site tem a audiência dos haters e dos lovers todos que nos vêm aqui ofender…

    e se achas que o blog é falta de respeito, o que consideras o que tu fizeste ou vir aqui discordar da nossa opinião?

    18/07/2010 às 4:43 pm

  67. Twilight Haters

    Não, ninguém aqui conhece a Eloá pessoalmente. Tudo que a Tamara escreveu foi com base no circo que a imprensa fez em cima do caso, na época. Pode ser uma questão equivocada no sentido subjetivo, pessoal, da coisa? Pode. Mas eu acho isso irrelevante: ela tá falando de um modelo de relacionamento que foi reproduzido, pelo menos, pela representação que a mídia fez do caso do Lindemberg.

    Mas sério Bruna, eu te faço a mesma pergunta: VOCÊ sabe o que é amor? Você já teve um relacionamento como o de Edward/Bella? Como foi? Por que é bom?

    E olha, não tô dizendo que não nos achamos os sabe-tudo, mas não somos nós que estamos chamando você de idiota, nem dizendo que você precisa se informar pra dar a sua opinião.

    (Anísio)

    18/07/2010 às 5:02 pm

  68. Bruna

    Olá Anísio,
    tudo bem, você tem sua opinião, mas eu continuo achando idiotice comparar o relacionamento de Bella e Edward com o de Lindemberg e Eloá, eu acho casos completamente diferentes
    E eu nunca tive relacionamentos como o de Bella e Edward e eu só falei que o romance deles é lindo, porque eu li todos os livros e dá para sentir o quão forte é o amor deles, pois os dois sempre estão dispostos a fazer tudo um pelo outro, os dois enfrentam muitas coisas para ficarem juntos e no fim eles conseguem o objetivo deles, viverem juntos e felizes eternamente e eu acho isso tudo muito lindo

    18/07/2010 às 5:20 pm

  69. Bruna

    Olá Vanessa,
    olha, eu não quero dar risada da sua cara, mas fala sério dizer que esse blog faz mais sucesso que o Foforks, Twilight Brasil, etc é forçar a barra, né ??
    Qualquer um sabe que o Foforks, Twilight Brasil, etc são blogs/sites muito mais famosos que esse blog, mas se você acha ao contrário, tudo bem, iluda-se como quiser

    18/07/2010 às 5:26 pm

  70. Vanessa

    ah Bruna…eles são tão mais populares que nós que tu passas aqui o teu tempo em vez de estares lá a ver fotos do Pattinson ou quaisquer outras coisas que vocês façam por lá…

    e bem, mesmo que sejam, isso não conta para nós…não é uma questão de maior popularidade mas sim de razão, e nessa nós damos baile de longe…

    18/07/2010 às 5:41 pm

  71. Tamara/Tammie

    M. Lovato, sou louca por Supernatural. Adoro o John Winchester, de paixão, acho o cra e a história genial. Mas isso não me impede de ler comentários contra a serie, os pontos negativos e o que foi horrível. Ou seja, se fosse minha saga favorita ou meu personagem favorito, eu teria pelo menos a maturidade de ver isso baseando nos acontecimentos da história, e não armaria um circo por causa de opiniões contrárias, tampouco acharia burro e/ou absurdo algumas sugestões.

    Com relação a Bruna, você leu a postagem? Você conseguiu ver pontos além do fato de ler cada frase já pensando em discordar? Não vivi um relacionamento Edward/Bella graças a Deus, e não acho que morrer pelo outro enquanto um relacionamento inteiro se baseia em controle amor verdadeiro. Eu li os livros, eu vi os filmes e não acho isso amor. Amor é respeito e liberdade, é partilha e não aglutinação, é se reconhecer como indivíduo e reconhecer seu parceiro como um também. É partes e partes e não um todo.

    19/07/2010 às 2:25 pm

  72. Tammie

    Calma, o comentário anterior tinha sido pelo celular, ficou uma merda HSUAHEUHSUAHUEHUSAE.

    M. LOVATO: Ser louca por uma coisa não impede de uma pessoa ter capacidade de analisar pontos negativos e positivos desse algo. Você pode adorar um tipo de comida, um livro, um filme, uma série, mas sempre vai existir aquele cara contra que vai ter argumentos para isso. E aí, você faz o que? Invade um site o xinga até o final da vida sem realmente pensar no que ele diz, apenas porque é contra? Acho isso uma alienação sem tamanho, sem contar na falta de estrutura que se tem em absorver e compreender informação, e usá-la para rebater com argumentações melhores e/ou à altura e/ou concordar com a mesma. É tudo válido, nesse sentido, estamos todos aqui pra sempre aprender algo, alguma coisa, até o final da vida.

    BRUNA: sobre saber ou não o que a Eloá sentia pelo Lindemberg… Ela teria namorado com ele se não achasse que era amor? De novo, o que foi dito na postagem, ele ia para o colégio esperá-la para ficar de olho nela, como se isso fosse “protegê-la” e proteger o que eles tinham. Não conheço muita gente que arruma um namorado só para falar que tem um, dicona (y)
    E sério, quer discutir racionalmente com uma pessoa? Não utiliza coisas como “idiotice”, ou falar que achamos que somos “sabe-tudo” quando você mesma utiliza esse tom, menosprezando a opinião dos outros para enaltecer a sua, como se VOCÊ soubesse o que é amor, mais do que nós, ou se VOCÊ soubesse o que é melhor.
    Desculpa, meu ponto de vista discorda do seu, e eu continuo discordando até que você me apresente algo substancial e que envolva mais do que simplesmente me ofender e/ou falar como se eu fosse uma pata ou que minha opinião é pura e simplesmente burra/idiota.
    Edward Cullen POSSUI características de alguém que poderia surtar e virar um stalker sobre a Bella, e eu li escritas de um psicóloga sobre comportamento obsessivo e acompanhei toda a palhaçada desse caso Eloá/Lindemberg para montar essa postagem (apesar de, um ano mais tarde, pensar que poderia ter escrito com menos piadas e mais séria). Não acho o romance entre a Bella e o Edward amor, acho obsessão para ambos os lados e controle de um sobre o outro, valorização de um todo sobre uma parte, e negação de seu próprio estilo de vida em prol de um unitário sem embasamento algum. Se isso é sua opinião sobre amor verdadeiro, tudo bem, continue com ela. Mas esse é um relacionamento que eu não quero.
    E morrer pelo outro não significa uma pessoa inteira e irremediavelmente altruísta, ok? Pode ser confundido com, mas não necessariamente é de alguém que só quer ver a outra pessoa feliz.

    19/07/2010 às 2:46 pm

  73. M Lovato

    Olha, se ofendi ao site perdão.É que fiqui meio assim com o que ouvi no MTV Debate.Mas é só.Não quero inimigos.Mesmo de opinioes diferentes, pois tenho amigos que não gostam da saga, ou não gostam de um tipo de música, como Paramore, que eu amo.
    Então peço perdão a vocês, e vou ter que olhar pros dois lados da moeda.
    Obrigada por ouviem
    M Lovato (Gabriella)

    23/07/2010 às 12:36 am

  74. HKroll

    Amei o texto. Genial.
    Tava pensando em fazer uma comunidade no orkut sobre isso, posso?

    13/10/2010 às 7:05 pm

  75. Jaqueline

    Isto não é amor, é paixão desmedida e descontrolada de gente insegura que tem medo de perder a sua “amada” por causa dos seus inúmeros defeitos, que quando percebidos, já é tarde demais para a vitima escapar.
    Os romances de livros e filmes só destorcem a visão de um relacionamento real, tornando-as descontentes com seus relacionamentos.

    09/12/2010 às 12:49 pm

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s